Editorial
Saúde pública em pânico

A saúde pública está em epidemia. Desde 2018, estamos acompanhando diversas doenças voltarem com tudo e fazendo centenas de vítimas.

Em 1904, a vacina foi introduzida no Brasil pelo médico e sanitarista Oswaldo Cruz. À época, ela foi recebida com desconfiança, pois viam uma forma de intereferencia do governo na vida delas. Mas as coisas foram mudando e atualmente, as vacinas fazem da vida da maioria dos brasileiros. Inclusive, o governo disponibiliza vacinas gratuitas à população, até mesmo como uma forma de promoção à saúde pública.

No entanto, algumas enfermidades já erradicadas graças a essas vacinas têm reaparecido no país como resultado de um ceticismo desinformado sobre a confiabilidade dos métodos de imunização e agravado pela crescente circulação de pessoas no mundo globalizado.

Em 2018, a região norte do país sofreu com uma forte epidemia de sarampo. A doença havia sido erradicada no Brasil em 2016, inclusive com certificação.

Ainda em junho do ano, o Ministério da Saúde também informou haver alto risco de retorno da poliomielite em pelo menos 312 cidades brasileiras. A doença era considerada erradicada no continente desde 1994, após décadas provocando milhares de casos de paralisia infantil.

O ano encerrou com milhares de casos confirmados de dengue no Paraná. A situação é realmente muito grave. A Dengvaxia, vacina contra a dengue, foi registrada no Brasil em 28 de dezembro de 2015 e o Paraná foi o único estado brasileiro a adquirir a vacina, já aplicada em parte da população desde meados de 2016.

Agora, outra doença que vem preocupando é a febre amarela. Doença que também não se tinha muitos casos, já que a vacina contra essa enfermidade está na carteira da criança e deve ser aplicada antes de 1 ano de idade.

Os alertas acima colocam em evidência doenças que estavam controladas graças à vacinação em massa, mas que ameaçam ou já vem provocando estragos na saúde pública brasileira com a imunização em baixa.

A vacina é um bem gratuito oferecido à população que visa apenas beneficiar a todos, mas que também parte da contribuição de cada um para sua efetividade.

 

 

Hora de se preparar

Em menos de 15 dias iniciam as aulas em toda a rede pública estadual e municipal. O Correio do Povo vem trazendo ao longo das últimas semanas, diversas matérias sobre o tema volta as aulas.

São muitos os questionamentos dos pais, alunos e claro, também dos professores. Afinal, todo ano, um novo estudante começa a fazer parte daquela instituição.

Pais e estudantes devem se preparar com pelo menos uma semana de antecedência, conforme orientação da psicóloga Adrieli Malherbi, publicada na edição de ontem. A rotina já deve começar a ser parecida como a de quando as aulas iniciam. Com horário para acordar, tomar banho, almoçar...

Além disso, deve-se conversar com os filhos para aos poucos eles se prepararem para essa nova rotina e principalmente para o primeiro dia de aula: o mais difícil. No entanto, na maioria das vezes, são os pais que sofrem mais, ficam mais apreensivos, já que a criança fica tranquila na escola. Isso acontece principalmente com quem tem filhos menores e que estão indo pela primeira vez à escola.

O momento de volta às aulas é de grande expectativa para todos que fazem parte do ambiente escolar, é o início de uma nova jornada, novos desafios e novos objetivos a serem alcançados e, além de tudo, é a principal visita da família na escola quando falamos de alunos mais novos.

Por isso, tanto pais quanto professores devem (e muitas já fazem) com que o primeiro dia ou a primeira semana seja de momentos acolhedores, para que a criança se sinta parte daquela instituição e assim o ao seja de muito aprendizado.

Pequenos grandes exemplos de talentos

O fato de os municípios da nossa região serem considerados cidades do interior acabam limitando muitos serviços da população. Por exemplo, nos municípios da Cantu, não temos shopping centers, não temos aquelas famosas lojas de departamentos, não temos cinema (abrimos um parênteses aqui para destacar que Quedas do Iguaçu não tem cinema, mas com muita frequência exibe filmes gratuitos à população, com Centro Cultural).

Além disso, por aqui dizemos que muitas profissões não se criam, ou não se criavam pelo menos, já que o mundo é cada vez mais tecnológico.

Nas páginas 8 e 9, trazemos a história de três jovens que sonham em ser modelos. Mas esse sonho não está muito distante não, já que os três já atuaram com isso. O jovem Antonny Wessler, tem só 9 anos de idade, mas desde os quatro já desfila. Julya Helen também. Com sua beleza rara, ela tem tudo para brilhar nas passarelas e nas câmeras. E o que dizer da pequena Ariane Almeida. Com apenas 8 anos, ela já conquistou o título de Miss Infantil Beleza Brasil. Com isso, agora ela poderá concorrer em concursos internacionais. Vejam só, uma pequena menina de 8 anos, já representara o Brasil em outros países. É um grande orgulho para todos nós.

Esses grandes talentos mostram a todos, desde os que não acreditam que daqui podem sair talentos nacionais e internacionais a até aqueles que sonham com isso, que é possível realizar qualquer trabalho. Basta acreditar e correr atrás e é claro, investir um pouco nisso, porque sem investimento, não adianta esperar que o retorno não vem.

Já começou a hora da mudança

“Não deseje feliz ano novo. Deseje novas atitudes, pois o novo ano será o mesmo, se as suas atitudes forem as mesmas”. A frase assinada por Alex Andréh é uma das mais compartilhadas nestes primeiros dias do ano, afinal se pararmos para refletir sobre ela, podemos notar que é muito profunda e inspiradora.

2019 já ficou para traz. Agora temos um 2020 cheio de oportunidades pela frente. Esse ano, podemos dizer que temos uma oportunidade a mais, pois além de ser ano de eleições municipais, onde escolhemos nossos representantes do municípios, também é ano bissexto.

Quando o ano está acabando e um novo iniciando, é comum que as pessoas fiquem cheias de sonhos, de esperança por um ano melhor e acreditando que este será o ano que mudará suas vidas.

Mas na prática, não é apenas uma mudança de ano que fará tudo mudar. Assim como diz na frase de Alez Andréh, se as atitudes forem as mesmas, nada mudará.

O ano já começou, já estamos em 3/366. Já se passaram três dias de 2020, e o que você já fez de diferente? De que forma está planejando realizar os grandes objetivos do ano?

Todo dia é uma oportunidade única e quanto mais esperar para mudar, menos tempo terá para aproveitar essas mudanças.

Mude já. Faça já. Não espere chegar mais um final de ano para repensar sobre o que não foi feito e querer ‘correr atrás do prejuízo’. A hora é agora.

Feliz 2020.

Um viva às cooperativas

2019 não foi um ano fácil. Por onde se anda e com quem se fala o discurso é o mesmo: muito trabalho e pouco retorno financeiro. Mas não só neste sentido, também foi um ano de muitas tragédias, como a morte do jornalista Ricardo Boechat, incêndio do CT do Flamengo que matou 10 adolescentes. Mas certamente a maior de todas as tragédias é o rompimento da barragem de Brumadinho, em Minas Gerais, que matou mais de 250 pessoas.

No mundo da agricultura não foi diferente. Com os fatores climáticos não colaborando com os produtores.

Mesmo assim, se tem um setor dentro da agricultura que tem muito a comemorar é o cooperativismo, que deve confirmar um crescimento no seu faturamento, ultrapassando R$ 85 bilhões, com resultados positivos na ordem de R$ 3,5 bilhões e R$ 2,6 bilhões em impostos arrecadados. Esse é o resultado apenas do Paraná.

No estado, as cooperativas já são responsáveis pelo emprego direto de 107 mil pessoas e tem atualmente mais de 2 milhões de cooperados, número que cresce dia a dia.

Os belos resultados foram apresentados em um belo evento, na sede da Lar, em Medianeira. Evento, que por sinal, estava muito bem organizado por toda a equipe da Ocepar, Sescoop e a cooperativa sede, é claro.

Tão importante é o evento, que inclusive estiveram presentes o governador Ratinho Junior e a Ministra da Agricultura do Brasil Tereza Cristina, que foi ovacionada e muito aplaudida por todos.

Enfim, em meio a um ano de muitos eventos negativos e trágicos, é bom chegar a dezembro e trazer tao boas notícias aos nossos leitores, já que nossa região é movida a agropecuária e ainda temos por aqui uma das maiores cooperativas, que é a Coprossel. Que venha 2020 com mais números expressivos como este.

É amanhã a sexta-feira do desconto

Amanhã é o tão esperado dia da Black Friday no Brasil. A sexta-feira negra é marcada por muitas promoções e descontos que muitas vezes parecem ser imperdíveis.

Antes só feita nas lojas virtuais, os comerciantes virão na ação uma oportunidade de incrementar as vendas de final de ano.

Na região, não é muito comum vermos pessoas formando filas à espera das lojas abrirem para sair comprando desenfreadamente. Isso acontece com mais frequência nas grandes cidades.

Mas atenção. Nem todo super desconto é um super desconto. É preciso ficar atentos a preços muitos baixos e desconfiar, principalmente se for uma oferta online.

Na página 15 desta edição você encontra algumas dicas para fugir de golpes e não perder seu dinheiro.

A edição deste ano da Black Friday deve ganhar um impulso extra com a liberação de recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e da primeira parcela do 13º salário, que será exatamente no dia 29. Nesse cenário, o varejo estima faturamento superior a R$ 3 bilhões para o período, alta de 18% sobre o desempenho do ano passado, conforme a Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings (Alshop).

Por isso, antes de sair comprando em sites desconhecidos, que tal dar uma passadinha em uma loja da sua cidade? Os valores podem ser iguais, mas com certeza poder provar e ter a garantia e segurança na hora da compra é algo que não tem preço.

O esporte no centro das atenções

Pela 27ª vez a região da Cantuquiriguaçu realiza os Jogos Abertos da Cantuquiriguaçu (Jarcan’s). Desta vez Quedas do Iguaçu vira o centro das atenções, pois é nesta cidade que acontecem os jogos. Neste ano, 14 municípios estão disputando 29 modalidades esportivas. E quatro delas são novas: apresentação artística, ciclismo, tênis de quadra e futebol sete feminino.

Com a inclusão do futebol 7 na modalidade feminina, podemos ver o quanto o esporte é cada vez um meio de inclusão social. Quando se fala em esportes, logo vem a mente alguns homens correndo atrás de uma bola. Seja ela na quadra ou no campo. A exemplo a seleção feminina de futebol, que até este ano nunca viu os jogos da Copa do Mundo Feminina serem transmitidos na TV aberta como acontece este ano.

É nesse viés que usamos este espaço para colocar o esporte como um dos fatores mais eficazes na inclusão. O esporte é capaz de eliminar diferenças sociais gritantes que dificilmente em outro meio seriam quebradas. O meio esportivo tem um enorme potencial para disseminar valores e normas de condutas sadias.

Em que outra atividade que reúna mais de 2 mil pessoas durante quase uma semana, salvo raras exceções, não ocorra algum tipo de desavença? Toda e qualquer modalidade esportiva exige ordem, paciência, disciplina e muita perseverança. Por isso a importância da prática de atividades esportivas, que além de fazer bem à saúde é um dos grandes responsáveis para desenvolver a ética no indivíduo.

E vale destacar ainda que o esporte regional vem ganhando muitos incentivos e investimentos nos últimos dois anos. A exemplo dos times da região que disputam ou disputaram a Série Bronze. Vejam só, termos dois times na Prata em 2020: Operário Laranjeiras e Pinhão. Que orgulho para nossa terra.

Encerramos esse espaço convidando a população da Cantu para prestigiar a 27ª edição dos Jarcans em Quedas do Iguaçu que inicia hoje e segue até domingo. Boa sorte a todos os atletas.

À espera do Natal

A semana mal começou e já sabemos que será agitada no mundo do esporte e da cultura. É que nesta semana acontecem os Jogos Abertos da Cantuquiriguaçu (Jarcans) sediados em Quedas do Iguaçu, bem como o Laranja da Canção, em Laranjeiras do Sul, um dos maiores festivais de músicas da região.

Além disso, com a aproximação de final de ano, os eventos passam a ser mais frequentes em toda a região.

Laranjeiras, por exemplo, na semana seguinte ao Laranja da Canção terá o desfile cívico em comemoração aos 73 anos, e na próxima terá a abertura do Natal Iluminado, com o atual campeão do The Voice Kids, Jeremias Reis. Já no próximo, o Correio volta a sediar a Gincor, sucesso no início dos anos 2000. O evento, por sinal, abre a programação do Viva Verão, que este ano acontece pela segunda vez.

E nos demais municípios da região não é diferente. Pois o clima de Natal já começa a tomar conta e o que será possível ver nas próximas semanas serão praças e espaços públicos muito enfeitados à espera do bom velhinho.

Por que tão cedo, pais?

Todo ano é a mesma coisa. Chega metade de novembro e é quase que raridade passar em frente a uma das escolas municipais de Laranjeiras do Sul e não ver uma fila de pais, tios, vizinhos e até mesmo desconhecidos se formando e só aumentando. O motivo? Conseguir uma vaga para uma criança. Neste ano, as matrículas acontecem de 18 a 29 e novembro.

Mas desde quarta-feira (13), cinco dias antes das matriculas iniciarem, os pais já formaram filas em frente as escolas. A mesma coisa aconteceu no ano passado, mas não com tanta antecedência. Mas será mesmo que é necessário formar filas tão antecipadamente?

A secretaria de Educação afirma que não, porque vagas têm para todas as crianças. O que acontece é que a maioria dos pais querem matricular as crianças nas escolas do centro, que são apenas três. E são justamente essas que aglomeram mais pessoas antecipadamente.

Desde o início de 2018, toda a rede municipal de ensino de Laranjeiras conta com o sistema Positivo. Sistema esse que é conhecido nacionalmente por sua qualidade. Todos os diretores, professores e demais envolvidos com a escola passaram por capacitações. A mesma capacitação.

Por isso, independente da criança estudar no centro ou no bairro, o assunto e material usado em sala de aula será o mesmo.

Por isso, questionamos: é realmente necessário passar dias e dias nas filas?

Elas vão dominar o mundo

Quem nunca ouviu a frase “Vamos dominar o mundo”. Quem era criança nos anos 90 e assistia o desenho ‘Pink e o cérebro’, certamente ouvia todo dia.

O desenho, resumidamente, trazia sempre a emblemática de dois ratos que em cada episódio elaboraram planos para dominar o mundo.

Mas saindo do desenho e entrando no mundo real, todo dia lutamos para conquistar o mundo. E se tem algo que tem dado muito certo é a participação das mulheres nas tomadas de decisões.

Em 2016, a cooperativa Coprossel, de Laranjeiras do Sul, iniciou um forte movimento. Naquele ano, aconteceu o primeiro Encontro das Mulheres Cooperativistas, que reuniu 180 mulheres.

Ano após ano os encontros foram se consolidando e o público acreditando cada vez mais na causa. Neste ano, foram mais de 500 mulheres de várias cidades da região que participaram.

Agora vemos a Sicredi Grandes Lagos também iniciando esse movimento. Ontem, foi realizada a primeira reunião com 165 participantes. Foi apenas o primeiro de muitos que virão.

São ramos de atuação diferentes, já que a Coprossel é agro e a Sicredi é de crédito, mas o objetivo é o mesmo: fortalecer a participação feminina nas decisões não só das cooperativas, mas também na vida pessoal, na sua propriedade, na sua casa.

Afinal, elas já são 51,7% do total populacional. Já conquistaram muitas coisas ao longo dos séculos. Mas ainda conquistarão muito mais.