de 2014
Manchetes
Observatório
22/10/2014
UMA COR NÃO DECIDE NADA
Parece pura filosofia, mas, não é; vamos tentar raciocinar de uma maneira real, pensando somente no dia a dia. Branco, preto, azul ou roxo não são nada mais que simples cores que podem representar tristezas, alegrias ou luto, isso é cultural e próprio de cada região. Especificamente nos países sul-americanos a cor preta significa luto, alguns países europeus usam a cor cinza para simbolizar tristeza. Na China, o vermelho significa sorte e as noivas geralmente casam dessa cor, já aqui no Brasil as “donzelas” casam de branco por simbolizar “pureza”. Geralmente as cores não trazem maiores problemas no convívio social por significar somente isso, uma simples cor. De repente surge um espertinho no meio da estória atrelando determinada cor à sexualidade.
MENINO OU MENINA
Quando a mãe começa a dar os primeiros sinais de gravidez, todos os parentes querem dar os seus palpites respeito ao sexo do bebê, os progenitores corujas ficam ansiosos e deixam passar três meses para irem correndo ao médico fazer a ultrassonografia para finalmente descobrirem com exatidão se as cores das roupinhas serão azuis ou rosas, o pintor é contratado para pintar o quarto de azul ou de rosa, o berço também pode mudar de cor. Já imaginaram um menininho de uma semana de vida dormindo num berço cor de rosa, o que será que tios e amigos vão pensar? A sexualidade do coitadinho será colocada em desconfiança?
QUEM INVENTOU TUDO ISSO
Com certeza algum esperto para lucrar com isso; ou será que foi a maquiavelice do mundo capitalista. O ser humano conseguiu achar defeitos nas cores, menino ou homem que usa cor de rosa é estranho e todos tiram sarro, muitos atrelam a cor à opção sexual da pessoa, quem usa aquela tonalidade é normal, já aquela outra não é confiável. Eu sou músico, se um dia aparecer num palco com um violão cor- de -rosa emprestado de alguém, seria um desastre, com certeza seria vaiado. E quando uma menina usa a cor azul? Ninguém fala nada. Será que tudo isso não é mais um ataque fulminante do capitalismo selvagem para criarem lojas e mais lojas especializadas? Meninas desse lado, meninos do outro. O comércio das cores fatura bilhões todos os anos no mundo todo.
A MINHA CANETA ANOTOU
O abraço para a professora Jaqueline, do colégio Iraci Salete, que sempre lê esta coluna. O bom atendimento de todo o pessoal da Comercial Virmond. A intelectualidade da professora Sara Barreto. Os bons preços e as ofertas diárias da rede de farmácias Santa Terezinha. A dedicação dos enfermeiros (as) do posto de saúde de Laranjeiras do Sul e os preços imbatíveis da Rede Lar de supermercados.
Victor Rivas

Victor Rivas é músico e radialista em Laranjeiras do Sul.

Últimos Posts Observatório
 
Início | Quem Somos | Comercial | Redação | Direção | Sugestões | Trabalhe Conosco | Publicaçôes | Fale Conosco | Política de Privacidade
Jornal Correio do Povo :: Rua Cel. Guilherme de Paula, 880 Fone: (42) 3635-2944 CEP 85.301-220 - Laranjeiras do Sul - PR