de 2015
Manchetes
Espírita
NÃO DITOS E NÃO FEITOS
28/05/2015
Infelizes e enfermos de variada classificação, obsidiados e dementes de muitas alienações foram reconduzidos à serenidade e à paz através da mensagem de esperança que Ele nos dá, desde então, como pábulo que nos mantém alimentados, conduzindo-nos para a frente e o amanhã...
Muito mais poderia ter dito e feito o Senhor.
Não o disse, porém, nem o fez.
E o que não disse, e não fez, são tão grandiosos que atestam a excelente procedência d’Ele.
Recusado por uma aldeia do interior de ser ali agasalhado, nada disse, e instado pelos discípulos para que ateasse o fogo do céu sobre o lugarejo ímpio, não o fez. Retirou-se em silêncio, plácido e triste, seguindo adiante...
Impossibilitado de falar ao povo de Gadara, após a recuperação psíquica do gadareno, não disse uma sentença condenatória, não teve um gesto de revolta. Imperturbável, retornou ao mar da Galileia...
Acusado por comensais dos interesses imediatos, de açular as massas infelizes que o seguiam esperançadas, não disse um revide, não expôs uma defesa, não reagiu com irritação, não fez uso dos seus poderes...
Conclamado por aqueles que O desejavam triunfador na Terra não apresentou explicações, não debateu o assunto, retirou-se a sós...
Diante de Pilatos quase nada disse, nada fazendo e, no entanto, poderia tudo dizer e tudo fazer.
Na cruz, resignou-se a não dizer senão o indispensável para o tributo de amor, submetendo-se, incomparável, à Vontade do Pai.
Mesmo depois de ressurgido não disse nem fez o que muitos esperavam.
Afirmou a imortalidade atestando-a, realentou os companheiros com o seu amor de compreensão e, ao ascender aos Cimos, despachou-os para as tarefas do “dizer” e do “fazer” como Ele mesmo disse e fez.
Medita sobre os não-ditos e não-feitos do Senhor.
Se a dificuldade e a incompreensão de quem amas, quando a serviço d’Ele, te amesquinham, não te amofines.
Se a luta recrudece e o combate acirra, não desesperes.
Se a enfermidade avança e te vence, não desanimes.
Se todos os males de fora e de dentro de ti mesmo ameaçam conduzir-te à desencarnação, não recalcitres.
Não te defendas, se injuriado. Não te justifiques, se perseguido. Não te exponhas, se angustiado. Nada digas, nada faças, mesmo que tenhas o que dizer e disponhas de recursos para fazer.
Teus ditos e teus feitos já falaram por ti. Se não se fizeram ouvir, porfia confiante, de fé robusta. Mais vale ser vítima da impiedade quando se está com a consciência tranquila, do que perseguidor entre ovações, carregando uma consciência em brasa.

Livro: DIMENSÕES DA VERDADE. Joanna de Ângelis (Espírito), psicografia de Divaldo Pereira Franco. Livraria Espírita Alvorada. 2ª Ed. – Salvador-BA. 1977. p.13
Manoel Ataídes Pinheiro de Souza, membro da Sociedade Espírita Amor e Conhecimento, Guaraniaçu – PR. manoelataides@gmail.com
Manoel Ataídes

Manoel Ataídes Pinheiro de Souza é membro da Sociedade Espírita Amor e Conhecimento de Guaraniaçu

Últimos Posts Espírita
 
Início | Quem Somos | Comercial | Redação | Direção | Sugestões | Trabalhe Conosco | Publicaçôes | Fale Conosco | Política de Privacidade
Jornal Correio do Povo :: Rua Cel. Guilherme de Paula, 880 Fone: (42) 3635-2944 CEP 85.301-220 - Laranjeiras do Sul - PR