Perto de Deus - Padre Wieslaw
Chicote de Jesus

Uma vez os Judeus trouxeram para Jesus uma mulher que foi apanhada em adultério e eles queriam apedrejá-la conforme as leis do Antigo Testamento. “Mas Jesus, inclinando-se, começou a escrever no chão, com o dedo.  Como insistissem em perguntar, Jesus ergueu-se e disse: “Quem dentre vós não tiver pecado, atire a primeira pedra!”. Inclinando-se de novo, continuou a escrever no chão. 

Ouvindo isso, foram saindo um por um, a começar pelos mais velhos. Jesus ficou sozinho com a mulher que estava no meio, em pé. Ele levantou-se e disse: “Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?” Ela respondeu: “Ninguém, Senhor!” Jesus, então, lhe disse: “Eu também não te condeno. Vai, e de agora em diante não peques mais”. (Jo.8.3-11)

Jesus Cristo não concordou em apedrejá-la, pois Ele era misericordioso: “porque sou manso e humilde de coração.” (Mt.11.29) E nos incentiva, para que sejamos misericordiosos: “Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso.” (Mt.6.36) Mas única vez usou um chicote. E em que circunstâncias? “Estava próxima a Páscoa dos judeus; Jesus, então, subiu a Jerusalém. No templo, encontrou os que vendiam bois, ovelhas e pombas, e os cambistas nas suas bancas. 

Então fez um chicote com cordas e a todos expulsou do templo, juntamente com os bois e as ovelhas; jogou no chão o dinheiro dos cambistas e derrubou suas bancas, e aos vendedores de pombas disse: “Tirai daqui essas coisas. Não façais da casa de meu Pai um mercado!” (Jo.2.13-16) É impressionante como Jesus Cristo defende a santidade do templo. Ele nunca bateu em ninguém, apesar de que apresentaram a Ele uma pessoa digna de um castigo físico. Também Jesus Cristo deu uma resposta para àqueles que tem a seguinte opinião: “Todo lugar é bom para rezar. O Senhor Deus é presente em todo lugar, não é preciso uma igreja para rezar.”

A chicoteada que Jesus Cristo deu aos judeus no templo, mostra que não é assim. O lugar privilegiado onde é mais fácil ser ouvido, onde se recebe mais graças divinas, onde Deus tem interesse por nós, onde o demônio não nos acompanha, onde participamos no banquete divino, é a igreja construída de material, ou de madeira, ou de palha.

O nosso povo católico sente a necessidade da igreja-casa. Por isso está construindo as igrejas embelezando as igrejas, investindo um bom dinheiro nas igrejas. Vale a pena fazer isso, pois zelando as nossas Igrejas agradamos a Jesus Cristo. Assim as belas igrejas nos lembram o Céu e nos atraem para visita-las, facilitam para frequentá-las e em consequência receber mais e mais graças.

  Oh, Bom Jesus! Obrigado pela defesa das nossas igrejas. A beleza delas lembra nos o Céu e isso nos ajuda  seguir os seus ensinamentos para conhecer a verdadeira beleza de Deus e do Céu. “Mas, como está escrito, “o que Deus preparou para os que o amam é algo que os olhos jamais viram, nem os ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu”. (1Cor.2.9) Amém.  

 

 

Bens materiais

Nós homens e mulheres somos criados por Deus a partir de dois elementos:
Um elemento é espiritual que é a nossa alma.
Segundo elemento é material que é o nosso corpo.
Temos que cuidar estes dois elementos. A nossa alma cuidamos pela prática da religião. O nosso corpo cuidamos pelo trabalho físico e intelectual fornecendo a ele coisas materiais. Acontece, que a maior parte do tempo dedicamos aos cuidados do nosso corpo. Ele precisa de comida, de roupas, de uma casa, de remédios, de sono, de descanso.  A história da nossa vida do nosso corpo é rica em maravilhosas invenções e produções de todo o tipo. Temos que constatar que os bens materiais têm muita influência para o nosso comportamento e conduta da nossa vida. A Sagrada Escritura em muitos lugares apresenta o lado bom e o lado ruim dos bens materiais. O lado bom é que pela distribuição dos bens materiais para os necessitados recebemos de Deus um generoso “pagamento” a Vida Eterna no Céu. Podemos at&eac ute; dizer que pelos bens materiais podemos “comprar” um lugar no Céu.
Uma vez Jesus Cristo falou: “Quando o Filho do Homem vier em sua glória, acompanhado de todos os anjos, ele se assentará em seu trono glorioso. Todas as nações da terra serão reunidas diante dele, e ele separará uns dos outros, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos.  E colocará as ovelhas à sua direita e os cabritos, à sua esquerda.  Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai! Recebei em herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo!  Pois eu estava com fome, e me destes de comer; estava com sede, e me destes de beber; eu era forasteiro, e me recebestes em casa; estava nu e me vestistes; doente, e cuidastes de mim; na prisão, e fostes visitar-me’.  Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede, e te demos de beber?  Quando foi que te vimos como forasteiro, e te recebemos em casa, sem roupa, e te vestimos?  Quando foi que te vimos doente ou preso, e fomos te visitar?’  Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade, vos digo: todas as vezes que fizestes isso a um destes mais pequenos, que são meus irmãos, foi a mim que o fizestes!’  Mt.25.31-40
Por isso temos que bem administrar os bens materiais. É importante, com eles praticar caridade fraterna, ser solidário com necessitados, ajudar os menos favorecidos. Se cumulamos os bens materiais só para nós, não ganharemos o Céu. “E Jesus tornou a falar: “Filhos, como é difícil entrar no Reino de Deus!  É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no Reino de Deus!” (Mc.10.24-25)            
O exemplo do mau uso dos bens materiais é Judas Iscariotes, um dos Apóstolos de Jesus Cristo.  A avareza tomou conta dele até o ponto de vendeu próprio Mestre Jesus Cristo. Como é importante não perder o juízo e não se deixar tomar pela ganância. 
“Um dos doze, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os sumos sacerdotes e disse: “Que me dareis se eu vos entregar Jesus?” Combinaram trinta moedas de prata.  E daí em diante ele procurava uma oportunidade para entregá-lo.” (Mt.26.14-16)
O Meu Jesus Cristo, me defenda da ganância material, mas me ajude a ter ganancia de Ti, isto é, viver praticando amor fraterno conforme Senhor nos ensinou. “Eu vos dou um novo mandamento: amai-vos uns aos outros. Como eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros.” Amém.

 

São poucos que se salvarão?

“Jesus atravessava cidades e povoados, ensinando e prosseguindo o caminho para Jerusalém. Alguém lhe perguntou: “Senhor, é verdade que são poucos os que se salvam?” Ele respondeu: ”Esforçai-vos por entrar pela porta estreita. Pois eu vos digo que muitos tentarão entrar e não conseguirão.” (Lc.13.22-24)

Jesus Cristo não revelou o número dos salvos. Só indicou o que fazer para chegar ao Céu. Por que não revelou o número? Dá para entender. Se Ele falasse, que muitos se salvarão, os homens parariam de se preocupar com a sua salvação pensando que certamente vão se salvar. Se Jesus Cristo dissesse, que poucos se salvarão, o desanimo poderia tomar conta dos homens e das mulheres. O pessoal pensaria, que certamente irão para o inferno, não vale pena se esforçar para ser bom.

Mas a Sagrada Escritura nos sugere que muitos se salvarão. O demônio não pode reunir mais gente no Inferno do que Jesus Cristo no Céu. Pois neste caso o demônio triunfaria sobre Jesus Cristo. Ele diria: “Eu sou mais forte do que Tu. A tua morte na cruz  é um sacrifício em vão.” Isto não acontecerá. Quem vai triunfar, é Jesus Cristo. O sacrifício dele na Cruz tem um valor infinito, pois é o sacrifício de Deus infinito. Ele pagou por nós exageradamente.  Podemos imaginar fazendo uma comparação. Que alguém vende rosas. Uma rosa custa cinco reais. Chegou um homem e pegou todas as rosas e pagou por cada uma um milhão de reais. Com a boca aberta todo mundo olhava para este alguém. Será que ele enlouqueceu?  Ele explicou, que ama as rosas tanto que paga por cada uma um milhão de reais. Uma coisa parecida aconteceu com Jesus Cristo e conosco. Jesus Cristo pagou por nós de modo exagerado.  Por toda eternidade os anjos vão olhar para nós com grande admiração e cochichar entre si: “Estes são os homens e as mulheres de modo loco amados por Jesus Cristo. Temos que respeita-los e também amá-los.” Sim! Pensando bem, Jesus Cristo nos ama imensamente. A nossa resposta deve ser na mesma linha, amar a Jesus de todo coração praticando a religião dele com toda dedicação e sacrifício, custe o que custar. E Ele tanto nos ama, que faz de tudo para nos salvar e nos ter ao seu lado. Portanto são João Apóstolo no livro de Apocalipse escreve que viu tantos santos no Céu, que ninguém podia contar: “Depois disso, vi uma multidão imensa, que ninguém podia contar, gente de todas as nações, tribos, povos e línguas. Estavam de pé diante do trono e do Cordeiro; vestiam túnicas brancas e traziam palmas na mão.”  (Ap.7.9)

Meu Bom Jesus! Obrigado pelo teu amor por mim. Me esforço, para por amor a Ti seguir os teus ensinamentos dia por dia. Me ajude com as tuas graças, que eu tenha forças para cumprir as minhas promessas. Amém.

O que é a morte?

A morte é o fim natural da vida terrestre. A alma vai para Deus para ser julgada de sua vida terrestre e o corpo vai para o cemitério esperando a ressurreição no fim do mundo. É bom se lembrar, que a morte acontecerá com todos nos homens e mulheres. Com certeza, um dia vamos morrer. Temos que aproveitar o tempo da nossa vida na terra usando a nossa inteligência para bem administrar esta nossa vida e passar no teste de aprovação para ganhar o Céu. A morte é um grande evento na nossa vida. Jesus Cristo várias vezes chama a nossa atenção para lembrarmos da nossa morte.

E contou-lhes uma parábola: A terra de um homem rico deu uma grande colheita. Ele pensava consigo mesmo: ‘Que vou fazer? Não tenho onde guardar minha colheita’.  Então resolveu: ‘Já sei o que fazer! Vou derrubar meus celeiros e construir maiores; neles vou guardar todo o meu trigo, junto com os meus bens.  Então poderei dizer a mim mesmo: Meu caro, tens uma boa reserva para muitos anos. Descansa, come, bebe, goza a vida!’  Mas Deus lhe diz: ‘Tolo! Ainda nesta noite, tua vida te será tirada. E para quem ficará o que acumulaste?’  Assim acontece com quem ajunta tesouros para si mesmo, mas não se torna rico diante de Deus. (Lc.12.16-21)

 Podemos destacar dois grupos de pessoas que esperam a morte:  

1) O primeiro grupo de pessoas não faz a preparação para a sua morte, pois não acredita na existência de Deus e da alma imortal. São ateus e ateias.  

2) O segundo grupo de pessoas são as que se preocupam com a sua morte e fazem alguma preparação é aquele grupo que acredita em Deus e na alma imortal. Como as estatísticas revelam este grupo é o maior de todos os grupos. O principal motivo deste grupo se preparar para a morte é medo do Inferno. O fato da morte influência fortemente no comportamento das pessoas deste grupo.

Temos que lembrar que Deus quer, que morramos não com medo do Inferno, mas com saudade do Céu. Assim pensou são Paulo Apostolo quando escreveu aos Filipenses: Para mim, de fato, o viver é Cristo e o morrer, lucro. (Fi.1.21) Por isso temos que evitar os pecados e assim a nossa morte não vai nos assustar, ao contrário vai nos alegrar e nos tornar felizes. Pois depois da nossa morte a nossa alma ficará no Céu com Deus Pai, com Jesus Cristo, com o Espirito Santo, com Maria e com todos os Anjos e Santos por toda a Eternidade. São João Apóstolo descreve esta vida no Céu no livro de Apocalipse.

Vi então um novo céu e uma nova terra. Pois o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe.  Vi também a cidade santa, a nova Jerusalém, descendo do céu, de junto de Deus, vestida como noiva enfeitada para o seu esposo. Então, ouvi uma voz forte que saía do trono e dizia: Esta é a morada de Deus-com-os-homens. Ele vai morar junto deles. Eles serão o seu povo, e o próprio Deus-com-eles será seu Deus. Ele enxugará toda lágrima dos seus olhos. A morte não existirá mais, e não haverá mais luto, nem grito, nem dor, porque as coisas anteriores passaram. (Ap.21.1-4)

Ó Meu Bom Jesus, me ajude, que eu por amor do Senhor leve uma vida santa para que o Senhor na hora da minha morte acolha a minha alma  no Céu. Amém.

Vamos para o Céu

Jesus Cristo é o Filho de Deus. Ele recebeu o corpo humano de Maria. Assim se tornou um homem e assim o representante da humanidade. E como representante da humanidade redimiu com a sua Paixão e Morte na cruz os homens e as mulheres dos seus pecados e os e as convidou para entrarem ao Céu, pois para eles e elas Ele abriu as portas do Céu. E  Ele ensinou como seguir o Caminho, que leva para ao Céu. E ainda mais, Ele liberou os recursos para esta caminhada. Então nos muito interessa esta caminhada, pois queremos alcançar o Céu e ficar lá para sempre. Então qual é o Caminho que leva para o Céu? Ele não pode ser difícil para que toda pessoa possa com facilidade conhece-lo e segui-lo pois Deus quer salvar a todos os homens e  mulheres de todas as raças, nações, idades, línguas, culturas etc.  Mas Jesus, aproximando-se, lhes disse: Toda autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, pois, e ensinai a todas as nações, batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.  Ensinai-as a observar tudo o que vos prescrevi. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo. (Mt.28.18-20)

Então quais são exigências para seguir este Caminho e alcançar o Céu?

1) TER A FÉ.  Ora, sem a fé é impossível agradar a Deus, pois quem dele se aproxima deve crer que ele existe e recompensa os que o procuram.  (Hb.11.6)

2) GUARDAR OS MANDAMENTOS. Alguém se aproximou de Jesus e disse: Mestre, que devo fazer de bom para ter a vida eterna?  Ele respondeu: Por que me perguntas sobre o que é bom? Um só é bom. Se queres entrar na vida, observa os mandamentos.  Quais?, perguntou ele. Jesus respondeu: Não cometerás homicídio, não cometerás adultério, não roubarás, não levantarás falso testemunho, honra pai e mãe, ama teu próximo como a ti mesmo.  (Mt.19.16-19)

3) FAZER BOAS OBRAS. Assim como o corpo sem o espírito é morto, assim também a fé, sem as obras, é morta.  (Tg.2.26)

Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai! Recebei em herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo!  Pois eu estava com fome, e me destes de comer; estava com sede, e me destes de beber; eu era forasteiro, e me recebestes em casa; estava nu e me vestistes; doente, e cuidastes de mim; na prisão, e fostes visitar-me’. Então os justos lhe perguntarão: ‘Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Com sede, e te demos de beber?  Quando foi que te vimos como forasteiro, e te recebemos em casa, sem roupa, e te vestimos?  Quando foi que te vimos doente ou preso, e fomos te visitar?’  Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade, vos digo: todas as vezes que fizestes isso a um destes mais pequenos, que são meus irmãos, foi a mim que o fizestes!’  (Mt.25.34-45)

4) RECEBER OS SANTOS SACRAMENTOOS.  Os santos sacramentos são fontes de graças divinas que nos fortalecem na caminhada para o Céu.

O Batismo nos faz filhos de Deus. A Crisma faz de nos soldados espirituais de Deus. A Penitência nos purifica dos pecados. A Eucaristia nos une intimamente com Jesus. A Unção dos Enfermos nos blinda dos ataques do demônio na hora da morte. O Matrimônio santifica a família. O Sacerdócio representa na pessoa do padre o Próprio Cristo.

5) RESPEITAR AS AUTORIDADES DA IGREJA. Quem vos escuta, a mim escuta; e quem vos despreza, a mim despreza; ora, quem me despreza, despreza Aquele que me enviou. (Lc.10.16)

O Caminho da Salvação é bonito e possui muitos recursos para segui-lo. E o fim desta caminhada é excepcional. Mas, como está escrito, o que Deus preparou para os que o amam é algo que os olhos jamais viram, nem os ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu. (1Cor.2.9)

O, Meu Bom Jesus, eu quero seguir o Caminho da Salvação. Eu seria um louco abandonando este Caminho. Eu agradeço que vivo em época cristã, num pais na sua maioria cristã, numa família cristã, que me educou no amor a Jesus Cristo e me acompanha com as suas orações para que algum dia nós todos nos encontremos no Céu. Obrigado, meu Deus! Obrigado! 

Junto com Jesus Cristo

Os Evangelhos várias vezes anunciam, que Jesus Cristo depois de ensinar as multidões ficava só para orar.  Passava noite inteira rezando ao Deus-Pai. Naqueles dias, Jesus foi à montanha para orar. Passou a noite toda em oração a Deus. (Lc.6.12) Depois de despedi-las, subiu à montanha, a sós, para orar. Anoiteceu, e Jesus continuava lá, sozinho. (Mt.14.23)

E Jesus Cristo deu a nós os seus seguidores a ordem de rezarmos: Vigiai e orai, para não cairdes em tentação.  (Mt.26.41) A oração na nossa vida cristã é muito importante. Jesus Cristo valoriza muito a oração. Portanto são Paulo atribui a oração uma força extraordinária, pois ele manda rezar sem cessar. Orai sem cessar.  (1Ts.5.17)

Por que a oração tem tanta importância?  O que acontece conosco quando rezamos? É fácil de entender. Quando rezamos, ficamos face a face com Jesus Cristo. Ficamos de modo invisível, mas ficamos. A oração nos aproxima de Jesus Cristo. No encontro com Jesus Cristo vamos ouvir os elogios: As minhas ovelhas escutam a minha voz, eu as conheço e elas me seguem. (Jo.10.27) Seria uma tragédia se ouvíssemos: Em verdade vos digo: não vos conheço. (Mt.25.12)

Para entender melhor o valor da oração vamos fazer uma comparação, pois Jesus Cristo quando nos ensina a rezar o Pai nosso, fez esta comparação: assim na terra como no Céu.  (Mt.6.10) Então como nós nos comportamos aqui na terra diante da pessoa amada? Quem ama, não esquece da pessoa amada, pensa nela dia e noite. Mais ainda. As pessoas que se amam gostam de ficar perto de si. Por exemplo a esposa quer que o marido fique em casa quando ela faz vários serviços domésticos. Também o marido gosta de ficar em casa, que seja olhando a televisão com a esposa.  Muitas vezes ele ajuda nos serviços caseiros. Pois é importante ficar perto da pessoa amada. A mesma coisa acontece com os namorados. Eles gostam de ficar juntos.  São felizes, quando estão pertos um do outro. Esta aproximação entre as pessoas que se amam é dada por Deus. Ele quer que nós fiquemos perto dele pois Ele nos ama.  Rezando ficamos perto dele e Ele é feliz conosco.

O convite de Jesus para vigiar se refere  aqueles, que não amam a Jesus Cristo.  Portanto, vigiai, pois não sabeis o dia, nem a hora. (Mt.25.13) Que não aconteça, que depois da nossa morte Jesus Cristo olhando para nós vai dizer: Não te conheço. Pois nós não tivemos rezado e assim ficamos longe dele.

 Se Você, meu Irmão e minha Irmão esquece de rezar então saiba que Você não ama Jesus Cristo. Medite mais vezes sobre Jesus Cristo, da sua paixão, da sua morte na cruz e Você  começará   ama-lo. Portanto a morte não assustará Você, pois Jesus Cristo vai dizer: Eu te conheço pois Você conversava comigo na oração, entre no meu Reino. Veja, como a oração é muito importante, pois a oração nos segura perto de Jesus aqui na Terra e depois da morte no Céu.

Ó, Meu Amado Jesus Cristo, eu rezo todos os dias. Aceite com bom agrado as minhas orações, para que eu fique contigo aqui na Terra e depois da morte no Céu.

 Vigiai, portanto, pois não sabeis em que dia virá o vosso Senhor.  Mt.24.42

Riquezas do mundo

Não ajunteis tesouros aqui na terra, onde a traça e a ferrugem destroem e os ladrões assaltam e roubam. Ao contrário, ajuntai para vós tesouros no céu, onde a traça e a ferrugem não destroem, nem os ladrões assaltam e roubam. (Mt. 6.18-19) 

Nós, homens e mulheres, por natureza somos materialistas. Queremos possuir os bens materiais cada vez mais e mais. Queremos boa comida, roupas bonitas, moradia bem feita, bom emprego ou ser proprietário de uma empresa. Isto tem o seu lado bom e o seu lado ruim.

O lado bom é, que querendo possuir bens materiais, a pessoa humana tem que trabalhar. E o trabalho é uma virtude abençoada por Deus. Graças ao trabalho se consegue recursos para o bom funcionamento da vida humana.  Pelo trabalho o homem faz pesquisas,  várias experiências, inventando novas tecnologias conseguindo produzir mais e melhor. Esta atividade é abençoada.   

O lado ruim de possuir bens materiais é, que pessoas tomadas pela ganancia para ter mais e mais bens materiais logram, roubam, assaltam, matam outras pessoas. Também o lado ruim do uso dos bens materiais é, que as pessoas abusam dos bens materiais levando uma vida dissoluta. Para estas pessoas Jesus Cristo dirige uma severa advertência: E digo ainda: é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha, do que um rico entrar no Reino de Deus. (Mt.19.24)

Jesus Cristo em seus ensinamentos está apelando para a nossa inteligência, para que saibamos que com os nossos bens materiais podemos facilitar o ganho da salvação eterna. É verdade, que precisamos de bens materiais para manter a nossa vida terrestre. Mas só para nos manter vivos e poder trabalhar. Os bens materiais tem o seu lado espiritual. Podemos dizer que com eles é viável comprar um lugar no Céu, comprar a salvação eterna. Como isto acontece? Acontece quando usamos bens materiais para praticar a caridade fraterna. O próprio Jesus Cristo abertamente declarou, que no julgamento no fim do mundo Ele vai julgar assim: Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai! Recebei em herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo!  Pois eu estava com fome, e me destes de comer; estava com sede, e me destes de beber; eu era forasteiro, e me recebestes em casa;  estava nu e me vestistes... Mt.25.34-36) Os justos perguntarão: Quando foi isso:  40 Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade, vos digo: todas as vezes que fizestes isso a um destes mais pequenos, que são meus irmãos, foi a mim que o fizestes!... (Mt.25.40)

E aqueles que não praticam a caridade receberão esta resposta: Então, o Rei lhes responderá: Em verdade, vos digo, todas as vezes que não fizestes isso a um desses mais pequenos, foi a mim que o deixastes de fazer!  E estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna. (Mt.25.45-46.

Os bens materiais bem usados garantem a salvação dos praticantes a caridade fraterna.

Oh! Bom Jesus, me santifique com as suas graças, que eu de modo sábio administre os meus bens materiais para que eu mereça os elogios do Senhor e assim ganhe a vida eterna no Céu. Amém.

Reclamar

Várias vezes encontrei pessoas que reclamaram da vida por causa das dificuldades e culparam a Deus por tudo que estava errado na sua vida. Mais ou menos as conversas eram deste tipo. Por que eu sofro? Por que Deus me castiga? O que eu fiz errado? Tem pessoas piores do que eu que tem a vida boa. Não vale a pena rezar e frequentar a igreja. Deus é surdo não escuta a gente. etc.

Será que tem uma resposta sensata para estes reclamadores? Sim! Tem.

O mal neste mundo existe para experimentar o amor do homem para com Deus. Quem acolhe e observa os meus mandamentos, esse me ama. Ora, quem me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele.... Quem não me ama, não guarda as minhas palavras. Jo.14.21;24.

 O homem que ama a Deus, vai resistir ao mal, custe que custar. Como exemplo são os santos, especialmente mártires. Preferiram morrer do que violar as leis de Deus e pecar. Mesmo que o mal puxa para o seu lado, o homem não deve deixar-se dominar por ele. Precisa não esquecer que a vida aqui neste mundo é passageira e precisa lembrar que o espera é a vida eterna nos Céus.   Portanto o homem tem que aguentar os males e as carências desta vida e não reclamar: Mas, como está escrito, o que Deus preparou para os que o amam é algo que os olhos jamais viram, nem os ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu. (1Cor.2.9)

O exemplo de fidelidade a Deus é são João Batista. O próprio Jesus Cristo o elogiou: Jesus começou a falar às multidões sobre João: Que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento?  Que fostes ver? Um homem vestido com roupas finas? Olhai, os que vestem roupas finas estão nos palácios dos reis.  Que fostes ver então? Um profeta? Sim, eu vos digo, e mais do que profeta. Este é de quem está escrito: ‘Eis que envio meu mensageiro à tua frente, para preparar o teu caminho diante de ti’. Em verdade, eu vos digo, entre todos os nascidos de mulher não surgiu quem fosse maior que João Batista.(Mt.11.7-11)  

São João Batista era um homem de muitas penitências e de muita oração, um homem santo. Com coragem corrigia os pecadores. Até foi corrigir o próprio rei. Isto o custou a prisão. E por fim o rei mandou o decapitar. E assim surge a pergunta dos reclamadores: Por que Deus o abandonou e permitiu que ele suportasse tanto sofrimento? A resposta é esta: Deus não o abandonou. Ele, João Batista considerou ter um privilégio ao sofrer por causa da fidelidade as leis de Deus, pois este sofrimento   prova o seu grande amor a Deus.

Também para são Paulo Apóstolo o sofrer por causa de Jesus Cristo é um privilégio pois o sofrer prova o grande amor por Ele: Tenho certeza de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potências, nem a altura, nem a profundeza, nem outra criatura qualquer será capaz de nos separar do amor de Deus, que está no Cristo Jesus, nosso Senhor.  (Rm.8.38-39). Deus quer que nós mostremos amor a ele, que nada nos possa separar dele. Por isso são Paulo Apostolo não se queixa que tem que morrer, ao contrário está se gabando que vai morrer por amor a Jesus Cristo. Para mim, de fato, o viver é Cristo e o morrer, lucro. (Fl.1.21). São Paulo Apóstolo toda a sua vida com todas as suas consequências ofereceu a Jesus Cristo. Até o morrer por Jesus Cristo chama um lucro.

Oh! Meu Bom Jesus, não quero nunca reclamar da vida, mas diante do Céu e da Terra mostrar que por amor a Ti e com ajuda da tua graça estou pronto para suportar todo o sofrimento, até morrer por Ti. Amém.              

A Igreja é Santa

Para São Pedro Apóstolo Jesus Cristo falou palavras que dão um arrepio na cabeça: Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus. (Mt.16.19)   São Pedro recebeu o poder divino. Ele, um homem, pode abrir a porta dos Céus, a porta da Salvação. Jesus Cristo passou para ele um poder divino, inimaginável para nós homens. E este poder continua com os bispos e padres.

Que poder é este, que abre a porta do Céu? A graça santificante. Esta graça é ligada sobretudo com os sete santos sacramentos. Administrando estes sacramentos a pessoa recebe as graças que a santificam. O que significa, que ela a santifica? Que ela purifica a alma da sujeira do pecado e a enfeita com os recursos divinos contra o pecado. Com a graça santificante a alma fica mais perto de Jesus e fica mais resistente ao pecado pois Jesus mesmo assegura: Eu estou com vocês todos os dias até fim do mundo. (Mt.28.20) Podemos dizer que a Igreja é uma oficina que concerta a alma humana tornando a santa. Por tanto a Igreja em sua totalidade é santa pois dispõe as graças que fazem as pessoas santas.

Por isso dizemos que a Igreja é santa:

1) na sua origem, pois ela é fundada por Jesus Cristo e é declarada o seu Corpo. Deus pôs tudo debaixo de seus pés e o constituiu acima de tudo, como cabeçada da Igreja, que é o seu Corpo, a plenitude daquele que se plenifica em todas as coisas.  (Ef.1.22-23) Ele é a Cabeça do corpo, que é a Igreja.  Cl.1.18)

2) nas graças que dispõe nos santos sacramentos, especialmente na Eucaristia. Jesus disse: Em verdade, em verdade, vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós.  Quem se alimenta com a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.  Pois minha carne é verdadeira comida e meu sangue é verdadeira bebida.  Quem se alimenta com a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim, e eu nele. (Jo.6.52-56)

3)nos seus ensinamentos, especialmente quando implanta o amor fraterno.   Se eu falasse as línguas dos homens e as dos anjos, mas não tivesse amor, eu seria como um bronze que soa ou um címbalo que retine.  Se eu tivesse o dom da profecia, se conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, se tivesse toda a fé, a ponto de remover montanhas, mas não tivesse amor, eu nada seria.  Se eu gastasse todos os meus bens no sustento dos pobres e até me entregasse como escravo, para me gloriar, mas não tivesse amor, de nada me aproveitaria. (1Cor.13.1-3)

A Igreja é aberta para todos os pecadores. Acolhe os para santificá-los.

A Igreja já fez muitos santos e santas. Quem ama Jesus Cristo então já entrou no caminho da santidade. Vai aprender amar ao próximo e se tornar santo. Pois o amor fraterno é cerne da santidade.

Não fiqueis devendo nada a ninguém… a não ser o amor que deveis uns aos outros, pois quem ama o próximo cumpre plenamente a Lei.  De fato, os mandamentos: Não cometerás adultério, Não cometerás homicídio, Não roubarás, Não cobiçarás, e qualquer outro mandamento, se resumem neste: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.  O amor não faz nenhum mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da Lei. (Rm.13.8-10)

Ó, Meu Bom Jesus! Quero ser santo, então peço, me ajude a fugir das tentações do pecado e sempre pela oração e pelos santos sacramentos ficar agarrado ao Senhor. Amem.

A morte

A morte entre os seres vivos como são animais ou plantas é uma coisa normal. Só Deus planejou o homem livrar da morte. O Senhor Deus deu-lhe (Adão) uma ordem, dizendo: Podes comer de todas as árvores do jardim.  Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não deves comer, porque, no dia em que dele comeres, com certeza morrerás (Gn.2.16-17). Assim mesmo que o homem tenha uma natureza mortal, Deus o destinou a não morrer. A morte foi, portanto, contrária aos desígnios de Deus Criador e entrou no mundo como consequência do pecado. "A morte corporal, à qual o homem teria sido subtraído se não tivesse pecado", é assim "o último inimigo" do homem a ser vencido (1 Cor 15,26). Assim a morte é consequência do pecado. Este pecado, que chamamos pecado original é um grande desaforo feito a Deus. Pois Adão e Eva desprezaram a ordem de Deus e obedeceram a ordem do demônio. Trocaram Deus pelo demônio. Pois como o pecado entrou no mundo por um só homem e, por meio do pecado, a morte; e a morte passou para todos os homens, porque todos pecaram…( Rm.5.12).

A morte carrega consigo o castigo. O castigo   começou existir depois do pecado. Ao homem (Adão) ele (Deus) disse: Porque ouviste a voz da tua mulher e comeste da árvore, de cujo fruto te proibi comer, amaldiçoado será o solo por tua causa. Com sofrimento tirarás dele o alimento todos os dias de tua vida.  Ele produzirá para ti espinhos e ervas daninhas, e tu comerás das ervas do campo.  Comerás o pão com o suor do teu rosto, até voltares ao solo, do qual foste tirado. Porque tu és pó e ao pó hás de voltar. (Gn.3.17-19).

Na sua maioria  as pessoas têm medo da morte. É justo. Pois ela é um castigo. Temos medo pois não sabemos de que tipo de morte vai tirar a nossa vida. Será que vamos sofrer muito? Será que morreremos de repente de enfarto? Será que morreremos num desastre? Será que alguém vai nos assassinar? Será que antes de morrer alguém vai nos torturar? Etc., etc.

Quando a morte nos assusta, temos uma forte consolação. São Paulo Apóstolo lembra disso: Como em Adão todos morrem, assim em Cristo todos serão vivificados. (1Cor.15.22). A ressureição de Jesus Cristo garante a volta do nosso corpo morto à vida. Assim o nosso corpo será valorizado de novo na ressureição dos mortos no fim do mundo. Mas, na realidade, Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram. Com efeito, por um homem veio a morte e é também por um homem que vem a ressurreição dos mortos. (1Cor.15.20-21). Somos privilegiados pela ressureição de Jesus Cristo. Ele pela sua ressureição venceu a morte humana e nos devolverá o nosso corpo vivo no fim do mundo.

Portanto Jesus Cristo nos adverte, para que nós sejamos atentos para todos os dias praticar a religião dele para merecermos a ressureição gloriosa: Vigiai, portanto, pois não sabeis em que dia virá o vosso Senhor. ( Mt.24.42). E são Paulo Apóstolo incentiva a pratica da religião de Jesus Cristo pois esta prática será recompensada. Pois é preciso que este ser corruptível se vista de incorruptibilidade e este ser mortal se vista de imortalidade...Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis, progredindo sempre na obra do Senhor, certos de que vossas fadigas não são em vão, no Senhor.   (1Cor.15.53...58).                                                  

O, Bom Jesus! Não sei que morte me espera. Mas já rezei milhares de vezes a Maria: Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte. Espero que me darás uma morte feliz na tua presença e de Maria Santíssima. Amem.