de 2014
Manchetes
A Vista do Meu Ponto
A histeria da elite!
18/12/2014
Saíram na imprensa nacional algumas reportagens sobre a educação que merecem algumas considerações. Tais reportagens criticam os livros didáticos, acusando-os de terem uma linha de esquerda, marxista, e que, portanto estariam fazendo apologia ao socialismo. Numa destas reportagens cita uma ONG que defende o ensino “neutro”! Ora, neutralidade científica não existe, toda criação literária ou didática é ideológica, seja de esquerda ou de direita. A pretendida neutralidade é também um discurso de direita, uma vez que favorece a classe privilegiada, ou seja, a elite. A verdade é que se tais livros tivessem um posicionamento de direita, ou seja, se o discurso de tais obras fosse neoliberal, a grande imprensa não teria se posicionado, uma vez que sua única preocupação é defender o livre mercado, o Estado mínimo, e de preferência, um certo controle mesmo que indireto sobre este último. E para esta defesa consideram perigosas, obras que mostram que o capitalismo é sim um sistema injusto, que se alimenta da desigualdade social. O professor não é um doutrinador, e até mesmo se fosse, não alcançaria os resultados esperados, uma vez que a televisão ao propagar a todo o momento o “American way of life” obtém melhores resultados. Acredito ainda ser muito mais preocupante a péssima qualidade de muitos programas de TV que além de mau gosto, apresentam sérias distorções informacionais e éticas com objetivo ideológico. Certa vez li que “a elite brasileira é a melhor do mundo, pois uma minoria conseguia dominar uma imensa massa de excluídos e ditar os rumos do país”! Entendo que o momento atual com a hegemonia de governos de esquerda em vários países da América do Sul e principalmente a eleição e reeleição de Lula e Dilma preocupem a elite, pois de certa forma, o controle sobre os rumos do país já não é tão absoluto, porém, a censura que ora se pretende fazer a obras didáticas tem um cheiro de Índex, ou seja, o livro que registrava as obras proibidas aos católicos, sendo que importantes obras e cientistas foram proibidos, acontece que não vivemos mais na Idade Média, e está na hora de parte da elite se atualizar, digo isso por que acredito que parte dela tem uma cabeça mais aberta e entende que se o capitalismo é hegemônico, para sua análise Marx é fundamental. Mesmo o mais ferrenho defensor do capitalismo, ao se despir de seus pré-conceitos e analisar a obra de Marx o considerará genial, pois uma coisa é a obra de Marx, outra o Capitalismo de Estado da ex-URSS, China, etc. Enquanto professores desejamos sim formar cidadãos conscientes, críticos, assim sendo, não os doutrinamos, nem mesmo os autores dos livros intencionalmente o fazem, uma vez que apenas mostram certas verdades embaraçosas para os neoliberais de plantão, os quais reagem erguendo o tom da voz. É verdade que nossos salários tiveram perda de poder aquisitivo com o passar do tempo, mas a nossa solidarização com os excluídos não ocorre por causa disso e sim porque ao trabalhar com o povo, as mazelas sociais deste nos ferem a alma. E concluo dizendo que não aceitamos censura sobre o nosso trabalho, até porque para emitir parecer técnico sobre trabalho médico é necessário ser médico, assim para fazer uma discussão fundamentada sobre a educação é necessário ser Educador. A Educação não é uma coisa à toa, ela obedece a diretrizes, normas, e enquanto um governo trabalha a serviço do povo é a serviço do povo que a Educação deve estar e não em conformidade com os interesses de uma minoria.
Osnélio Vailati

Osnélio Vailati é professor da rede pública do Estado do Paraná. Formado no PDE (2007/2008) e especialista em Metodologia do Ensino de Geografia.

Últimos Posts A Vista do Meu Ponto
 
Início | Quem Somos | Comercial | Redação | Direção | Sugestões | Trabalhe Conosco | Publicaçôes | Fale Conosco | Política de Privacidade
Jornal Correio do Povo :: Rua Cel. Guilherme de Paula, 880 Fone: (42) 3635-2944 CEP 85.301-220 - Laranjeiras do Sul - PR