Momento Espírita
A PRESENÇA DO AMOR

Em tudo e em toda parte palpita em gérmen o amor de Deus, Nosso Pai Criador.

            Nas galáxias pulsantes como nos microrganismos a divina presença do amor se faz responsável pelo desatar das forças inatas que alcançam as suas finalidades.

            No bruto, o amor que dormita é sempre de vida que se irradia através dos instintos. No sábio, é doação, em forma de renúncia e de humildade, fazendo-o compreender a própria pequenez ante a grandeza da Vida.

            Sem o amor a vida não existiria, porquanto, o  primeiro gesto do Criador, no rumo da Criação, é uma exteriorização do Seu amor.

            Porque sentiu nalma o amor arrebentar os limites em que se detinha, Francisco de Assis vitalizou a Igreja, que se encontrava em deperecimento. Embriagado de amor, em face dos sofrimentos humanos, Vicente de Paulo ergueu a beneficência a um ponto dantes não alcançado.

            Estuante de amor, Teresa Dávila consorciou-se com o espírito superior do Cristo, em profundo intercâmbio, levantando a obra da fé, quando a decadência irrompeu em dissensões e lutas tiranizantes na religião da época.

            Tocado pelo amor da verdade, Antônio de Paula ergueu o verbo inflamado, e ele próprio se transformou superando limites da matéria para bem servir ao Mestre Jesus.

            Jesus, por amor, renunciou à glória estelar, mergulhando nas sombras do Orbe planetário, a fim de alçar o homem da sua pequenez à luminosidade solar.

            É o amor que emula o santo para perseverar no sacrifício.

            É o amor que imprime no herói as marcas da mansidão e da justiça.

            É o amor que levanta o campeão do trabalho, na edificação do bem geral.

            É o amor que penetra a alma abrasada pela beleza e pelo bem, fazendo-a crucificar-se no ideal a que se entrega em regime de totalidade.

            Quando o homem não sabe identificar para viver a expressão sublime do amor, brutaliza-se.

            Vinculado às paixões primeiras, ao longo dos embates pelo amor, disciplina-se e se levanta para expressões superiores da felicidade.

            Em qualquer estado da vida, no tempo e no espaço, o amor trabalha, edificando o mundo melhor. Por esse amor de profundidade, vinculemo-nos a Jesus, oferecendo-nos para este momento de mudanças no planeta de sombras, ante a expectativa do amanhecer da Era Nova em favor de uma Humanidade feliz.

            O Sábio que não ame, tornar-se-á um monstro, por aplicar indevidamente os conhecimentos de que se enriquece.      A Inteligência destituída de amor é arma perigosa nas mãos da impulsividade e do desequilíbrio. Quando a Razão não sabe como conduzir o homem, o amor aponta-lhe a rota a seguir, facilitando-lhe o empreendimento ditoso.

            Graças ao amor, a jornada, mesmo áspera, se torna ditosa, concitando o caminhante a não desanimar, nem desistir, nem parar, prosseguindo intimorato até o momento final da luta.

            O amor de Deus, que tudo vitaliza, é o apelo para que o nosso amor vitalize uns aos outros nesta maravilhosa aventura da evolução.

 

Livro: TERAPÊUTICA DE EMERGÊNCIA. Diversos Espíritos. Fabiano de Cristo (Espírito). Psicografia Divaldo Pereira Franco. Livraria Espírita Alvorada Editora. Salvador. BA. 1983. Pág. 116.

Manoel Ataídes Pinheiro de Souza. CEAC. Guaraniaçu – PR. [email protected]