Perto de Deus - Padre Vieslau
A casa

Uma vez Jesus Cristo se queixou: "Por que me chamais: 'Senhor! Senhor!', mas não fazeis o que vos digo?" (Lc.6.46) Com esta frase Jesus Cristo desnudou o eterno problema de nós pessoas humanas, a ociosidade de praticar a religião dele. É verdade que existe uma parte de pessoas que pratica a religião dele. Mas existe boa parte que não pratica. Ele não se cansa de nos motivar a abraçar os ensinamentos dele e pratica-los, pois, este é o caminho que leva para o Reino de Deus. 
 "Vou mostrar-vos com quem se parece todo aquele que vem a mim, ouve as minhas palavras e as põe em prática. É semelhante a alguém que, para construir uma casa, cavou fundo e firmou o alicerce sobre a rocha. Veio a enchente, a correnteza atingiu a casa, mas não conseguiu derrubá-la, porque estava bem construída." (Lc.6.48)
A vida muitas vezes nos traz surpresas desagradáveis, por exemplo: ofensas, injustiças, calúnias, fome, traições, fofocas, doenças, tentações de todo tipo, etc. Nessa hora é importante não perdermos a cabeça e não reagirmos com estupidez. Para sermos vitoriosos nestes enfrentamentos da vida temos que ter união espiritual com Jesus Cristo praticando a religião dele. Jesus Cristo nos fornece todas as graças que nos ajudam manter firme a nossa dignidade cristã e merecermos a Vida Eterna no Céu. Esta é a vantagem da nossa formação baseada na rocha que são os ensinamentos de Jesus Cristo.
 "Aquele, porém, que ouve e não põe em prática, é semelhante a alguém que construiu uma casa no chão, sem alicerce. A correnteza atingiu a casa, e ela, imediatamente, desabou e ficou totalmente destruída". (Lc.6.49)
Será que isso não já aconteceu na nossa vida? Será que uma decepção com a vida não tomou conta de nós? Será que não circulou na nossa cabeça a ideia de acabar com a nossa vida? Será que não surgiu uma revolta contra Deus? Será que não reclamamos gritando: "Onde estava Deus quando eu sofria?" Estamos culpando todo o mundo por causa das nossas derrotas. Mas a culpa é nossa. Não aprendemos com Jesus Cristo a enfrentar as dificuldades da vida. Não aprendemos com Jesus Cristo a nos manter no caminho da Vida Eterna. Não aprendemos com Jesus Cristo a termos coragem e dedicação para carregar a cruz da nossa vida católica.
A causa que nos separamos de Jesus Cristo e assim nos arruinamos espiritualmente é a falta de amor. Pois se amamos Jesus Cristo não existe força que nos separe dele e arruíne a nossa caminhada para a Salvação Eterna. São Paulo Apóstolo isto destaca: "Quem nos separará do amor de Cristo? Tribulação, angústia, perseguição, fome, nudez, perigo, espada? ...  Tenho certeza de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potências, nem a altura, nem a profundeza, nem outra criatura qualquer será capaz de nos separar do amor de Deus, que está no Cristo Jesus, nosso Senhor." (Rm.8.35-39)
Como é importante ter na parede de casa um crucifixo e várias vezes olhar para ele, para lembrar do amor de Jesus Cristo conosco e me armar pela oração e pela Eucaristia para nunca pelo pecado traí-lo.
Ó Meu Bom Jesus! Amo o Senhor de todo o coração e com o amor deste coração prometo enfrentar todas as adversidades para vence-las e não arruinar o meu futuro, a Vida Eterna no Céu. Me ajude cumprir a minha promessa. Amém.

 

Quero ter a Vida Eterna

Uma vez alguém fez a Jesus Cristo a seguinte pergunta. “Mestre, que devo fazer de bom para ter a vida eterna?”  (Mt.19.16) A resposta para esta pergunta interessa a nós todos. Nós queremos nos salvar, isto é, ganhar a vida eterna. A resposta de Jesus Cristo foi a seguinte:  “Se queres entrar na vida, observa os mandamentos”. – “Quais?”, perguntou ele...Jesus respondeu: “Não cometerás homicídio, não cometerás adultério, não roubarás, não levantarás falso testemunho, honra pai e mãe, ama teu próximo como a ti mesmo”. ( Mt.19.17-19)

Como guardar estes mandamentos?

Jesus Cristo em outra oportunidade fez uma exigência explicando o quinto mandamento da Lei Divina “Não matar” Ele falou: “Ouvistes que foi dito aos antigos: ‘Não cometerás homicídio! Quem cometer homicídio deverá responder no tribunal’.  Ora, eu vos digo: todo aquele que tratar seu irmão com raiva deverá responder no tribunal;” Aqui está a rigidez da explicação de Jesus. A raiva contra um irmão Jesus iguala com um homicídio. Jesus Cristo muito valoriza a pessoa humana. Não se pode tratar uma pessoa   com raiva.  A pessoa humana é criada na imagem de Deus. Tratando a pessoa com raiva se ofende a Deus que criou esta pessoa.

O resto das explicações de Jesus tem a mesma gravidade. “quem disser ao seu irmão ‘imbecil’ deverá responder perante o sinédrio; quem chamar seu irmão de ‘louco’ poderá ser condenado ao fogo do inferno.   A pessoa humana é intocável em sua dignidade. Ela é a imagem de Deus. Significa que chamar a imagem de Deus com as palavras despreciavas é ofender o Criador da pessoa humana. Deus quer que sempre se trate a pessoa humana com respeito mesmo que ela cometeu um crime.

Jesus Cristo com muita ênfase insiste para fazermos a reconciliação com a pessoa por nos ofendida. “Portanto, quando estiveres levando a tua oferenda ao altar e ali te lembrares que teu irmão tem algo contra ti, deixa a tua oferenda diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com teu irmão. Só então, vai apresentar a tua oferenda. Procura reconciliar-te com teu adversário, enquanto ele caminha contigo para o tribunal. Senão o adversário te entregará ao juiz, o juiz te entregará ao oficial de justiça, e tu serás jogado na prisão. Em verdade, te digo: dali não sairás, enquanto não pagares o último centavo. (Mt.5.21-26)

A reconciliação com o próximo é indispensável para que Deus nos aceite com as nossas oferendas. Sem a reconciliação Deus não aceita nenhuma oferenda mesmo que seja muito grande. Pois é imaginável, que duas pessoas não reconciliadas ficassem no mesmo Céu.

Ó Meu Bom Jesus! Me ajude com as suas graças que eu seja  humilde e com facilidade me reconcilie com o próximo e ganhe o direito de entrar no Reino do Céu. Amem.

SACRAMENTO DA PENITÊNCIA

Uma vez em uma conversa sobre a confissão na Igreja Católica, alguém questionou a prática de confessar os pecados ao padre, para receber o perdão dos pecados. Este alguém disse, que ele se confessa diretamente a Deus. E reforçou a sua opinião com a frase: “Não é melhor se confessar a Deus do que a um padre que é um homem?” Eu respondi, que esta opinião é dele, vamos ver qual é a opinião de Jesus Cristo sobre o assunto. Então vamos dar uma olhada nas Sagrada Escritura. Sabemos que o pecado é a maior desgraça que pode aparecer na nossa vida. Pois ele nos afasta de Deus e nos leva para o inferno. Temos nas Sagradas Escrituras os exemplos das consequências catastróficas que o pecado trouxe para os homens. Por causa do pecado Adão e Eva perderam o paraíso. Por causa dos pecados o diluvio afogou muita gente. Por causa dos pecados as cidades Sodoma e Gomorra foram queimadas e engolidas pelo mar Morto. Por causa dos pecados os judeus foram levados para o cativeiro Babilónico, etc.
Mas temos uma grande surpresa que nos encanta, os pecados que os homens cometeram nos trouxeram maravilhosos benefícios. Deus nos pecadores cercou com o seu divino amor e nos adotou como os seus filhos e filhas. E no seu imenso amor por nós o Unigênito Filho de Deus se fez homem e começou a se chamar Jesus Cristo. Ele para apagar os nossos pecados, por amor a nós, morreu na cruz. Isto nos alegra, pois Jesus Cristo, não veio para este mundo para nos castigar, mas para nos perdoar dos nossos pecados e nos unir a si no Céu. Este fato mudou a história da nossa vida. Vale pena seguir Jesus Cristo. Ele nos preparou as graças que nos santificam e nós garantem o Céu. Uma destas graças é o sacramento da Confissão. Ele nos purifica dos pecados e nos torna santos e santas, assim abre a porta do Céu. Vamos agora ler o Novo Testamento.
“Apresentaram-lhe (a Jesus), então, um paralítico, deitado numa maca. Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: “Coragem, filho, teus pecados estão perdoados!” Então alguns escribas pensaram: “Esse homem está blasfemando”. Mas Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: “Por que tendes esses maus pensamentos em vossos corações? Que é mais fácil, dizer: ‘Os teus pecados são perdoados’, ou: ‘Levanta-te e anda’? “Pois bem, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra poder para perdoar pecados, – disse então ao paralítico – levanta- te, pega a tua maca e vai para casa”. O paralítico levantou-se e foi para casa.” Mt.9.2-7
Jesus Cristo nos mostrou que tem o poder divino para perdoar os pecados. Mas o que nos espanta e nos deixa de boca aberta é que este poder divino Jesus Cristo passou para os homens, para os Apóstolos e para os seus sucessores padres. Pois Ele falou:
“A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou também eu vos envio”. Então, soprou sobre eles e falou: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, lhes serão retidos”. Jo.20.21-23
Eu, como padre, fico maravilhado. Eu tenho o poder de purificar a alma de um pecador, afastá-lo do castigo de Deus, abrir lhe a porta do Céu, oferecer lhe a salvação eterna. Como é grande a generosidade de Jesus Cristo.
Meu Irmão, Você não vai perder a oportunidade de facilmente se salvar? Vai ter medo de se confessar? O demônio faz tudo para Te envergonhar e assustar, pois ele conhece o poder do padre, ele já perdeu milhares pecadores por causa do sacramento da Penitência. Ele quer Te enrolar com a confissão diretamente a Deus. Não se deixe enganar. Jesus Cristo explicou, que se o padre não Te perdoar, Você fica com os pecados. Não queira corrigir a Jesus Cristo. Ele definiu: “A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, lhes serão retidos”. O melhor caminho para ser perdoado dos pecados é se confessar ao padre. Se padre me perdoou então tenho certeza que Jesus Cristo me perdoou.
Meu Bom Jesus! Obrigado por este sacramento, que com tanta facilidade me purifica dos meus pecados e me abre a porta do Céu. Amém.

Sacramento da Penitência

Uma vez em uma conversa sobre a confissão na Igreja Católica, alguém questionou a prática de confessar os pecados ao padre, para receber o perdão dos pecados. Este alguém disse, que ele se confessa diretamente a Deus. E reforçou a sua opinião com a frase: “Não é melhor se confessar a Deus do que a um padre que é um homem?” Eu respondi, que esta opinião é dele, vamos ver qual é a opinião de Jesus Cristo sobre o assunto. Então vamos dar uma olhada nas Sagrada Escritura. Sabemos que o pecado é a maior desgraça que pode aparecer na nossa vida. Pois ele nos afasta de Deus e nos leva para o inferno. Temos nas Sagradas Escrituras os exemplos das consequências catastróficas que o pecado trouxe para os homens. Por causa do pecado Adão e Eva perderam o paraíso. Por causa dos pecados o diluvio afogou muita gente. Por causa dos pecados as cidades Sodoma e Gomorra foram queimadas e engolidas pelo mar Morto. Por causa dos pecados os judeus foram levados para o cativeiro Babilónico, etc.

 Mas temos uma grande surpresa que nos encanta, os pecados que os homens cometeram nos trouxeram maravilhosos benefícios. Deus nos pecadores cercou com o seu divino amor e nos adotou como os seus filhos e filhas. E no seu imenso amor por nós o Unigênito Filho de Deus se fez homem e começou a se chamar Jesus Cristo. Ele para apagar os nossos pecados, por amor a nós, morreu na cruz. Isto nos alegra, pois Jesus Cristo, não veio para este mundo para nos castigar, mas para nos perdoar dos nossos pecados e nos unir a si no Céu. Este fato mudou a história da nossa vida. Vale pena seguir Jesus Cristo. Ele nos preparou as graças que nos santificam e nós garantem o Céu. Uma destas graças é o sacramento da Confissão.  Ele nos purifica dos pecados e nos torna santos e santas, assim abre a porta do Céu. Vamos agora ler o Novo Testamento.

“Apresentaram-lhe (a Jesus), então, um paralítico, deitado numa maca. Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: “Coragem, filho, teus pecados estão perdoados!”  Então alguns escribas pensaram: “Esse homem está blasfemando”.  Mas Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: “Por que tendes esses maus pensamentos em vossos corações? Que é mais fácil, dizer: ‘Os teus pecados são perdoados’, ou: ‘Levanta-te e anda’? “Pois bem, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra poder para perdoar pecados, – disse então ao paralítico – levanta- te, pega a tua maca e vai para casa”. O paralítico levantou-se e foi para casa.” Mt.9.2-7

Jesus Cristo nos mostrou que tem o poder divino para perdoar os pecados. Mas o que nos espanta e nos deixa de boca aberta é que este poder divino Jesus Cristo passou para os homens, para os Apóstolos e para os seus sucessores padres. Pois Ele falou:

 “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou também eu vos envio”. Então, soprou sobre eles e falou: “Recebei o Espírito Santo.  A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, lhes serão retidos”. Jo.20.21-23

Eu, como padre, fico maravilhado. Eu tenho o poder de purificar a alma de um pecador, afastá-lo do castigo de Deus, abrir lhe a porta do Céu, oferecer lhe a salvação eterna. Como é grande a generosidade de Jesus Cristo.

Meu Irmão, Você não vai perder a oportunidade de facilmente se salvar?  Vai ter medo de se confessar? O demônio faz tudo para Te envergonhar e assustar, pois ele conhece o poder do padre, ele já perdeu milhares pecadores por causa do sacramento da Penitência. Ele quer Te enrolar com a confissão diretamente a Deus. Não se deixe enganar. Jesus Cristo explicou, que se o padre não Te perdoar, Você fica com os pecados. Não queira corrigir a Jesus Cristo. Ele definiu: “A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, lhes serão retidos”. O melhor caminho para ser perdoado dos pecados é se confessar ao padre. Se padre me perdoou então tenho certeza que Jesus Cristo me perdoou.

Meu Bom Jesus! Obrigado por este sacramento, que com tanta facilidade me purifica dos meus pecados e me abre a porta do Céu. Amém.

A Santa Missa

 

“Fazei isso em memória de mim” (1Cor.11.24). Esta ordem  Jesus Cristo deu aos Apóstolos,  seus íntimos amigos, na Última Ceia, quando instituiu o sacramento da Eucaristia, o sacramento do seu Corpo e Sangue. Declarou  que sob a espécie do pão e do vinho, que Ele usou na Última Ceia esão o Corpo e o Sangue dele. Ele disse, que “ardentemente” desejou revelar este mistério de amor dele pela humanidade.  Por isso Ele usou uma forte expressão para destacar a importância da Eucaristia: “Quando chegou a hora, Jesus pôs-se à mesa com os apóstolos disse: “Ardentemente desejei comer convosco esta ceia pascal, antes de padecer” (Lc.22.14-15)

Como Jesus Cristo explica a importância espiritual da Eucaristia?

“Jesus disse: “Em verdade, em verdade, vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. Quem se alimenta com a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.” (Jo.6.53-54)

As consequências de alimentar-nos com a Eucaristia são de valor infinito. A Eucaristia, este Corpo e Sangue de Jesus Cristo, nos garantem a futura ressureição e a vida infinita, sem fim, nos Céus. Este milagre da Eucaristia acontece de modo invisível, por isso se precisa da graça da Fé, na Santa Missa. O que nos deixa de boca aberta é a grandeza do valor divino da SANTA MISSA. A Santa Missa reconstrói a morte de Jesus Cristo na cruz. Na Santa Missa Jesus Cristo morre de verdade, sem sofrimento, mas acontece a verdadeira morte dele. Pois o padre separadamente levanta o pão que é o Corpo de Jesus e o cálice com vinho que é o Sangue de Jesus. O que acontece com a pessoa quando separamos o sangue do corpo dela? ...A morte. Isto acontece com Jesus Cristo na Santa Missa. Jesus Cristo morre em toda Santa Missa. Morre sem sofrimento, mas é a verdadeira morte dele. Esta verdade é destacada no Novo Testamento: “Na noite em que ia ser entregue, o Senhor Jesus tomou o pão e, depois de dar graças, partiu-o e disse: “Isto é o meu corpo entregue por vós. Fazei isto em memória de mim”.  Do mesmo modo, depois da ceia, tomou também o cálice e disse: “Este cálice é a nova aliança no meu sangue. Todas as vezes que dele beberdes, fazei-o em minha memória”.  De fato, todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes deste cálice, estareis proclamando a morte do Senhor, até que ele venha.” (1Cor.11.23-26)

Jesus Cristo nos pede que celebrando a Santa Missa nós meditemos a crueldade do sofrimento dele na cruz. Pois participando na Santa Missa nós espiritualmente ficamos no Calvário ao lado da sua mãe Maria, de João Apóstolo, de Maria Madalena, de Maria mulher de Cléofas, de Maria mãe de Tiago e de José,  da mãe dos filhos de Zebedeu, de Salomé  e de outras pessoas, que simpatizavam com Jesus Cristo. Nós hoje, para mostrar que simpatizamos com Jesus, nós ajoelhamos na hora do milagre da consagração do pão e do vinho que de modo invisível, mas real, se transforma no Corpo e no Sangue de Jesus. Assim a Santa Missa é a maior fonte das graças da salvação. Uma Santa Missa é suficiente para salvar todo o mundo de todos os tempos. Ela é o verdadeiro oferecimento da vida de Jesus Cristo pela salvação dos homens e das mulheres.

Meu Bom Jesus! Amo Te, pois morreste na cruz pela minha salvação. Me ajude a levar uma                                                 vida santa, para que, quando eu morrer, Te agradeça pessoalmente, face a face, de joelhos, beijando as cinco chagas do teu martírio pela minha salvação. Amém.  

Mais Amor

“Vede que grande presente de amor o Pai nos deu: sermos chamados filhos de Deus! E nós o somos! Se o mundo não nos conhece, é porque não conheceu o Pai. Caríssimos, desde já somos filhos de Deus, mas nem sequer se manifestou o que seremos! Sabemos que, quando Jesus se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque o veremos tal como ele é.”  (1Jo.3.1-2)

 Nós homens e mulheres nos preocupamos muito com a nossa aparência. Gastamos muito dinheiro para comprar roupas bonitas, sapatos bonitos, perfumes bem cheirosos, cosméticos de todos os tipos, gostamos de cabelos bem arrumados, etc. Acontece, que tem pessoas que passam fome pois gastam de modo exagerado o dinheiro para aparecer bonito ou bonita. Queremos que todas as pessoas olhem para nós e admirem a nossa aparência.

Nos Céus quem vai ser mais bonito entre os homens e os anjos, sem dúvida é  o Filho de Deus Nosso Senhor Jesus Cristo. É obvio, que ninguém vai se gabar que é mais bonito e melhor vestido. E são João Apóstolo na sua carta nos avisa, que nos Céus vamos ser muito bonitos pois vamos ser parecidos com Jesus Cristo: “...seremos semelhantes a ele, porque o veremos tal como ele é.”

Os três Apóstolos Pedro, Tiago e João tiveram o privilégio de ver nesta vida um pouco do esplendor celestial de Jesus Cristo. “Seis dias depois, Jesus levou consigo Pedro, Tiago e João, seu irmão, e os fez subir a um lugar retirado, numa alta montanha.  E foi transfigurado diante deles: seu rosto brilhou como o sol e suas roupas ficaram brancas como a luz.”   (Mt.17.1-2) 

A grandeza da beleza e do esplendor que os salvos vão experimentar nos Céus não da para expressar aqui na terra em nenhuma língua e em nenhuma imaginação. “...o que Deus preparou para os que o amam é algo que os olhos jamais viram, nem os ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu”. (1Cor.2.9) Lendo este texto tenho um forte desejo de morrer e ir para os Céus. Este texto me mobiliza a levar uma vida fiel aos ensinamentos de Jesus Cristo, uma zelosa prática de receber os santos sacramentos e rezar sem cessar como aconselha são Paulo Apóstolo. “...Orai sem cessar.” (1Ts.5.9)

O Meu Maravilhoso Amigo, o Meu Amoroso Irmão, o Meu Amado Salvador! Obrigado! e obrigado! e obrigado! pela tua Generosidade comigo. Tu me elevasses nas alturas da Divindade, eu sou Filho de Deus, sou muito importante. Nos Céus todos os anjos vão com grande respeito me cumprimentar pois isso se deve ao filho de Deus, ao Príncipe do Reino de Deus. Amém.  

De novo Amor

Uma vez em um curso chegou a hora dos participantes responderem as perguntas. Eu fiz esta pergunta: “O que você mais pede em suas orações?” As respostas eram variadas. A maioria pedia saúde. Alguns pediram: paz na família, bom emprego, boa amizade, solteiras pediram para ter um bom marido, etc. O que chamou a minha atenção foi a resposta de um rapaz. Ele confessou: “Eu peço o amor na família. Que os pais se amem, que eles amem os seus filhos, que os filhos amem os seus pais, que os filhas se amem mutuamente.” Ouvindo esta resposta aconteceu que todos os participantes pararam respirar, ficaram de boca aberta. Depois de algum tempo de silêncio alguém falou: “Você acertou no número dez.” É verdade, o amor na nossa família é a solução para todos os problemas da nossa vida.  Com esta resposta nos olhos de muitos apareceram as lágrimas. Sim, do amor derivam todas as qualidades da vida neste mundo. Convidei um dos participantes para ler um trecho do texto da primeira carta de são Paulo aos Coríntios: “O amor é paciente, é benfazejo; não é invejoso, não é presunçoso nem se incha de orgulho; não faz nada de vergonhoso, não é interesseiro, não se encoleriza, não leva em conta o mal sofrido; não se alegra com a injustiça, mas fica alegre com a verdade. Ele desculpa tudo, crê tudo, espera tudo, suporta tudo. O amor jamais acabará.”  (1Cor.13.4-8)

 Escutando este texto muitos dos participantes não seguraram as lacrimas. Pois esta é verdade, que o amor é o único remédio que cura a nossa alma de todos os problemas da vida cheia de espinhos deste mundo. Por fim ele nos torna felizes.

Voltando a este texto  o que chama a nossa atenção é a humildade de quem ama. Ele é paciente, não é brabo, não é orgulhoso, não é egoísta; ele quer bem a gente, procura trazer a alegria, ele perdoa todas as ofensas.

Ter um amigo deste tipo é ter o maior tesouro do mundo. E Jesus Cristo é o amigo deste tipo. Ele uma vez falou: “Vinde a mim, todos vós que estais cansados e carregados de fardos, e eu vos darei descanso. Tomai sobre vós o meu jugo e sede discípulos meus, porque sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para vós.  Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. (Mt.11.16=29)

O tema do amor extremo desvendou Jesus Cristo na Última Ceia, quando declarou que daria a vida pelos seus amigos.

“Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei.  Ninguém tem amor maior do que aquele que dá a vida por seus amigos.  Vós sois meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.  Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu Senhor. Eu vos chamo amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai”.  (Jo.15.12-15)

Meu Bom Jesus, peço, que eu seja humilde, que eu não incomode o Senhor com os meus pedidos egoístas, mas dando de mim tudo o que tenho, trabalhe para que o seu Coração triunfe com o amor ardente em todos os corações. Que Maria, a Serva humilde do Senhor nos ajude inflamar o nosso coração com o amor ardente do Sagrado Coração de Jesus Cristo.  Amém.

MEDO DO DEMÔNIO

Uma vez Jesus Cristo disse: “ Se então alguém vos disser: ‘O Cristo está aqui’ ou ‘Ele está ali’, não acrediteis.  De fato, surgirão falsos cristos e falsos profetas, que farão sinais e prodígios capazes de enganar, se possível, até os eleitos. Cuidado, pois! Eu vos preveni de tudo.”  (Mc.13.21-23)

A advertência, que Jesus Cristo fez, assusta. Então aqui na Terra vão nos acompanhar vários enganadores, para nos desviar do caminho das Verdades da Salvação.  Eles, como Jesus Cristo nos adverte, vão fazer até prodígios, isto é, “milagres”. Claro, que o demônio está por detrás destas “maravilhas”. Assim eu tenho medo do demônio. Eu não quero brincar com a minha Salvação. Eu quero ter a certeza de 100% que o caminho que eu sigo é de Jesus Cristo e vai me levar para a Salvação eterna. Eu sei, que Jesus Cristo quer a minha salvação, por isso morreu na cruz. Portanto com a certeza Jesus Cristo nos deixou os meios para conhecer com a facilidade a Igreja dele, que nos leva para a Salvação eterna.

O principal meio para não cair nas armadilhas do demônio e não sermos desviados pelos falsos profetas do caminho da Salvação é a Igreja de Pedro Apóstolo, a Igreja Católica. Jesus Cristo garante que esta Igreja nunca será vencida e assim desviada do caminho da Salvação.  Pois uma vez Jesus Cristo falou: “E vós”, retomou Jesus, “quem dizeis que eu sou?”  Simão Pedro respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”.  Jesus então declarou: “Feliz és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi carne e sangue quem te revelou isso, mas o meu Pai que está no céu.  Por isso, eu te digo: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja, e as forças do Inferno não poderão vencê-la. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”. (Mt.16.15-19)

Esta conversa de Jesus Cristo com são Pedro Apóstolo é muito importante. Jesus Cristo disse, que a Igreja dele, esta organização da salvação eterna, é ligada com Pedro como alicerce com parede, são inseparáveis. Hoje no lugar do Pedro o sucessor dele é o papa. Jesus Cristo assegura que não só um demônio, mas todas as forças do inferno não são capazes de destruir a Igreja dele.  Como o demônio quer destruí-la?  Ele quer introduzir falsidades na Igreja de Pedro, a Católica. Isto não acontecerá, pois, o próprio Jesus Cristo garantiu a invencibilidade desta Igreja. Ela vai durar até o fim dos tempos. Pertencendo e seguindo os ensinamentos da Igreja Católica eu estou 100 % no caminho da Salvação. O demônio não me atingirá. Isto garantiu Jesus Cristo: “...as forças do Inferno não poderão vencê-la”.

O, Meu Bom Jesus, me ajude ser sempre fiel a Igreja Católica e assim o poder do Inferno não me atingirá e sempre estarei no caminho da Salvação. Amém.

FRATERNIDADE

São Paulo Apóstolo incentiva em sua carta aos Gálatas a praticarmos o amor fraterno nos ajudando espiritual e materialmente. “Irmãos, no caso de alguém ser surpreendido numa falta, vós que sois espirituais, corrigi-o, em espírito de mansidão ...  Carregai os fardos uns dos outros; assim cumprireis a lei de Cristo...  Não esmoreçamos na prática do bem, pois no devido tempo colheremos o fruto, se não desanimarmos.  Portanto, enquanto temos tempo, façamos o bem a todos, principalmente aos da família da fé. (Gl.6.1-2;9-10)

Temos um bom exemplo de amor fraterno na pessoa de Maria de Nazaré. Quando o anjo Gabriel foi enviado a Maria , ele avisou Maria, que ela foi escolhida para ser a mãe de Filho de Deus. O anjo disse: “O Espírito Santo descerá sobre ti, e o poder do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra. Por isso, aquele que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus. (Lc.1.35) Maria entendeu a grandeza da sua vocação de ser Mãe do Filho de Deus. Num hino “Magnificat” expressou a sua gratidão por esse grande presente. Ela disse: “A minha alma engrandece o Senhor, e meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, porque ele olhou para a humildade de sua serva. Todas as gerações, de agora em diante,  me chamarão feliz, porque o Poderoso fez para mim coisas grandiosas. O seu nome é santo,” ( Lc.1.47-49).

Maria tinha um bom motivo para se orgulhar. Pois Ela, a Mãe de Filho de Deus, se tornou no Céu e na terra depois de Deus a primeira pessoa em importância. Podia levantar a cabeça e olhar para todos com uma superioridade. Nada disso. Quando o anjo Gabriel a avisou  que a sua prima  Izabel estava gravida sexto mês Ela foi visitá-la. Assim o anjo Gabriel falou para Maria: “Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na sua velhice. Este já é o sexto mês daquela que era chamada estéril,  pois para Deus nada é impossível.” (Lc.1.36-37)  “ Maria ficou três meses com Isabel. Depois, voltou para sua casa.” ( Lc.1.56)

Maria no ato de amor fraterno foi para casa de Isabel e três meses serviu a Isabel como uma empregada. Assim agiu em seu exímio amor fraterno. A sua dignidade da Mãe de Filho de Deus não a impediu de praticar a amor fraterno como uma empregada. Ao contrário, Maria mostrou que em qualquer situação o amor fraterno está em primeiro lugar conforme são Paulo Apóstolo escreveu na carta aos Romanos. 

“Não fiqueis devendo nada a ninguém… a não ser o amor que deveis uns aos outros, pois quem ama o próximo cumpre plenamente a Lei. De fato, os mandamentos: “Não cometerás adultério”, “Não cometerás homicídio”, “Não roubarás”, “Não cobiçarás”, e qualquer outro mandamento, se resumem neste: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”. O amor não faz nenhum mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da Lei.”  (Rom.13.8-10)

Imaginem!  A Mãe do Filho de Deus se fez uma simples empregada. Que grande humildade! Que grande santidade! Por isso Ela é honrada no Céu como primeira pessoa depois de Deus.

O!  Meu Bom Jesus, eu sou devoto de Maria, pois quero imitá-la, para crescer em humildade e santidade como Ela e assim agradar a Ti o meu amado Senhor Jesus. Ajude-me realizar este propósito. Amém. 

A LÍNGUA DOS HOMENS

Uma vez Jesus Cristo disse aos seus discípulos:  “Não julgueis, e não sereis julgados. Pois com o mesmo julgamento com que julgardes os outros sereis julgados; e a mesma medida que usardes para os outros servirá para vós. Por que observas o cisco no olho do teu irmão e não reparas na trave que está no teu próprio olho? (Mt.7.1-3)

Este assunto de uso da nossa língua comenta na sua carta o Apóstolo São Tiago. Ele escreve:

“Todos nós tropeçamos em muitas coisas. Aquele que não peca no uso da língua é um homem perfeito, capaz de refrear também o corpo todo. Se pomos um freio na boca do cavalo para que nos obedeça, conseguimos controlar o seu corpo todo. Reparai também nos navios: por maiores que sejam, e impelidos por ventos impetuosos, são, entretanto, conduzidos por um pequeníssimo leme, na direção que o timoneiro deseja.  Assim também a língua, embora seja um membro pequeno, se gloria de grandes coisas. Comparai o tamanho da chama com o da floresta que ela incendeia!  Ora, também a língua é um fogo! É o universo da malícia! Está entre os nossos membros contaminando o corpo todo e pondo em chamas a roda da vida, sendo ela mesma inflamada pelo inferno! De fato, toda espécie de feras, de aves, de répteis e de animais marinhos pode ser domada e tem sido domada pela espécie humana. Mas a língua, nenhum ser humano consegue domá-la: ela é um mal que não desiste e está cheia de veneno mortífero. Com ela bendizemos o Senhor e Pai, e com ela amaldiçoamos as pessoas, feitas à imagem de Deus.  Da mesma boca saem bênção e maldição! Ora, meus irmãos, não convém que seja assim.  Porventura a fonte faz jorrar, pelo mesmo orifício, água doce e água amarga?  Porventura a figueira, meus irmãos, é capaz de produzir azeitonas, ou a videira, figos? Assim também a fonte salina não pode produzir água doce. (Tg.3.2-12)

São Tiago fez uma explicação comparativa muito convincente. De fato, a língua humana tem uma grande história. Ela é um instrumento maravilhoso da comunicação. Não dá para imaginar a vida sem ela. Ela forma a convivência na comunidade. Ela traz muitos benefícios para as pessoas humanas, por exemplo: consola pessoas triste, desanimadas, caluniadas; transmite as notícias, amizades, experiencias da vida, todos os tipos de conhecimentos, etc., etc.  Mas temos que confessar que ela é também um instrumento terrível, traz em muitas situações  estragos incalculáveis. Ela faz acusações injustas, calúnias, fofocas, xingamentos, mentiras, etc., etc.  Ela é pequena e mole, mas corta como uma faca. Por causa dela surgiram brigas, crimes, suicídios, inimizades, prisões, processos judiciais, etc.,etc.

A lista dos benefícios e prejuízos que causa a língua é muito cumprida. Não é estranho, que são Tiago elogia aquelas pessoas que tem a sabedoria para usar a língua adequadamente.  Isto é, semear o amor fraterno. São Tiago chama estas pessoas “um homem perfeito”. Ele escreveu: “ Aquele que não peca no uso da língua é um homem perfeito, capaz de refrear também o corpo todo”.

Ó, Meu Bom Jesus! Obrigado, pelo dom da língua. Peço humildemente, que eu aprenda para usar a minha língua não para julgar alguém, mas para propagar a todos o teu amor divino e assim me tornar “um homem perfeito”. Amém.