Editorial
Elas vão dominar o mundo

Quem nunca ouviu a frase “Vamos dominar o mundo”. Quem era criança nos anos 90 e assistia o desenho ‘Pink e o cérebro’, certamente ouvia todo dia.

O desenho, resumidamente, trazia sempre a emblemática de dois ratos que em cada episódio elaboraram planos para dominar o mundo.

Mas saindo do desenho e entrando no mundo real, todo dia lutamos para conquistar o mundo. E se tem algo que tem dado muito certo é a participação das mulheres nas tomadas de decisões.

Em 2016, a cooperativa Coprossel, de Laranjeiras do Sul, iniciou um forte movimento. Naquele ano, aconteceu o primeiro Encontro das Mulheres Cooperativistas, que reuniu 180 mulheres.

Ano após ano os encontros foram se consolidando e o público acreditando cada vez mais na causa. Neste ano, foram mais de 500 mulheres de várias cidades da região que participaram.

Agora vemos a Sicredi Grandes Lagos também iniciando esse movimento. Ontem, foi realizada a primeira reunião com 165 participantes. Foi apenas o primeiro de muitos que virão.

São ramos de atuação diferentes, já que a Coprossel é agro e a Sicredi é de crédito, mas o objetivo é o mesmo: fortalecer a participação feminina nas decisões não só das cooperativas, mas também na vida pessoal, na sua propriedade, na sua casa.

Afinal, elas já são 51,7% do total populacional. Já conquistaram muitas coisas ao longo dos séculos. Mas ainda conquistarão muito mais.

Escolas ficarão conectadas em 2020

Quase 25 mil escolas públicas do país poderão ter acesso à internet em 2020. Conforme o Ministério da Educação, isso representa 56% das escolas públicas conectadas.

Ao anunciar a medida, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse que provavelmente as escolas já tenham acesso à internet no primeiro semestre de 2020. A medida estima beneficiar 11,6 milhões de estudantes.

"O ensino hoje no mundo sem estar conectado à internet é um absurdo", disse Weintraub.

Conforme uma pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o Brasil fechou 2016 com 116 milhões de pessoas conectadas à internet, o que representa 64,7% da população com mais de 10 anos.

O celular é o principal aparelho para acessar a internet no Brasil. Em 2016, o eletrônico era usado por 94,6% dos internautas, à frente de computadores (63,7%), tablets (16,4%) e televisões (11,3%). Segundo o IBGE, 77,1% dos brasileiros possuíam algum celular.

Muitos alunos que atualmente não tem acesso à internet na escola, fazem uso deste por meio do celular. No entanto, é sabido que dentro das salas de aula, o celular é, em muitos casos, proibido.

E quem proíbe não está errado, pois existem muitos que usam da forma correta, para pesquisar e aprofundar os conhecimentos relacionados ao assunto que está sendo estudado. Mas também muitos querem apenas ficar navegando nas redes sociais.

Por isso, é um grande avanço as escolas estarem conectadas à internet. Isso certamente mudará a história da educação.

A música como agente transformador

A música tem um poder transformador na vida das pessoas. Diz um antigo ditado que “a música amansa as feras”, e tem um efeito poderoso sobre nós.

Uma pesquisa recente realizada pela Alluri demonstrou que a música ativa grandes áreas do nosso cérebro. Quando ouvimos uma música, as áreas auditiva, límbica e motora são ativadas, independentemente do estilo musical que ouvimos.

O Correio vem trazendo semanalmente história de cantores locais. A série ‘A música é minha vida’, conta a história de algumas pessoas e de como a música entrou na vida deles.

A personagem de hoje, relata que a música lhe acalma e a leva para um novo mundo. Aliado a isso, ela ainda compõe, por meio de poesias, conforme pode ser conferido na matéria da página 14 desta edição.

Além de dar a sensação de bem-estar, a música quando usada como terapia, é capaz de trazer benefícios para a saúde como melhorar o humor, a concentração e o raciocínio lógico. A musicoterapia é uma boa opção para crianças se desenvolverem melhor, tendo uma maior capacidade de aprendizagem mas também pode ser usada em empresas ou como opção de crescimento pessoal.

Dessa forma, nossa dica de hoje é: ouça música. Em qualquer hora do dia, em qualquer lugar. Existem centenas de estilos musicais e milhões de cantores espalhados mundo a fora. É só escolher o que mais lhe agrada e aproveitar.

O livro e seus inúmeros benefícios

Hoje, 29 de outubro, comemora-se o Dia Nacional do Livro. A data é uma homenagem a fundação da Biblioteca Nacional do Brasil, localizada no Rio de Janeiro, quando a Real Biblioteca Portuguesa foi transferida para a colônia, em 1810.

Não vemos por aí ninguém realmente comemorar esse dia. Assim como celebramos Dia das Mães, Dia dos Pais. É claro que não se comprara né. Afinal, eles são quem nos deram a vida.

Mas o livro é o que nos dá o conhecimento, desperta a curiosidade, ascende a criatividade. A leitura faz qualquer um viajar para lugares em que jamais outras pessoas irão.

Por isso mesmo, é importante que o hábito da leitura seja estimulado desde a infância. Normalmente pais que leem, passam essa paixão, esse hábito para os filhos. Dessa forma, tudo pode começar lendo uma historinha para os pequenos, mesmo antes deles aprenderem a ler. Existem muitos livros infantis com conteúdo lúdico.

A partir do momento que a criança começa a ler, é hora de presenteá-los com livros, gibis, revistas infantis. É por aí que começa o incentivo e a criação do hábito de se ler.

O Dia do Livro é hoje, mas sempre que tiver uma oportunidade, presenteie alguém com um livro. É um dos mais belos presentes a ser dado e recebido.

Por isso, encerramos este editorial com uma célebre frase de Carlos Drummond de Andrade: “A leitura é uma fonte inesgotável de prazer, mas por incrível que pareça, a quase totalidade, não sente esta sede”.

O CME de Laranjeiras brilha em cada evento

Hoje teremos em Laranjeiras do Sul, mais um evento promovido pelo Conselho da Mulher Empresária, o Desfile Primavera Verão 2019/2020. Certamente será mais uma promoção de sucesso.

O Conselho, atualmente capitaneado pela empresária Rúbia Gava, vem se destacando há anos,  realizando, inovando e criando eventos que têm feito a diferença em muitas áreas.

Isso demonstra  agilidade e dinamismo que fazem parte do cotidiano destas empreendedoras, que se sobressaem, não só na área empresarial, mas como promoters, donas de casa, mães e esposas.

Em algum lugar está escrito:

“Ser Mulher é ser alguém que carrega na sua essência a luz da vida, a esperança do amanhã, o calor do amor. Ser Mulher é ser mãe, é ser amiga, é ser companheira. Ser Mulher é ser guerreira!”,

O momento para as mulheres no empreendedorismo parece ser mais promissor do que nunca. As mulheres empreendedoras estão conquistando cada vez mais espaço e ganhando impulso – e isso é muito bom! Não só para as mulheres, mas para a sociedade como um todo.

Muitos estudos comprovam que as mulheres no empreendedorismo investem mais do que os homens em educação e saúde e que os países em que as mulheres têm maior participação econômica são mais desenvolvidos.

De acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria americana Zenger Folkman, elas formam equipes melhores, são gestoras mais respeitadas e avaliam com clareza os recursos necessários para atingir uma meta. As habilidades de liderança do século 21, como cooperação, comunicação e compartilhamento, são geralmente associadas às mulheres. O papel da mulher no empreendedorismo se destaca também na liderança.

Essa é uma constatação clara que o processo de empoderamento das mulheres traz resultados positivos para as empresas e por isso não deveria ser visto apenas como uma ação social, mas também como uma oportunidade de desenvolvimento empresarial.

Portanto, assim como os demais eventos promovidos pelo Conselho da Mulher Empresária de Laranjeiras, certamente o Desfile Primavera Verão 2019/2020, que acontece hoje no ITC, será um sucesso, não tenham dúvidas disso!

Prisão em segunda instância: os prós e contras

Enquanto fechávamos a edição de hoje, assistíamos o julgamento do SFT sobre a validade da execução provisória de condenações criminais, conhecida como prisão em segunda instância.

Deixamos por último o editorial, para podermos relatar aqui o resultado da votação. Mas, como sempre, esses eventos do STF, são muito morosos, refletindo o tempo que cada ministro usa para dar o seu veredito. Na impossibilidade de divulgarmos o resultado, por culpa do horário, vamos nos ater sobre os prós e contras da prisão em segunda instância, assunto que divide o país, não pelas consequências embutida nela e sim jusitificada, em sua maioria em ideologia política.

É sabido que qualquer resultado, favorável ou não, atingirá o preso mais importante do país, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Para quem é contra a prisão em segunda instância:

O princípio de presunção de inocência – previsto no artigo 5º do inciso LVII da Constituição – afirma que “Ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”.  Portanto, isso significa que o processo judicial deveria se esgotar antes da prisão do réu. Nesse sentido, segundo alguns, esse é um direito constitucional que estaria sendo desrespeitado pelo novo entendimento do STF. Outra argumentação é que a relativização no processo penal vai permitir a relativização de outros direitos fundamentais. É uma porta que se abre.

Para quem é a favor da prisão em segunda instância:

Os recursos aos tribunais superiores, como o STF e o Supremo Tribunal de Justiça (STJ), não têm como objetivo julgar o mérito individual de cada caso. Ou seja, o objetivo principal é proteger os princípios constitucionais. Isso pode apenas indiretamente beneficiar um ou mais réus. O ministro Luís Roberto Barroso mencionou várias situações em que o réu foi condenado em segunda instância e passou vários anos em liberdade ou até mesmo não chegou a ser preso. Como exemplo, o ex-senador Luís Estevão foi condenado em 1992 por desviar R$ 169 milhões de uma obra. Depois de apresentar mais de 30 recursos aos tribunais superiores, o processo contra ele se arrastou por vinte e quatro anos. Assim, o argumento é de que em todos esses casos a condenação em segunda instância evitaria a impunidade ou a postergação do cumprimento das penas.

O modelo de prisão antes do trânsito em julgado, não é exclusivo do Brasil. Entre os países que o adotam estão Inglaterra, Estados Unidos, Canadá, Alemanha, França, Portugal, Espanha e Argentina.

A propósito ao fecharmos esta edição o placar pró-prisão em segunda instância era de 3 votos a 1.

Esporte de rendimento é coisa séria!

Noticiamos com exclusividade na página de Esportes de hoje (23), o imbróglio envolvendo Medianeira e Ivaiporã, equipes da Série Bronze do Campeonato Paranaense de Futsal. A equipe do Oeste do estado, que se classificou nos pênaltis para as quartas de final, pode perder a vaga por descuido enorme. O atendente medianeirense Gilberto Antunes Duarte foi expulso no confronto de ida, mas teria participado do confronto de volta, não cumprindo suspensão.

A infração foi notificada pelo quarteto de arbitragem e denunciada pelo Ivaiporã, que com aval da Federação Paranaense foi ao Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-PR). Se o órgão acatar o pedido e o caso for a julgamento, o Medianeira pode até ser eliminado do estadual.

Para quem não conhece a realidade do time alvo da polêmica, o Medianeira é uma equipe candidata ao acesso à Série Prata e que possui um investimento considerável. Tudo pode ir por água abaixo por conta de um descuido amador.

Não é a primeira vez que nos deparamos com situações como essa. Quem não se lembra da Portuguesa em 2013, quando foi rebaixada para a Série B do Brasileirão por conta da mesma situação, só que nesse caso era um jogador quem não cumpriu suspensão.

O trabalho de toda uma temporada, a dedicação de profissionais e o apoio depositado pelos apoiadores entram em choque em situações como essa. É como dizem por aí: “que sirva de lição”. Que sirva de lição para os clubes, que ao adentrarem em uma competição tão importante, não basta apenas fazer um bom investimento e se atentar ao rendimento dos jogadores. É necessário prestar atenção quanto à burocracia, se preciso ter o regulamento “debaixo do braço”, mas não correr o risco de cair em uma erro tão amador.

Dinheiro em boa hora

Em meio ao cenário de queda de receita, a verba arrecadada com a exploração de petróleo pode aliviar o final do ano nas prefeituras. No entanto, prefeitos temem que na Câmara dos Deputados – onde o projeto tramita após ser aprovado no Senado – sejam determinadas vinculações dos repasses para áreas específicas.

 A divisão do R$ 1,4 bilhão destinado para prefeituras leva em consideração as faixas populacionais registradas pelo IBGE, mesmo cálculo usado para dividir o Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

O texto aprovado no Senado na noite de terça-feira prevê que os estados e municípios recebam os recursos em até 30 dias após o leilão dos campos de petróleo na camada pré-sal, marcado para 6 de novembro. Segundo o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM), a intenção dos parlamentares na Casa é avançar rapidamente na reforma do pacto federativo, que tem na distribuição das verbas do pré-sal o primeiro passo. Dessa forma, a proposta deve entrar em vigor ainda este ano e os municípios receberão os recursos até dezembro.

O Paraná receberá mais de R$ 1,2 bilhão dos recursos do leilão. Desse total, R$ 494,4 milhões ficarão com o governo do Estado, e outros R$ 714 milhões serão divididos entre os 399 municípios paranaenses, segundo cálculos da Confederação Nacional dos Municípios (CMN).

Os municípios da Cantuquiriguaçu receberão quase R$ 30 milhões, no entanto o recurso não pode ser usado para o pagamento do funcionalismo público – uma das maiores dificuldades dos prefeitos nos últimos anos –, mas poderá ajudar no equilíbrio das contas de final do ano, o que aliviará os cofres de várias cidades e ajudará na quitação dos vencimentos.

 O recurso que seria usado para pagar fornecedor ou algum investimento pode acabar liberado para pagar os servidores. Para prefeitos que estão com a corda no pescoço essa verba não deve significar muita coisa, já que no fim do ano chegam muitas contas para quitar e elas se tornaram uma bola de neve há tempos. Mas para aqueles que estão próximos de equilibrar as contas será uma ajuda importante.

Na verdade o dinheiro vem em boa hora, mesmo tento que seguir as regras de investimento, certamente ele deve aliviar em muito o caixa de algumas prefeituras que estão encontrando dificuldades em relação aos seus passivos.

Quem protege, vacina!

Hoje é o dia “D”, da vacinação contra o sarampo. Todas as cidades da região, assim como o resto do país, estão mobilizadas para o combate a doença. O Sarampo é coisa séria, uma patologia que pode levar à morte, por isso é preciso encarar com responsabilidade a  necessidade da vacinação.

O sarampo é uma doença infecciosa aguda grave, de natureza viral, propagada por pequenas gotículas expelidas através da fala, da tosse e do espirro. Pode ser transmitida facilmente, podendo ser contraída por pessoas de qualquer idade. A vacinação é a única maneira de se prevenir.

Quem não se vacina não coloca apenas a própria saúde em risco, mas também a de seus familiares e outras pessoas com quem tem contato, além de contribuir para aumentar a circulação de doenças. Tomar vacinas é a melhor maneira de se proteger de uma variedade de doenças graves e de suas complicações, que podem até levar à morte.

A maioria das doenças que podem ser prevenidas por vacina são transmitidas pelo contato com objetos contaminados ou quando o doente espirra, tosse ou fala, pois ele expele pequenas gotículas que contém os agentes infecciosos. Assim, se um indivíduo é infectado, pode transmitir a doença para outros que também não foram imunizados.

Graças à vacinação, houve uma queda drástica na incidência de doenças que costumavam matar milhares de pessoas todos os anos até a metade do século passado - como coqueluche, sarampo, poliomielite e rubéola. Mas, mesmo estando sob controle hoje em dia, elas podem rapidamente voltar a se tornar uma epidemia caso as pessoas parem de se vacinar.

Além de levar os filhos para serem vacinados, é fundamental ficar atento para quais você deve tomar. O Ministério da Saúde tem um calendário de vacinação específico para recém-nascidos e crianças, bem como para pré-adolescentes e adolescentes, adultos, idosos; e ainda para gestantes. Peça mais informações para seu médico.

Então, faça a sua parte e aproveite a oportunidade que está sendo dada no dia de hoje para levar seus filhos para os postos de saúde para serem imunizados contra a doença.

A força da mulher rural

Quando se trata de pequenos e médios produtores rurais há um ponto em comum na maioria dos casos. A união da família na lida com os trabalhos na propriedade. Com organização e dedicação, famílias atuam e desenvolvem agricultura e pecuária, buscando melhorias e inovações para um melhor desempenho e diversificação.

A participação da mulher no campo é primordial, pois em muitos casos é ela quem dá o suporte necessário para que os homens tenham a possibilidade de atuar em mais de uma frente. Mas em outros, a mulher é quem comanda a propriedade, trazendo um espírito empreendedor e um olhar detalhista que faz a diferença.

Atualmente, elas  ocupam cargos de liderança em propriedades rurais, entidades de classe e empresas dos vários elos da cadeia da produção de alimentos. Esse cenário é comprovado com pesquisas e estudos realizados, como a 7ª Pesquisa Hábitos do Produtor Rural, iniciativa da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA) e consultoria Informa FNP, que mostra que uma em cada três propriedades rurais do Brasil possui mulheres em sua equipe de gestão, com poder decisório. Além disso, a pesquisa apurou que 81% dos entrevistados consideraram a mulher de importância vital e muito relevante no campo. Numa atividade cada vez mais complexa e competitiva, na qual as modernas tecnologias ganham cada vez mais espaço nas propriedades rurais, informações consistentes e conhecimento técnico fazem-se extremamente necessários para obter a tão desejada alta produtividade e rentabilidade.

Essa deferência à mulher  esteve inserida em evento realizado ontem em Virmond, o Encontro das Amigas do Leite da Cantu,  que reuniu cerca de 250 mulheres que atuam na atividade leiteira.

Estiveram presentes na oportunidade produtoras de vários municípios da região que acompanharam atentas as palestras sobre manejo, ordenha e qualidade do leite.

Isso demonstra que elas querem mais. Querem se qualificar, querem mais produção, mais tecnologia e mais oportunidades. Essa atitude reflete compulsivamente em mais qualidade de vida,  também para suas famílias e a consequência disso é o desenvolvimento de vários setores da economia o que representa um avanço significativo para toda a região. A propósito, ontem também foi o Dia da Mulher Rural e o evento realizado em Virmond, selou a data com muitas homenagens.