Editorial
O gênero ainda define a recompensa

Marta, a jogadora da seleção brasileira e eleita seis vezes a melhor do mundo, superou até mesmo o Pelé em números de gols marcados pela seleção. A rainha, como é conhecida se tornou a maior artilheira da seleção brasileira completando 117 gols, enquanto que Pelé tem 95 gols marcados com a camisa da seleção.

Ela já provou o seu valor ao mundo, mas nem isso fez com que ela tivesse um patrocínio a sua altura. Desde o ano passado ela joga sem patrocinador, porque segundo ela, nenhuma empresa ofereceu valor que chegasse pelo menos perto do que é pago aos jogadores homens. Ao marcar um gol no último jogo, na quinta, ela mostrou o tênis que usava, com as cores azul e rosa, onde pedia igualdade de gênero. E Marta está longe de ser a única a sofrer com essa desigualdade.

Existem muitas empresas que não contratam mulheres porque elas engravidam, por exemplo, e precisar sair de licença maternidade. Ou ainda após os filhos nascerem, normalmente, são elas que tem de se afastar um dia ou outro para cuidar deles quando ficam doentes.

Mas esses são estereótipos que precisam aos poucos serem quebrados. As mulheres já conquistaram tanto ao longo dos anos. Desde poder usar calças, a poder trabalhar, votar.

Hoje em dia isso parece não ser nada, parece tão normal simplesmente ir ao trabalho, dirigindo seu próprio carro. E esperamos, mesmo, que em alguns anos, essa diferença não só salarial, mas de qualquer outro tipo que ocorre pelo gênero, seja coisa do passado e uma fase a mais superada por elas. As mulheres merecem tanto quanto eles serem reconhecidas pelo seu real valor.

 

A vida não tem roteiro

Esta semana foi marcada pelo Dia dos Namorados. Não estamos errados na data prezado leitor, pois, apesar de ter sido na quarta-feira, algumas coisas do dia ainda repercutem e uma delas é um jantar promovido pelo ‘Mais Você’, programa apresentado por Ana Maria Braga.

Assim como muitos outros, o programa presenteou um casal com um jantar romântico. Até aí tudo certo. O problema foi que era uma surpresa para a namorada e a reação dela, ao chegar ao local do jantar não era esperado nem mesmo pelos mais pessimistas.

Após o jantar, que rendeu milhares de comentários e críticas, o casal Pedro e Nicole desabafou nas redes sociais. “Todos nós gostaríamos que nossas vidas fossem perfeitas como pregam nas redes sociais, ainda mais numa data chamada dia dos namorados, onde o propósito maior é o amor. Mas a vida é imperfeita, assim como os amores fora das novelas”.

E essa nota diz tudo sobre a vida real de cada um de nós. Antes mesmo de aceitar participar, Pedro disse que a namorada era tímida. E como ela, existem muitas namoradas e também namorados tímidos na vida real. E está tudo certo. Porque cada pessoa tem uma peculiaridade, é diferente uma da outra e que bom que são. Já imaginou que chato seria se fossemos todos iguais? Se todos pensássemos da mesma forma?

A vida real é diferente das novelas, onde o casal protagonista sofre, sofre e no final fica junto. Fora das telas, nós somos os protagonistas da nossa história. Nós fazemos os dias bons ou ruins, isso depende somente de nós mesmos. Então, que tal começar a melhorar a sua vida agora? É só querer e ir atrás para isso acontecer.

 

 

 

E agora Moro?

O juiz Sergio Moro está vivendo seu primeiro inferno astral, após assumir o cargo de ministro no governo Bolsonaro.Esta semana foi publicada uma informação, no site The Intercept Brasil, a respeito de determinados fatos ligados à operação Lava-Jato. Substancialmente, o presente texto versa sobre um dos assuntos: a notícia de que um magistrado possa ter orientado a atuação do Ministério Público.

Primeiramente, as coisas devem ser vistas com cautela. A presunção de inocência deve ser dada a todos, então é necessário analisarmos primeiro se esses fatos são verdadeiros. É importante registrar também que a fonte é anônima, o que, ao menos, em tese, até para justificar medidas de investigação, tem que ser visto com certo comedimento, a menos se forem preservadas as regras da jurisprudência pré período de exceção processual.

Considerando a possibilidade de serem fatos falaciosos, devem ser apurados e, eventualmente, os causadores da mentira precisam ser investigados. Mas, se forem verdadeiros, eles são graves, porque, por um lado, ainda que houvesse uma investigação por fatos sensíveis, não se pode, decisivamente, consagrar o direito penal de exceção.

O sr. ministro diz, em entrevista, que juízes conversam com advogados e policiais. Isso é obvio, é um atributo de civilidade e um dever inerente ao cargo. Mas não se trata de conversar, e sim de orientar, de dirigir a atuação ministerial.

Se verdadeiro, viciaria a imparcialidade do julgador, e, uma vez inquinada, neste caso, isso mal fere toda prova produzida. Afinal, qual é o grau de imparcialidade de um juiz que auxilia e orienta os investigadores e promotores?

Confirmando o dito popular

Que ele não é santo todo mundo sabe, pois ao longo dos últimos dias, Neymar, principal estrela da seleção brasileira, se tornou o centro das atenções do interesse público às vésperas da Copa América 2019. E por uma questão que vai além de seu futebol e da preparação da equipe do treinador Tite para a disputa do torneio continental em casa. No sábado, 1 de junho, a imprensa divulgou o registro de um Boletim de Ocorrência feito em uma Delegacia da Mulher em São Paulo no dia anterior, no qual uma brasileira acusa o jogador de estupro. O episódio, segundo ela, aconteceu em 15 de maio em um hotel em Paris, onde o atacante joga. Desde a acusação, o jogador expôs fotos e conversas com a mulher através de seu Instagram, seu pai saiu em sua defesa, confirmando que aconteceram dois encontros entre Neymar e a moça em Paris, e um laudo médico apontou hematomas e arranhões no corpo da brasileira.

No entanto, há controvérsias. Pois a suposta vítima também não é santa, uma vez que as últimas informações apontam que a modelo que o acusa de estupro, já teve um boletim de ocorrência contra ela. Na denúncia, o seu ex-marido afirma que durante uma discussão foi atingido por uma facada.

Longe do interesse de defender nem acusar quem quer que seja, chamamos o leitor para uma reflexão sobre o caso e as possibilidades que o circundam.

Muita gente aposta que a modelo forjou uma situação para tentar extorquir o atleta, acreditando que ela criou um factoide e pelo jeito parece que tem coelho neste mato, pois dois advogados já desistiram de defendê-la.

Mas, por outro lado, o comportamento de Neymar dá margem para aqueles que acreditam na versão da moça. Imagens apresentadas pelas redes de tvs, mostram a todo momento a agressão de Neymar contra um torcedor entre outros episódios que colocam o caráter do atleta em cheque.

O certo é que Neymar não atravessa um bom momento e se não bastasse toda a polêmica ele ainda foi cortado da seleção por contusão.

Pelo menos agora ele terá tempo de se dedicar à resolução do problema criado pelo encontro amoroso com a Najila Trindade Mendes de Souza que está em busca de um novo advogado.

Por enquanto a corda só arrebentou para o repórter Mauro Naves que foi afastado do esporte da Globo por envolvimento no caso.

Só para confirmar o velho ditado: “a corda arrebenta sempre do lado mais fraco”.

Editorial Correio do Povo do Paraná de 6 de abril de 2019

Especialistas afirmaram que providências para reduzir as mudanças climáticas precisam ser tomadas, pois os efeitos já prejudicam a sociedade e setores da economia brasileira. Entre os anos de 1961 e 2017, o Brasil ficou de 3° a 4°C mais quente, de acordo com a Rede Clima, a Rede Brasileira de Pesquisas Sobre Mudanças Climáticas Globais.

Segundo dados, o Nordeste, por exemplo, já tem maior frequência de períodos de seca na região semiárida, o que afeta as atividades agropecuárias e o nível dos reservatórios de água criados para abastecimento público.

A Rede Clima aponta ainda que a temperatura média do ar no ano passado ficou 0,7°C acima da média registrada entre os anos de 1981 e 2010. Uma publicação do órgão de pesquisa mostra que a maior frequência de temperaturas máximas diárias mata as flores do café, laranja e feijão e muda o processo de germinação das sementes de frutas como maçã, ameixa e uva.

Certo ou não, a verdade é que estamos a 15 dias do início do Inverno e até agora o frio não deu o ar da graça, tivemos ontem um “friozinho” de 7 graus, que está longe das expectativas dos lojistas da região, verem os estoques de roupas quentes baixarem nas prateleiras. No ano passado, nesta mesma época, as temperaturas atingiram a marca negativa em várias cidades, com Entre Rios, em Guarapuava, registrando no dia 08 de junho, a marca de -3,5 graus.

Mas, por enquanto, a onda fria fica só na expectativa dos lojistas e daqueles que cultuam o Inverno e aproveitam para tomar um bom vinho acompanhado de um prato bem quente e com muita caloria, ou o quentão das festas juninas, para amenizar o ar gelado que nesta época do ano se faz presente por essas bandas. Só que até agora, veio apenas um arremedo de frio e a previsão para os próximos dias, segundo o Simepar, é de temperaturas amenas até o dia 19 de junho, com média de 12 graus, longe do que estamos acostumados a ver neste período do ano.  A situação anda tão feia, que até o Inverno está encolhendo.

Crueldade não tem limites

Cada dia somos bombardeados de notícias trágicas, sórdidas, de uma perversidade que parece não ter limites. Quando achávamos que um fato tinha chegado ao máximo da bestialidade do "fim do mundo", da desumanização do ser humano, eis que surgem novas histórias ainda mais chocantes.

No último dia 31 de maio, uma mulher matou e esquartejou o filho de 9 anos com ajuda da namorada, em Samambaia, região administrativa do Distrito Federal.

A mãe da criança, Rosana Auri da Silva Cândido, 27, e sua companheira Kacyla Pryscila Santiago Damasceno Pessoa, 28, confessaram ter cometido o crime.

Em depoimento à polícia, as mulheres afirmaram que Rhuan Maicon foi morto com uma facada no coração enquanto dormia. Depois de terem cometido o crime, elas esquartejaram o corpo e tentaram queimá-lo em uma churrasqueira.

Sem dúvidas, uma crueldade sem limite. Mas, como uma pessoa pode cometer um ato tão cruel com o próprio filho?

Estudos do comportamento humano mostram que todos nós temos potencialmente uma índole boa e um lado ruim e cruel, ainda que este seja "domesticado" pelas leis, religião, moral e ética. Somos resultado daquilo que já nasce conosco chamado personalidade, que se soma com as influências do meio ambiente onde desenvolvemos nossa cultura, religiosidade, formação social e familiar, que será moldado por algo que é adquirido, que é o caráter.

O cotidiano violento sem fronteiras que impera no país, nos faz refletir que o nosso lado mais cruel, maldoso, sádico, tem superado o lado humano, generoso e cristão.  Exemplos como o de Brasília, demonstra bem esse quadro de desrespeito à vida e desvalorização ao próximo que vivemos hoje. 

Doe vidas

Estamos a 17 dias do inverno e o clima já está mostrando que a estação mais fria do ano se aproxima. A partir de hoje as temperaturas começam a baixar na região e logo logo vem as geadas.

Com o frio, a tendência é que fiquemos mais em casa, embaixo do cobertor e comendo muito, que é o que a gente mais faz nessa época.

Além disso, essa é a estação que registra os maiores índices de infecções respiratória, além de ser a temporada de vestibulares e de férias escolares. Consequentemente a isso, é o período em que se costuma registrar grandes quedas nos estoques de bancos de sangue.

Por conta disso, começou no sábado a campanha ‘Junho Vermelho’. De acordo com uma pesquisa feita em 2017 pelo Eu Dou Sangue em parceria com o Instituto Datafolha, cerca de 92% dos brasileiros disseram não ter doado sangue entre junho de 2016 e junho de 2017. De acordo com o levantamento, além do recesso e do clima mais frio, feriados e dias chuvosos também impactam negativamente os hemocentros, que costumam registrar queda de 30% em seus estoques no período.

Cerca de 92% dos brasileiros não doaram sangue entre junho de 2016 e junho de 2017

Os dados também mostraram que 39% dos brasileiros admitem não saber qual é seu tipo de sangue. A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é de que cada país tenha, entre 3% e 5% de sua população doadora de sangue frequente. No Brasil, o índice fica em 1,8%, enquanto em alguns países da Europa, cerca de 7%.

Com a intenção de que essa não seja a realidade desse ano, serão feitas ações especiais durante a semana do Dia Mundial do Doador de Sangue, que é comemorado no dia 14 de junho.

Por isso, fica aqui o pedido para as pessoas que puderem fazer um grande gesto de doar sangue que o faça, principalmente nesta época do ano. Somente aqueles que enfrentam uma dificuldade e precisam da doação para que familiares ou amigos possam sobreviver sabem da importância desse ato. É um pequeno gesto, individual e gratuito, mas que pode salvar muitas vidas.

É o fim da teledramaturgia! Ou não?

A telenovela, do jeito que conhecemos, pode estar próxima do fim. Considerado o principal produto da televisão brasileira desde o fim da década de 1960, o modelo parece perder força em meio às novas tecnologias da comunicação, como as redes sociais e até outras opções de entretenimento mais flexíveis, como o Netflix.

A plataforma de streaming possibilita que o espectador assista filmes e séries – estas últimas em um formato idêntico às novelas – em qualquer hora e dispositivo, como celular, TV ou computador. Em 2013, quando a Netflix ainda ganhava espaço, as novelas da Globo, principal emissora brasileira e uma das que mais produz o formato no mundo, já vinha tendo problemas com a perda de público com suas histórias.

E se haviam “patriotas” que torciam o nariz contra as séries estrangeiras, esse cenário já indica mudanças.

“Coisa Mais Linda”, que estreou este ano, foi produzida no Brasil e, inclusive, com artistas que já trabalharam em novelas, como Maria Casadeval. Com alto investimento, o novo modelo de entretenimento vem ampliando cada vez mais o seu público. Mas e as produtoras nacionais de novelas? Ao que indica, a Globo já vem se atentando a tendência. A atual novela das seis, Órfãos da Terra, tem seu capítulo diário disponibilizado um dia antes no Globo Play, aplicativo da mesma espécie do Netflix. É a primeira vez que a emissora carioca toma uma medida como essa, que notoriamente, visa, desesperadamente, se adequar aos novos tempos, criando um novo jeito de se ver novela.

Em audiência, o produto segue demonstrando potência: a atual novela das nove, A Dona do Pedaço, que estreou na semana passada, vem conseguindo bons índices, os melhores dos primeiros capítulos de uma trama desde 2013. Mas até quando? Terá a Globo força de investimentos para competir com as produções internacionais? Ganhará espaço no modelo de streaming? Ou será que o tão famoso produto da cultura nacional está com seus dias contados?

Ponderar o imponderável

O Brasil é mesmo um país “sui generis”. O poderoso Supremo Tribunal Federal (STF) considerou inconstitucional o trecho da reforma trabalhista que abriu a possibilidade de gestantes e lactantes trabalharem em atividades insalubres.

Mas, quem foi o gênio que pensou contrário? Só pode ter sido um tecnocrata sem a mínima sensibilidade para propor uma atrocidade dessas.

Como questionou o ministro Alexandre de Moraes, relator do caso: Quem de nós gostaria que nossas filhas, irmãs, netas, grávidas ou lactantes, continuassem a trabalhar em ambientes insalubres?

Só mesmo quem sugeriu a mudança e seus seguidores, no caso o presidente Michel Temer.

Quem pensava que ele só é parecido fisicamente com o Drácula, talvez repense e o assemelhe também em alma com o conhecido vampiro.

Com perdão da comparação, mas não há como não ligar, uma coisa com a outra.

Felizmente o bom censo prevaleceu e por 10 votos 1, a Corte confirmou liminar proferida em maio pelo ministro Alexandre de Moraes, suspendendo a norma.

Mas a decisão, por incrível que pareça, não foi unânime, uma vez que o Ministro Marco Aurélio divergiu dos pares.

No entanto com a decisão fica valendo a regra anterior. Com o texto antigo da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), antes da reforma aprovada em 2017, a gestante deverá ser afastada de atividades e locais insalubres, devendo ser realocada em outro tipo de serviço. Não sendo possível, a empregada será afastada e terá direito a receber salário-maternidade.

Agora, uma pergunta que não quer calar. Precisava o STF se reunir, gastar horas de trabalho, para discutir um assunto tão óbvio como este? Seria insana uma decisão contrária!

Viva hoje

A morte prematura e repentina do músico Gabriel Diniz, que ficou conhecido em todo o país pelo hit ‘Jenifer’ causou grande comoção nas pessoas, mesmo em quem não é fã da música sertaneja. Isso porque, uma morte como essa, mostra o quão frágil é a vida. Afinal, podemos morrer a qualquer hora.

Uma outra notícia que chamou muito a atenção ontem foi a de que um milionário árabe ficou comovido com as imagens de um garoto peruano que viralizaram em redes sociais, e resolveu ajudá-lo. O vídeo mostra o menino de 12 anos estudando na rua para aproveitar a iluminação pública, já que sua casa não tinha eletricidade.

O milionário decidiu construir uma casa nova para o menino e sua família, além de financiar um pequeno negócio para sua mãe e presenteá-lo com US$ 2 mil, segundo informações de um jornal local.

Pode parecer que os assuntos não têm relação, que não falam sobre a mesma coisa. E realmente não falam. Um descreve uma morte trágica e a outra sobre a uma ação.

Mas a mensagem que queremos passar é que a vida é tão curta e ao mesmo tempo tão boa que não podemos desperdiçá-la.

Se pudermos ajudar alguém devemos ajudar. Se puder fazermos uma boa ação, seja com doação ou as vezes até uma palavra amiga, que em muitos casos pode ser o suficiente para tornar o dia de uma pessoa melhor.

Então, como já dizia Legião Urbana: “É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã, porque se você parar pra pensar na verdade não há”.