Editorial
Por ordem de relevância

O foco da semana deveria ser a Reforma Previdenciária que mexe com a vida de milhões de brasileiros. Quem é que não tem um aposentado ou alguém prestes a se aposentar na família?

 


O Congresso esta semana esta focado em dois temas da maior importância. O aborto e o casamento gay.

Até parece que dos 150 milhões de brasileiros, a maioria está inserida nesses contextos. Lógico que não!

O foco da semana deveria ser a Reforma Previdenciária que mexe com a vida de milhões de brasileiros.

Quem é que não tem um aposentado ou alguém prestes a se aposentar na família?

Mas é sempre assim, quando se tem uma matéria de relevância os nosso parlamenteares saem lela culatra e valorizam assuntos que n]ão dizem respeito à maioria. Deveria ser assim em uma democracia, mas aqui não é.

A reforma da Previdência deveria ser o principal tema em debate na Câmara dos Deputados nesta semana, uma das últimas da sessão legislativa. Mas enquanto os aliados do governo, favoráveis à aprovação da reforma neste ano, continuam insistindo no convencimento dos deputados para votar a favor da reforma, os contrários à proposta atuam em caminho diverso.

Mesmo os governistas têm afirmado que ainda não contam com os 308 votos necessários para aprovação de Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 287/2016, que altera as regras do sistema previdenciário.

O deputado Rodrigo Maia, responsável por pautar a votação da PEC, tem afirmado que só colocará a matéria em votação quando houver garantia de votos suficientes para aprová-la. Ele já admitiu que, se não for possível aprovar a PEC ainda este ano, a votação poderá ficar para depois do carnaval de 2018. Maia defende a aprovação da reforma para que o país volte a crescer.

Mas vale explicar aqui, que ninguém é contra que se discuta o aborto e o casamento gay, o que se questiona é a urgência destes temas, comparados à reforma previdenciária.

Há um certo consenso de especialistas acerca da reforma da Previdência no que tange à sua necessidade. Eles divergem, contudo, acerca das medidas. Alguns dizem que como a estimativa de vida aumenta com os anos, haja vista a qualidade de vida do brasileiro ter melhorado, daqui a um tempo haverá o que eles chamam de “inversão da pirâmide etária”, que significa dizer que serão mais aposentados e os cofres da Previdência não suportariam, pois a arrecadação seria insuficiente para arcar com os benefícios.

É importante trazer também que o projeto do Governo Michel Temer está sofrendo duras críticas no que diz respeito as regras para os militares das Forças Armadas e das Polícias Militares, já que para essa categoria as regras não mudam, trazendo dessa feita uma sensação de privilégio perante às demais categorias.

É certo que alguma coisa precisa ser feita mas com equilíbrio,de forma igualitária, sem privilégios, pois como frisamos acima, o trabalhador está cansado de ver seus interesses serem subjugados pelo poderio econômico ou pelas minorias que contam com a simpatia da grande mídia e consegue manipular decisões dos congressistas a seu favor.

Por que matar seu filho?

Os três funcionários daquela seção eram bons amigos.

A senhora que ocupava o cargo de chefia era uma espécie de mãe para aqueles dois rapazes.

O horário de expediente não era próprio para intensificar a amizade. Por essa razão Ronaldo, casado, convidou o amigo para visitar sua casa.

Raul, o jovem solteiro, passou a frequentar o lar do colega e os laços do afeto se estreitaram também com sua jovem esposa.

Passado algum tempo, o casal comemorava o nascimento da primeira filha, Ana Cláudia.

O tempo passou. Certo dia, Ronaldo chegou ao trabalho meio cabisbaixo, o que não passou despercebido ao amigo, sempre atencioso e sensível.

O que está acontecendo? Perguntou.

Ronaldo disse-lhe que algo o estava preocupando muito e convidou Raul para tomar o cafezinho habitual, alguns minutos antes. Precisava desabafar.

Mal se sentaram à mesa e Ronaldo foi falando: Sabe que minha esposa está grávida outra vez?

E, rápido, completou, aborrecido: Eu não vou aceitar esse filho. Já marcamos o aborto para amanhã cedo. Vamos tirar a criança.

Raul sentiu como se o chão lhe faltasse sob os pés. Como cristão, não conseguia entender como um pai e uma mãe têm coragem de cometer um crime desses.

Ronaldo continuou: Não dá para aceitar um filho logo em seguida do outro. Nossa menina está com apenas dez meses...

Raul agora entendera melhor as razões do amigo e perguntou, com sincera vontade de obter uma resposta séria: Mas, por que você deseja matar seu filho?

A pergunta caiu como uma bomba no coração de Ronaldo. Ele pensara em abortamento, não no que ele representa: um homicídio.

Raul ainda lhe fez mais uma pergunta: E se sua filha vier a morrer, como ficarão as coisas?

Ronaldo ficou desconcertado, abaixou a cabeça, terminou de tomar seu café e voltaram, ambos, para o trabalho.

Naquela noite, Raul rogou com fervor a Deus para que salvasse aquela criança.

No dia imediato, embora ansioso, não teve coragem para perguntar nada. Temia a resposta.

Porém, Ronaldo tomou a iniciativa: Minha esposa e eu não conseguimos dormir esta noite...

O coração do amigo bateu acelerado...

Logo, Ronaldo concluiu: Resolvemos deixar que venha mais um...

Raul explodiu em lágrimas de profunda alegria. Meses depois estava na festa de um ano de Ana Paula, a segunda filha do casal, contemplando, feliz, o paizão exibindo as duas meninas, uma em cada braço.

O tempo passou. Então, retornando de breve viagem, Raul não encontrou o amigo na repartição, e quis saber o que havia acontecido.

A chefe lhe falou: Então, você ainda não sabe?

Não, me diga o que houve. E a notícia o abalou ao ouvir a resposta: A filha mais velha do Ronaldo morreu.

Raul dirigiu-se imediatamente para o lar dos amigos.

Ronaldo chorando, discretamente, com a segunda filha adormecida em seu colo, disse com profunda dor ao amigo:

Quero lhe agradecer por ter salvado minha vida. Se você não tivesse evitado que eu matasse Ana Paula, a essa hora eu já teria matado a mim, movido pelo remorso e pelo desespero.

Ambos se abraçaram e choraram juntos por algum tempo. Entretanto, Raul não esqueceu de agradecer a Deus por ter atendido as suas preces, poupando a vida daquela criança, que agora dormia, serena, no colo do pai, que um dia havia pensado em matá-la, no ventre da mãe.

 

Há controvérsias!

Na vida cotidiana, seja nas relações pessoais ou de trabalho, muitas atitudes são imediatamente julgadas como "certas" ou "erradas". Mas o que está em jogo ao classificar uma ação dentro desses moldes nem sempre está claro - o que é "certo" para um pode ser considerado "errado" para outro. Existem coisas que são universalmente reconhecidas como "certas" e "erradas" ou isso depende sempre do contexto no qual se vive? "Certo" e "errado" são questões absolutas ou relativas? Esse problema, fundamental na ética, nos negócios e na política, é abordado por vários filósofos na tentativa de entender o que se deve fazer.

O comportamento humano é muito complexo. Por isso definir o que é certo ou errado é muito difícil.

São tantas contradições sobre o assunto que poderíamos ficar aqui enumerando-as, quase infinitamente.

Cada comunidade tem o seu próprio conceito, por isso, para manter a ordem foram criadas as leis e as regras que regem o nosso cotidiano.

Mas como são genéricas, há interpretações diferentes.

Então chamem os advogados. Sim são necessários pelo menos dois, que nunca vão concordar com a tese um do outro. Pois bem. Chamem o juiz!

Mas não adianta, a decisão do meritíssimo também será contestada por uma das partes que recorrerá a liminares e recursos para mudar a decisão. Segue o barco; nova instância, nova decisão, novas contestações, novas liminares, recursos; e vamos em frente. Para encurtar, depois de todas as estratégias adotadas e todas as instâncias cumpridas, ainda haverá contestações. No entanto, há um consenso: o que é certo para uns é errado para outros e ponto final. Nisso, todo mundo concorda.

As controvérsias já aparecem quando nascemos, uns nos acham parecidos com o pai, outros com a mãe e outros com o vizinho ou o melhor amigo da família. Só há um consenso, todos sabem quem é a mãe.

Mesmo assim, há controvérsias em relação a fidelidade da mãe.

Viram como somos cheios de erros e acertos?

E o interessante é que quanto mais evoluímos tecnologicamente e em conceitos, nos distanciamos da unanimidade.

Dizem os entendidos que a unanimidade é burra. Mas não. Um exemplo bem simples: Todos sabemos que furar o sinal vermelho é errado. Ninguém discute isso. No caso burrice é o contraditório. De novo o certo e o errado!

Bem. Então vamos falar de um outro antagonismo o Céu e o Inferno. Alguém pode afirmar, “nesse caso há unanimidade, todo mundo vai preferir o Céu”, ledo engano.

Basta pensar que o que é céu para uns pode ser inferno para outros. Podemos citar vários exemplos:

Um lugar muito calmo ou muito agitado, um cenário bucólico ou moderno e urbano. Haverá sempre divergências.

Certo ou errado?

Salve-se quem puder

Como é que vamos cobrar seriedade e exatidão dos nossos políticos se a corrupção está arraigada na nossa cultura?

 

Detectores de metal e de pontos eletrônicos, coleta da impressão digital dos participantes, fiscalização de lanches, entre outras medidas para coibir fraudes.

Não, não é nenhum evento em penitenciária e nem reunião da classe política. São cuidados adotados para evitar fraudes de alunos que pretendem através do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), ingressar em uma Universidade, cursar o ensino superior e quem sabe ser um médico, advogado, engenheiro e até político, porque não?

Mas o que chama a atenção no país da corrupção é que os nossos futuros profissionais já são obrigados a passar por uma prova de honestidade.

Mas de quem é a culpa?

A culpa é dos inúmeros casos de fraudes descobertas em edições anteriores do Enem.

O Enem tem uma tradição de vazamentos. Em 2009, os cadernos do exame foram furtados na gráfica, e o MEC suspendeu o exame. Em 2010, achou-se um vazamento de questões na Bahia. No ano seguinte, outro, no Ceará. Em 2014 houve denúncias em Teresina e em Fortaleza. Além delas, a Polícia Federal chegou à quadrilha mineira que teria vendido as provas para 15 pessoas de Mato Grosso. Coisa de profissionais com 20 anos de experiência e intercâmbio tecnológico com chineses. A turma operava com exames antes da criação do Enem.

As provas podem vazar de duas maneiras, pelo furto das questões antes da prova ou pela transmissão das respostas durante sua realização.

Pois é, como é que vamos cobrar seriedade e exatidão dos nossos políticos se a corrupção está arraigada na nossa cultura? Estamos citando aqui o Enem porque as provas acontecem já no próximo domingo (05).

Mas vamos falar do Seguro Desemprego por exemplo. Só para citar um dos casos, o Ministério do Trabalho identificou uma série de irregularidades no pagamento do seguro-desemprego no setor de transporte de cargas. Entre abril e maio deste ano, auditores da pasta identificaram 2.180 motoristas trabalhando na informalidade, sem carteira de trabalho, sendo que 31% deles recebiam o benefício social mesmo(Não?) trabalhando.

E não para por aí. Vamos lembrar também casos de fraudes no INSS. Em outubro de 2016, a PF implantou uma nova sistemática de trabalho para a detecção de grupos organizados de fraudadores da previdência social. Antes disso, os pedidos com sinais de fraudes eram cadastrados a partir dos dados do requerente dos benefícios pelo INSS e enviados a PF para investigação.

Com esse novo método de investigação, chegou-se a um escritório de advocacia. Com a colaboração da unidade de Inteligência Previdenciária, teve acesso a 150 pedidos feitos por meio deste escritório, todos eles com irregularidades como o fornecimento de informações falsas e o uso de documentos falsos, gerando um prejuízo de R$ 14 milhões à Previdência Social.

E anote, estes exemplos são apenas alguns de tantos que foram descobertos ou que estão sendo investigados pela PF.

Vendo isso, fica fácil entender porque tanta cautela em relação ao Enem. Que nos perdoem os brasileiros do bem, mas é difícil acreditar em honestidade, observando tanto descalabro.

Infelizmente temos que admitir que o Brasil se transformou no país do salve-se quem puder!

Amar mais

“Depois de três dias, o (Jesus) encontraram no templo, sentado entre os mestres, ouvindo-os e fazendo- lhes perguntas. Todos aqueles que ouviam o menino ficavam maravilhados com sua inteligência e suas respostas. Quando o viram, seus pais ficaram comovidos, e sua mãe lhe disse: “Filho, por que agiste assim conosco? Olha, teu pai e eu estávamos, angustiados, à tua procura!” Ele respondeu: “Por que me procuráveis? Não sabíeis que eu devo estar naquilo que é de meu Pai?” Eles, porém, não compreenderam a palavra que ele lhes falou. Jesus desceu, então, com seus pais para Nazaré e era obediente a eles. (Lc.2.46-51)

Por que Jesus Cristo não avisou Maria e José sobre o seu trabalho no templo? Isto Ele não fez por acaso. Ele quer nos ensinar alguma coisa. Tudo indica que o comportamento dele era uma mensagem. Ele avisou os seus pais que Ele é um filho que obedece mais a Deus do que aos pais. “Não sabíeis que eu devo estar naquilo que é de meu Pai?” Ele nos ensina que devemos sempre cumprir a vontade de Deus sem nos preocupar se isto agrada ou não até mesmo aos nossos pais.

Aconteceu que uma moça fugiu da casa dos pais desobedecendo a sua ordem. Ela pecou? Vamos ver. Por que ela fugiu da casa dos pais? Pois os pais arrumaram um casamento para ela com um homem rico mas divorciado. Ela não poderia se casar com ele na igreja. Segundo os ensinamentos de Jesus Cristo ela viveria em adultério e não poderia comungar. Ela desobedeceu a ordem dos pais, pois os pais quiseram leva-la ao pecado. Ela pecou desobedecendo os pais? Não! Ela agiu certo. Ela amou Jesus Cristo mais do que os seus próprios pais.

“Quem ama pai ou mãe mais do que a mim, não é digno de mim. E quem ama filho ou filha mais do que a mim não é digno de mim. E quem não toma a sua cruz e não me segue, não é digno de mim.” (Mt.10.37-38)

As exigências de Jesus Cristo são grandes, até assustam. Por que são tão grandes? Pois a “Mercadoria”, a Vida Eterna nos Céus é de um imenso valor. São Paulo Apóstolo nos lembra disso: “Mas, como está escrito (Iz.64.3) “o que Deus preparou para os que o amam é algo que os olhos jamais viram, nem os ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu”. (1Cor.2.9)

Óh! Meu Jesus, me abençoe, para que eu tenha coragem de defender o meu amor ao Senhor, custe o que custar, diante dos homens que não amam o Senhor. Amém.

Senado reestabelece a democracia: que democracia?

A renovação tem que passar pelos dirigentes políticos, e isso começa pelos diretórios

O editorial é o espaço onde o jornal expressa a sua opinião sobre fatos relevantes que estão acontecendo, seja na nossa cidade, região, país ou mundo. Ao nos depararmos com a folha em branco na tela do computador passa um filme dos últimos acontecimentos e aí decidimos sobre qual vamos escrever. O assunto de hoje, embora não seja nenhuma novidade, porque ninguém duvidava que os senadores devolvessem o cargo a Aécio Neves. É, mais uma reflexão dos caminhos dicotômicos, que tomou a democracia brasileira.

Não é de hoje que cobramos a necessidade de melhorarmos a qualidade de nossa democracia. Apesar de sabermos que não é o regime que vai mudar alguma coisa. De nada vai adiantar uma reforma política, mesmo que radical, e não o arremedo que foi a brasileira, se a cultura adotada pelos nossos governantes não mudar. Governantes entenda-se como os três poderes juntos, porque é dali que saem as decisões. Muitos apostam numa renovação total nas próximas eleições, agora se o atual sistema for mantido é chover no molhado, de que vai adiantar se os partidos que lá estão representados, que há muito estão afundados numa crise ética, continuarem no poder.

Pode-se questionar, mas se ocorrer uma grande renovação no senado e congresso nacional com caras novas isso pode mudar?  Acreditamos que sim, desde que, a renovação seja geral, inclusive nos diretórios partidários, que eles sejam tomados por pessoas ilibadas, que tenham princípios éticos acima de seus interesses pessoais. Caso contrário continuaremos assistindo o teatrinho do jogo de poder, de um lado o Congresso Nacional, do outro o Supremo Tribunal Federal (STF) e o governo com a batuta na mão orquestrando os próximos passos.

Então não tem solução? Tem, mas passa pela escolha de pessoas comprometidas em mudar o sistema, ou continuaremos com governantes preocupados com uma minoria de privilegiados. E pior continuaremos ao ouvir discursos dos Aécios da vida: “a decisão restabeleceu princípios essênciais de um Estado Democrático, garantindo tanto a plenitude da representação popular, como o devido processo legal, me permitindo comprovar cabalmente na justiça minha inocência em relação às falsas acusações das quais fui alvo”. Bem, ele não deixa de estar certo, afinal perante a justiça todos somos inocentes até que se prove em contrário.

Quanto vale seu voto?

Estamos vivendo em uma sociedade cada vez mais intolerante com aqueles que a prejudicam, principalmente quando envolve negócios e interesses pessoais. A torcida é que o cidadão passe a dar mais importância para a postura ética daqueles que o representam. Ou seja, tornar seu voto não uma moeda de troca, mas sim valorizá-lo para que ele se torne um objeto de mudança. A esperança é que toda essa enxurrada de informações sobre as boas práticas e condutas daqueles que foram eleitos para legislar a favor do povo e não contra, sirva de reflexão para o eleitor na hora de apertar o botão confirma.

Estamos a pouco mais de um ano das próximas eleições, mas precisamos mais que nunca começar a pensar numa forma de fortalecer essa ideia de tornar nosso voto útil no processo de mudança. Hoje existe uma cultura quase que institucionalizada de compra e venda de votos, um hábito famigerado que não vai mudar da noite para o dia. A única forma de mudar o atual sistema está no cidadão e isso pode levar duas ou três eleições, basta que o eleitor não vote em quem se propuser comprar seu voto. Infelizmente é uma coisa antiética, afinal é como vender algo e não entregar, ou então se você, ao contrário de quem se propôs comprar seu voto é ético, denuncie o fato, só assim poderemos contribuir para eleger políticos mais éticos comprometidos com uma sociedade mais justa.

O país vive uma crise ética sem precedente, dentre os mais de 500 deputados federais e os mais de mil estaduais, alguns se salvam e nunca foram citados em nenhum tipo de falcatrua, infelizmente são poucos. Não podemos nos eximir da culpa, afinal o voto que os elege é nosso. Alguns vão pensar, mas meu voto é só um e não vai influenciar. Reflita isso na próxima eleição e lembre-se que provavelmente outros milhares de eleitores estão pensando a mesma coisa. Portando meu caro, cada voto é importante e ele precisa ser pensado muito antes do dia da eleição. Pesquise o passado do seu possível candidato e antes de decidir compare com os demais candidatos, faça uma reflexão ética e só depois disso, aperte o botão confirmar.

Ataque é a melhor defesa. Será?

 


É ilegal e não revela nada comprometedor. Essa é a principal alegação que a defesa do presidente Michel Temer usará hoje para se defender da gravação de uma conversa com Temer feita pelo empresário Joesley Batista em março deste ano.

O documento que tem cerca de 100 páginas, será entregue à tarde à Comissão de Constituição e Justiça.

advogado Antônio Cláudio Mariz de Oliveira afirmou à TV Globo que lançará um desafio a Janot: que apresente algum indício de que Temer era beneficiário dos R$ 500 mil entregues em uma pizzaria de São Paulo ao ex-deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), ex-assessor especial do presidente.

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) da Câmara, deputado Rodrigo Pacheco (PMDB-MG), disse que a comissão pode concluir a apreciação da denúncia feita pela Procuradoria-Geral da República contra Temer até o próximo dia 12. Se a data se confirmar, o plenário da Câmara poderá iniciar a discussão do processo no dia 13 e encerrar antes do recesso parlamentar, previsto para começar no dia 18, como defendem os aliados do governo.

Enquanto isso, mudando de saco para mala, mas ainda falando em política, o senador Aécio Neves retornou ao Senado após 45 dias de afastamento por determinação judicial. Ele discursou ontem e voltou a se declarar inocente das acusações de que tenha recebido propina do dono da JBS, Joesley Batista.

O senador reiterou os argumentos que já tinha utilizado ao divulgar notas públicas, declarando ter sido vítima de uma armadilha de Batista com o intuito de obter vantagens em um acordo de delação premiada.

O discurso de ambos os líderes políticos é o mesmo: são inocentes, até que se prove o contrário.

Para quem espera ver Temer fora da presidência pode aguardar sentado como diz o ditado. Afinal, já estamos em meados de 2017 e até agora nada.

As acusações contra Aécio vão seguindo pelo mesmo caminho, já que ele foi afastado logo após a delação do dono da JBS e ainda teve o primo e a irmã presos.

No entanto, assim como os milhares de casos envolvendo políticos, essa é mais uma poeira que indo para debaixo do tapete. Uma hora alguém varre de lá para resolver ou esquecem de vez.

Anarquia dos Resistentes

No editorial de hoje vamos falar sobre a "Lei" que impera no Acampamento Herdeiros da Terra, aqui bem perto, no interior de Rio Bonito do Iguaçu. Lá a polícia não tem vez! Simplesmente não pode entrar. É a lei própria ou à revelia dela, ou ainda, o que é mais grave, desrespeito à Lei.

Mas como isso é possível? E a Constituição Federal?

Na verdade, o que se vê é uma afronta à Sociedade Organizada o que vem acontecendo naquele Acampamento.

Nos últimos 15 dias tivemos duas ocorrências onde bandidos encapuzados roubaram um mercado e atearam fogo no estabelecimento, que teve perda total. Outra ação, com o mesmo "modus operandi" foi registrada no último sábado, quando uma residência também foi alvo de incêndio provocado por homens encapuzados.

Sabe o que aconteceu? Nada. Absolutamente nada.

Nenhum Boletim de Ocorrência registrado. Nenhuma incursão policial no local. E o que é pior: “Lá a gente não pode entrar. Eles proibiram o acesso da polícia no local", disse um policial que pediu para não ser identificado.

Mas qual o poder legal que essa "turma" tem para impedir o acesso de policiais ao local e de fazer, eles mesmos, as investigações. Isso no mínimo é estranho, para não dizer uma afronta às autoridades constituídas.

E a Lei no regime democrático não deve ser igualitária?

Essa prerrogativa do Acampamento Herdeiros da Terra tem a ciência do Judiciário? E a sociedade constituída vai permitir esse ultraje?

É temeroso, pois caso esse estado de exceção persista, pode-se criar, com a conivência das autoridades, uma região que irá abrigar foras da lei. Isso é perigoso! Um precedente que pode atrair bandidos para um local em que policiais são impedidos de entrar.

E o homem honesto, o trabalhador sem-terra, que está ali com a esperança de ganhar o seu pedaço de terra, como fica?

A propósito, Anarquismo é uma ideologia política que se opõe a todo tipo de hierarquia e dominação, seja ela política, econômica, social ou cultural, como o Estado.

O anarquismo social ou de massas enfatiza a noção de que apenas movimentos de massa podem ser capazes de provocar a transformação social desejada pelos anarquistas, e que tais movimentos, constituídos normalmente por meio de lutas por reformas e questões imediatas, devem contar com a presença dos anarquistas, que devem trabalhar no sentido de radicalizá-los e transformá-los em agentes revolucionários.

Talvez isso explique tamanha insensatez.

O Brasil que sonhamos, não é o mesmo DELES

Quem nunca ouviu essa frase: “Brasil é um país extraordinário com pessoas incríveis, paisagens lindas e uma energia contagiante, terra do samba e do futebol”? Bem, se avaliarmos pela última copa do mundo, a terra do futebol, já faz parte de uma história. E se formos destrinchando os outros componentes da frase, vamos perceber que sobrou pouca coisa para se vangloriar. As pessoas continuam incríveis, mas vivem envergonhadas de seus representantes políticos, muitas quando em viagem pelo exterior têm vergonha de admitir que seja brasileiro. Sem dúvida que é um país extraordinário, mas sua população vai dormir com medo de acordar pela manhã em meio há um novo escândalo provocante por um ente político que foi eleito para defender os direitos do cidadão.

Li dia destes um artigo de Ricardo Amorim, com o título 'Somos todos desonestos', lá ele conta a história de uma jovem idealista que resolveu entrar para a política com o objetivo de mudar o país para melhor. Vale a pena investir alguns minutos lendo, você pode localizar no site: http://ricamconsultoria.com.br. Ali conseguimos perceber que o bom político ou aquele idealista dentro de um sistema corrupto não vai a lugar nenhum. Num dos parágrafos ele destaca que o brasileiro se acostumou com a corrupção. A percepção é que a maioria é corrupta. Trouxas são os que não aproveitam as oportunidades de benefícios próprios que determinados cargos ou situações criam.

Voltando para nossa realidade, percebemos que a famigerada Lei de Gerson, está impregnada em tudo. Os casos Odebrecht, JBS e tantos outros que estão na berlinda são a maior prova disso. Seguindo essa linha de raciocínio fica difícil de acreditar que o Brasil consiga sair desse ciclo vicioso.

Dá para contar a segunda-feira, que não sai uma manchete em algum jornal, blog ou site do país dizendo: está semana será decisiva para o país. Vem semana vai semana e continuamos esperando que algo de extraordinário aconteça e coloque um fim nesse clima de incerteza que se arrasta desde a posse da ex-presidente Dilma Rousseff.

Como milagres não existem, resta ao incrível povo brasileiro, aquele do Brasil extraordinário, arregaçar as mangas e trabalhar dobrado se quiser sobrevier dignamente. Porque se for depender das reformas que estão agora na fase de obstrução pelo Congresso Nacional, em defesa apenas de interesses próprios, vai terminar mais um ano legislativo num grande festival de pizza.