Bananada de Einstein - Marcio Martins
COMO FUGIR DE FALAR DE POLÍTICA?

Não há mais como fugir, e confesso a vocês, tenho medo de onde tudo isso poderá parar! Não há como fingir! Política inteligente, feita de pessoas...?

Temos guerra franca e aberta no Rio escancarada, ou teria outro nome, talvez intervenção? Guerra civil... Pois bem, a coisa já andava feia a muito tempo por lá, mas agora recentemente passando por outros estados ouvi pessoas falarem que o crime só aumenta, por consequência o número de mortos também,... Como fugir? Como fugir caro Watson?

Pois bem, a fuga pode ser apenas ficar parado, ou tampar os ouvidos, ou correr do lado contrário, ou olhar, ver e fingir-se de morto... Acredito que é possível, muito mais que isso, é fazendo escola de verdade, construindo pessoas de verdade, fazendo valores humanos, incluso o amor, pois o que vemos recentemente em discursos de puro ódio, seja daqui – dela – ou dali...

Corra que eles vem ali – Forrest – e não olhe para trás!

Retomarei os valores humanos dando uma arma para cada cidadão, ou não há provas contra dez delações e apontamentos que eu estava envolvido, e daí o que fazer?

Poderíamos pensar na mentira bem contada, ou não verdade mal contada, na subjetivada humana de quem fez mas roubou, ou do outro que nada e é menos, por fiz das brejas e brejas jurídicas que há de melhor no pior.

É o fim – ou alguém de capa preta aparecerá, observem atentamente mas não será o Batman...

Fugir ou não fugir eis a questão?