Perto de Deus - Padre Wieslaw
Riquezas do mundo

“Não ajunteis tesouros aqui na terra, onde a traça e a ferrugem destroem e os ladrões assaltam e roubam. Ao contrário, ajuntai para vós tesouros no céu, onde a traça e a ferrugem não destroem, nem os ladrões assaltam e roubam.” (Mt. 6.18-19) 

Nós, homens e mulheres, por natureza somos materialistas. Queremos possuir os bens materiais cada vez mais e mais. Queremos boa comida, roupas bonitas, moradia bem feita, bom emprego ou ser proprietário de uma empresa. Isto tem o seu lado bom e o seu lado ruim.

O lado bom é, que querendo possuir bens materiais, a pessoa humana tem que trabalhar. E o trabalho é uma virtude abençoada por Deus. Graças ao trabalho se consegue recursos para o bom funcionamento da vida humana.  Pelo trabalho o homem faz pesquisas,  várias experiências, inventando novas tecnologias conseguindo produzir mais e melhor. Esta atividade é abençoada.   

O lado ruim de possuir bens materiais é, que pessoas tomadas pela ganancia para ter mais e mais bens materiais logram, roubam, assaltam, matam outras pessoas. Também o lado ruim do uso dos bens materiais é, que as pessoas abusam dos bens materiais levando uma vida dissoluta. Para estas pessoas Jesus Cristo dirige uma severa advertência: “E digo ainda: é mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha, do que um rico entrar no Reino de Deus”. (Mt.19.24)

Jesus Cristo em seus ensinamentos está apelando para a nossa inteligência, para que saibamos que com os nossos bens materiais podemos facilitar o ganho da salvação eterna. É verdade, que precisamos de bens materiais para manter a nossa vida terrestre. Mas só para nos manter vivos e poder trabalhar. Os bens materiais tem o seu lado espiritual. Podemos dizer que com eles é viável “comprar” um lugar no Céu, “comprar” a salvação eterna. Como isto acontece? Acontece quando usamos bens materiais para praticar a caridade fraterna. O próprio Jesus Cristo abertamente declarou, que no julgamento no fim do mundo Ele vai julgar assim: “Então o Rei dirá aos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, benditos de meu Pai! Recebei em herança o Reino que meu Pai vos preparou desde a criação do mundo!  Pois eu estava com fome, e me destes de comer; estava com sede, e me destes de beber; eu era forasteiro, e me recebestes em casa;  estava nu e me vestistes...” Mt.25.34-36) “Os justos perguntarão: Quando foi isso:“  40 Então o Rei lhes responderá: ‘Em verdade, vos digo: todas as vezes que fizestes isso a um destes mais pequenos, que são meus irmãos, foi a mim que o fizestes!”... (Mt.25.40)

E aqueles que não praticam a caridade receberão esta resposta: “Então, o Rei lhes responderá: “Em verdade, vos digo, todas as vezes que não fizestes isso a um desses mais pequenos, foi a mim que o deixastes de fazer!”  E estes irão para o castigo eterno, enquanto os justos irão para a vida eterna”. (Mt.25.45-46.”

Os bens materiais bem usados garantem a salvação dos praticantes a caridade fraterna.

Oh! Bom Jesus, me santifique com as suas graças, que eu de modo sábio administre os meus bens materiais para que eu mereça os elogios do Senhor e assim ganhe a vida eterna no Céu. Amém.

Reclamar

Várias vezes encontrei pessoas que reclamaram da vida por causa das dificuldades e culparam a Deus por tudo que estava errado na sua vida. Mais ou menos as conversas eram deste tipo. “Por que eu sofro? Por que Deus me castiga? O que eu fiz errado? Tem pessoas piores do que eu que tem a vida boa. Não vale a pena rezar e frequentar a igreja. Deus é surdo não escuta a gente. etc.”

Será que tem uma resposta sensata para estes reclamadores? Sim! Tem.

O mal neste mundo existe para experimentar o amor do homem para com Deus. “Quem acolhe e observa os meus mandamentos, esse me ama. Ora, quem me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele.... Quem não me ama, não guarda as minhas palavras. ” Jo.14.21;24.

 O homem que ama a Deus, vai resistir ao mal, custe que custar. Como exemplo são os santos, especialmente mártires. Preferiram morrer do que violar as leis de Deus e pecar. Mesmo que o mal puxa para o seu lado, o homem não deve deixar-se dominar por ele. Precisa não esquecer que a vida aqui neste mundo é passageira e precisa lembrar que o espera é a vida eterna nos Céus.   Portanto o homem tem que aguentar os males e as carências desta vida e não reclamar: “Mas, como está escrito, “o que Deus preparou para os que o amam é algo que os olhos jamais viram, nem os ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu. ” (1Cor.2.9)

O exemplo de fidelidade a Deus é são João Batista. O próprio Jesus Cristo o elogiou: ”Jesus começou a falar às multidões sobre João: “Que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento?  Que fostes ver? Um homem vestido com roupas finas? Olhai, os que vestem roupas finas estão nos palácios dos reis.  Que fostes ver então? Um profeta? Sim, eu vos digo, e mais do que profeta. Este é de quem está escrito: ‘Eis que envio meu mensageiro à tua frente, para preparar o teu caminho diante de ti’. Em verdade, eu vos digo, entre todos os nascidos de mulher não surgiu quem fosse maior que João Batista.”(Mt.11.7-11)  

São João Batista era um homem de muitas penitências e de muita oração, um homem santo. Com coragem corrigia os pecadores. Até foi corrigir o próprio rei. Isto o custou a prisão. E por fim o rei mandou o decapitar. E assim surge a pergunta dos reclamadores: Por que Deus o abandonou e permitiu que ele suportasse tanto sofrimento? A resposta é esta: Deus não o abandonou. Ele, João Batista considerou ter um privilégio ao sofrer por causa da fidelidade as leis de Deus, pois este sofrimento   prova o seu grande amor a Deus.

Também para são Paulo Apóstolo o sofrer por causa de Jesus Cristo é um privilégio pois o sofrer prova o grande amor por Ele: “Tenho certeza de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potências, nem a altura, nem a profundeza, nem outra criatura qualquer será capaz de nos separar do amor de Deus, que está no Cristo Jesus, nosso Senhor.”  (Rm.8.38-39). Deus quer que nós mostremos amor a ele, que nada nos possa separar dele. Por isso são Paulo Apostolo não se queixa que tem que morrer, ao contrário está se gabando que vai morrer por amor a Jesus Cristo. “Para mim, de fato, o viver é Cristo e o morrer, lucro.” (Fl.1.21). São Paulo Apóstolo toda a sua vida com todas as suas consequências ofereceu a Jesus Cristo. Até o morrer por Jesus Cristo chama “um lucro”.

Oh! Meu Bom Jesus, não quero nunca reclamar da vida, mas diante do Céu e da Terra mostrar que por amor a Ti e com ajuda da tua graça estou pronto para suportar todo o sofrimento, até morrer por Ti. Amém.

Reclamar

Várias vezes encontrei pessoas que reclamaram da vida por causa das dificuldades e culparam a Deus por tudo que estava errado na sua vida. Mais ou menos as conversas eram deste tipo. “Por que eu sofro? Por que Deus me castiga? O que eu fiz errado? Tem pessoas piores do que eu que tem a vida boa. Não vale a pena rezar e frequentar a igreja. Deus é surdo não escuta a gente. etc.”

Será que tem uma resposta sensata para estes reclamadores? Sim! Tem.

O mal neste mundo existe para experimentar o amor do homem para com Deus. “Quem acolhe e observa os meus mandamentos, esse me ama. Ora, quem me ama será amado por meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele.... Quem não me ama, não guarda as minhas palavras. ” Jo.14.21;24.

 O homem que ama a Deus, vai resistir ao mal, custe que custar. Como exemplo são os santos, especialmente mártires. Preferiram morrer do que violar as leis de Deus e pecar. Mesmo que o mal puxa para o seu lado, o homem não deve deixar-se dominar por ele. Precisa não esquecer que a vida aqui neste mundo é passageira e precisa lembrar que o espera é a vida eterna nos Céus.   Portanto o homem tem que aguentar os males e as carências desta vida e não reclamar: “Mas, como está escrito, “o que Deus preparou para os que o amam é algo que os olhos jamais viram, nem os ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu. ” (1Cor.2.9)

O exemplo de fidelidade a Deus é são João Batista. O próprio Jesus Cristo o elogiou: ”Jesus começou a falar às multidões sobre João: “Que fostes ver no deserto? Um caniço agitado pelo vento?  Que fostes ver? Um homem vestido com roupas finas? Olhai, os que vestem roupas finas estão nos palácios dos reis.  Que fostes ver então? Um profeta? Sim, eu vos digo, e mais do que profeta. Este é de quem está escrito: ‘Eis que envio meu mensageiro à tua frente, para preparar o teu caminho diante de ti’. Em verdade, eu vos digo, entre todos os nascidos de mulher não surgiu quem fosse maior que João Batista.”(Mt.11.7-11)  

São João Batista era um homem de muitas penitências e de muita oração, um homem santo. Com coragem corrigia os pecadores. Até foi corrigir o próprio rei. Isto o custou a prisão. E por fim o rei mandou o decapitar. E assim surge a pergunta dos reclamadores: Por que Deus o abandonou e permitiu que ele suportasse tanto sofrimento? A resposta é esta: Deus não o abandonou. Ele, João Batista considerou ter um privilégio ao sofrer por causa da fidelidade as leis de Deus, pois este sofrimento   prova o seu grande amor a Deus.

Também para são Paulo Apóstolo o sofrer por causa de Jesus Cristo é um privilégio pois o sofrer prova o grande amor por Ele: “Tenho certeza de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potências, nem a altura, nem a profundeza, nem outra criatura qualquer será capaz de nos separar do amor de Deus, que está no Cristo Jesus, nosso Senhor.”  (Rm.8.38-39). Deus quer que nós mostremos amor a ele, que nada nos possa separar dele. Por isso são Paulo Apostolo não se queixa que tem que morrer, ao contrário está se gabando que vai morrer por amor a Jesus Cristo. “Para mim, de fato, o viver é Cristo e o morrer, lucro.” (Fl.1.21). São Paulo Apóstolo toda a sua vida com todas as suas consequências ofereceu a Jesus Cristo. Até o morrer por Jesus Cristo chama “um lucro”.

Oh! Meu Bom Jesus, não quero nunca reclamar da vida, mas diante do Céu e da Terra mostrar que por amor a Ti e com ajuda da tua graça estou pronto para suportar todo o sofrimento, até morrer por Ti. Amém.              

A Igreja é Santa

Para São Pedro Apóstolo Jesus Cristo falou palavras que dão um arrepio na cabeça: ”Eu te darei as chaves do Reino dos Céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus”. (Mt.16.19)   São Pedro recebeu o poder divino. Ele, um homem, pode abrir a porta dos Céus, a porta da Salvação. Jesus Cristo passou para ele um poder divino, inimaginável para nós homens. E este poder continua com os bispos e padres.

Que poder é este, que abre a porta do Céu? A graça santificante. Esta graça é ligada sobretudo com os sete santos sacramentos. Administrando estes sacramentos a pessoa recebe as graças que a santificam. O que significa, que ela a santifica? Que ela purifica a alma da sujeira do pecado e a enfeita com os recursos divinos contra o pecado. Com a graça santificante a alma fica mais perto de Jesus e fica mais resistente ao pecado pois Jesus mesmo assegura: “Eu estou com vocês todos os dias até fim do mundo.” (Mt.28.20) Podemos dizer que a Igreja é uma oficina que concerta a alma humana tornando a santa. Por tanto a Igreja em sua totalidade é santa pois dispõe as graças que fazem as pessoas santas.

Por isso dizemos que a Igreja é santa:

1) na sua origem, pois ela é fundada por Jesus Cristo e é declarada o seu Corpo. “Deus pôs tudo debaixo de seus pés e o constituiu acima de tudo, como cabeçada da Igreja, que é o seu Corpo, a plenitude daquele que se plenifica em todas as coisas.”  (Ef.1.22-23) “Ele é a Cabeça do corpo, que é a Igreja.”  Cl.1.18)

2) nas graças que dispõe nos santos sacramentos, especialmente na Eucaristia. “Jesus disse: “Em verdade, em verdade, vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós.  Quem se alimenta com a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia.  Pois minha carne é verdadeira comida e meu sangue é verdadeira bebida.  Quem se alimenta com a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim, e eu nele.” (Jo.6.52-56)

3)nos seus ensinamentos, especialmente quando implanta o amor fraterno.   “Se eu falasse as línguas dos homens e as dos anjos, mas não tivesse amor, eu seria como um bronze que soa ou um címbalo que retine.  Se eu tivesse o dom da profecia, se conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, se tivesse toda a fé, a ponto de remover montanhas, mas não tivesse amor, eu nada seria.  Se eu gastasse todos os meus bens no sustento dos pobres e até me entregasse como escravo, para me gloriar, mas não tivesse amor, de nada me aproveitaria”. (1Cor.13.1-3)

A Igreja é aberta para todos os pecadores. Acolhe os para santificá-los.

A Igreja já fez muitos santos e santas. Quem ama Jesus Cristo então já entrou no caminho da santidade. Vai aprender amar ao próximo e se tornar santo. Pois o amor fraterno é cerne da santidade.

“Não fiqueis devendo nada a ninguém… a não ser o amor que deveis uns aos outros, pois quem ama o próximo cumpre plenamente a Lei.  De fato, os mandamentos: “Não cometerás adultério”, “Não cometerás homicídio”, “Não roubarás”, “Não cobiçarás”, e qualquer outro mandamento, se resumem neste: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo”.  O amor não faz nenhum mal contra o próximo. Portanto, o amor é o cumprimento perfeito da Lei. (Rm.13.8-10)

Ó, Meu Bom Jesus! Quero ser santo, então peço, me ajude a fugir das tentações do pecado e sempre pela oração e pelos santos sacramentos ficar agarrado ao Senhor. Amem.

A morte

A morte entre os seres vivos como são animais ou plantas é uma coisa normal. Só Deus planejou o homem livrar da morte. “O Senhor Deus deu-lhe (Adão) uma ordem, dizendo: “Podes comer de todas as árvores do jardim.  Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não deves comer, porque, no dia em que dele comeres, com certeza morrerás” (Gn.2.16-17). Assim mesmo que o homem tenha uma natureza mortal, Deus o destinou a não morrer. A morte foi, portanto, contrária aos desígnios de Deus Criador e entrou no mundo como consequência do pecado. "A morte corporal, à qual o homem teria sido subtraído se não tivesse pecado", é assim "o último inimigo" do homem a ser vencido (1 Cor 15,26). Assim a morte é consequência do pecado. Este pecado, que chamamos pecado original é um grande desaforo feito a Deus. Pois Adão e Eva desprezaram a ordem de Deus e obedeceram a ordem do demônio. Trocaram Deus pelo demônio. “Pois como o pecado entrou no mundo por um só homem e, por meio do pecado, a morte; e a morte passou para todos os homens, porque todos pecaram…”( Rm.5.12).

A morte carrega consigo o castigo. O castigo   começou existir depois do pecado. “Ao homem (Adão) ele (Deus) disse: “Porque ouviste a voz da tua mulher e comeste da árvore, de cujo fruto te proibi comer, amaldiçoado será o solo por tua causa. Com sofrimento tirarás dele o alimento todos os dias de tua vida.  Ele produzirá para ti espinhos e ervas daninhas, e tu comerás das ervas do campo.  Comerás o pão com o suor do teu rosto, até voltares ao solo, do qual foste tirado. Porque tu és pó e ao pó hás de voltar”. (Gn.3.17-19).

Na sua maioria  as pessoas têm medo da morte. É justo. Pois ela é um castigo. Temos medo pois não sabemos de que tipo de morte vai tirar a nossa vida. Será que vamos sofrer muito? Será que morreremos de repente de enfarto? Será que morreremos num desastre? Será que alguém vai nos assassinar? Será que antes de morrer alguém vai nos torturar? Etc., etc.

Quando a morte nos assusta, temos uma forte consolação. São Paulo Apóstolo lembra disso: “Como em Adão todos morrem, assim em Cristo todos serão vivificados.” (1Cor.15.22). A ressureição de Jesus Cristo garante a volta do nosso corpo morto à vida. Assim o nosso corpo será valorizado de novo na ressureição dos mortos no fim do mundo. “Mas, na realidade, Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram. Com efeito, por um homem veio a morte e é também por um homem que vem a ressurreição dos mortos.” (1Cor.15.20-21). Somos privilegiados pela ressureição de Jesus Cristo. Ele pela sua ressureição venceu a morte humana e nos devolverá o nosso corpo vivo no fim do mundo.

Portanto Jesus Cristo nos adverte, para que nós sejamos atentos para todos os dias praticar a religião dele para merecermos a ressureição gloriosa: “Vigiai, portanto, pois não sabeis em que dia virá o vosso Senhor.” ( Mt.24.42). E são Paulo Apóstolo incentiva a pratica da religião de Jesus Cristo pois esta prática será recompensada. “Pois é preciso que este ser corruptível se vista de incorruptibilidade e este ser mortal se vista de imortalidade...Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis, progredindo sempre na obra do Senhor, certos de que vossas fadigas não são em vão, no Senhor.   (1Cor.15.53...58).                                                  

O, Bom Jesus! Não sei que morte me espera. Mas já rezei milhares de vezes a Maria: “Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte.” Espero que me darás uma morte feliz na tua presença e de Maria Santíssima. Amem.       

 

O medo

“Não tenhais medo daqueles que matam o corpo, mas são incapazes de matar a alma! Pelo contrário, temei Aquele que pode destruir a alma e o corpo no inferno!” (Mt.10.28) Lendo este texto a gente sente um arrepio e os cabelos querem ficar de pé. A gente percebe que nesta terra não há a paz e não haverá. Estamos em estado  permanente de guerra. O demônio incansavelmente trava uma feroz batalha pelas nossas almas para leva-las ao Inferno. O inferno é a morte espiritual.  E nesta batalha o demônio tem cumplices entre os homens e mulheres. Por meio deles e delas ele falsifica os ensinamentos de Jesus Cristo. E o que espanta, é que por meio destas pessoas acontecem  alguns tipos de “milagres” e assim atraem para si numerosas pessoas. Jesus Cristo nos advertiu: “Surgirão falsos cristos e falsos profetas, que farão grandes prodígios e maravilhas para enganar, se possível, até os eleitos.  Vede, eu vos preveni! “ (Mt.24.24-25)

Estes falsos profetas serão talentosos artistas. Saberão usar os seus talentos para atrair a si muitas pessoas. Portanto a advertência de Jesus Cristo é válida por todos os tempos. Ela é séria, pois o próprio Jesus Cristo nos advertiu:  “Cuidado com os falsos profetas: eles vêm até vós vestidos de ovelha, mas por dentro são lobos ferozes.  Pelos seus frutos os conhecereis. Acaso se colhem uvas de espinheiros, ou figos de urtigas?  Assim, toda árvore boa produz frutos bons, e toda árvore má produz frutos maus. Uma árvore boa não pode dar frutos maus, nem uma árvore má dar frutos bons. Toda árvore que não dá bons frutos é cortada e lançada ao fogo.  Portanto, pelos seus frutos os conhecereis.”  (Mt,7.15-20)

O que é triste, é que o amor fraterno que Jesus Cristo trouxe por meio dos seus ensinamentos esfriará. A causa deste esfriamento será a confusão que estes falsos profetas vão proliferar. As pessoas ficarão  confusas e desanimadas com a religião. Jesus Cristo advertiu: “ Muitos sucumbirão, trairão uns aos outros e se odiarão mutuamente.  Hão de surgir muitos falsos profetas, que enganarão muita gente. A maldade se espalhará tanto que o amor de muitos esfriará.”  (Mt.24.10-12)

Onde nos esconderemos para evitar a contaminação com as doutrinas dos falsos profetas? A resposta nos deu Jesus Cristo. Ele criou a Igreja, esta instituição da salvação, e a entregou para Pedro para administrá-la: “Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja,” (Mt.16.18) e deu a sua divina garantia: “as forças do Inferno não poderão vencê-la.” (Mt.16.18) A Igreja de Pedro, a Igreja Católica, tem a proteção divina para manter a pureza dos ensinamentos de Jesus Cristo. Agarrados à Igreja Católica estamos seguros no conhecimento das verdades divinas.

Ó Bom Jesus! Amo a tua Igreja e peço que me dê a graça da fidelidade a Ela pois quero obedecê-la para com toda a segurança confessar a Fé verdadeira e ser livre da influencia do demônio. Amém.

 

A casa

Uma vez Jesus Cristo se queixou: "Por que me chamais: 'Senhor! Senhor!', mas não fazeis o que vos digo?" (Lc.6.46) Com esta frase Jesus Cristo desnudou o eterno problema de nós pessoas humanas, a ociosidade de praticar a religião dele. É verdade que existe uma parte de pessoas que pratica a religião dele. Mas existe boa parte que não pratica. Ele não se cansa de nos motivar a abraçar os ensinamentos dele e pratica-los, pois, este é o caminho que leva para o Reino de Deus. 
 "Vou mostrar-vos com quem se parece todo aquele que vem a mim, ouve as minhas palavras e as põe em prática. É semelhante a alguém que, para construir uma casa, cavou fundo e firmou o alicerce sobre a rocha. Veio a enchente, a correnteza atingiu a casa, mas não conseguiu derrubá-la, porque estava bem construída." (Lc.6.48)
A vida muitas vezes nos traz surpresas desagradáveis, por exemplo: ofensas, injustiças, calúnias, fome, traições, fofocas, doenças, tentações de todo tipo, etc. Nessa hora é importante não perdermos a cabeça e não reagirmos com estupidez. Para sermos vitoriosos nestes enfrentamentos da vida temos que ter união espiritual com Jesus Cristo praticando a religião dele. Jesus Cristo nos fornece todas as graças que nos ajudam manter firme a nossa dignidade cristã e merecermos a Vida Eterna no Céu. Esta é a vantagem da nossa formação baseada na rocha que são os ensinamentos de Jesus Cristo.
 "Aquele, porém, que ouve e não põe em prática, é semelhante a alguém que construiu uma casa no chão, sem alicerce. A correnteza atingiu a casa, e ela, imediatamente, desabou e ficou totalmente destruída". (Lc.6.49)
Será que isso não já aconteceu na nossa vida? Será que uma decepção com a vida não tomou conta de nós? Será que não circulou na nossa cabeça a ideia de acabar com a nossa vida? Será que não surgiu uma revolta contra Deus? Será que não reclamamos gritando: "Onde estava Deus quando eu sofria?" Estamos culpando todo o mundo por causa das nossas derrotas. Mas a culpa é nossa. Não aprendemos com Jesus Cristo a enfrentar as dificuldades da vida. Não aprendemos com Jesus Cristo a nos manter no caminho da Vida Eterna. Não aprendemos com Jesus Cristo a termos coragem e dedicação para carregar a cruz da nossa vida católica.
A causa que nos separamos de Jesus Cristo e assim nos arruinamos espiritualmente é a falta de amor. Pois se amamos Jesus Cristo não existe força que nos separe dele e arruíne a nossa caminhada para a Salvação Eterna. São Paulo Apóstolo isto destaca: "Quem nos separará do amor de Cristo? Tribulação, angústia, perseguição, fome, nudez, perigo, espada? ...  Tenho certeza de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potências, nem a altura, nem a profundeza, nem outra criatura qualquer será capaz de nos separar do amor de Deus, que está no Cristo Jesus, nosso Senhor." (Rm.8.35-39)
Como é importante ter na parede de casa um crucifixo e várias vezes olhar para ele, para lembrar do amor de Jesus Cristo conosco e me armar pela oração e pela Eucaristia para nunca pelo pecado traí-lo.
Ó Meu Bom Jesus! Amo o Senhor de todo o coração e com o amor deste coração prometo enfrentar todas as adversidades para vence-las e não arruinar o meu futuro, a Vida Eterna no Céu. Me ajude cumprir a minha promessa. Amém.

 

Quero ter a Vida Eterna

Uma vez alguém fez a Jesus Cristo a seguinte pergunta. “Mestre, que devo fazer de bom para ter a vida eterna?”  (Mt.19.16) A resposta para esta pergunta interessa a nós todos. Nós queremos nos salvar, isto é, ganhar a vida eterna. A resposta de Jesus Cristo foi a seguinte:  “Se queres entrar na vida, observa os mandamentos”. – “Quais?”, perguntou ele...Jesus respondeu: “Não cometerás homicídio, não cometerás adultério, não roubarás, não levantarás falso testemunho, honra pai e mãe, ama teu próximo como a ti mesmo”. ( Mt.19.17-19)

Como guardar estes mandamentos?

Jesus Cristo em outra oportunidade fez uma exigência explicando o quinto mandamento da Lei Divina “Não matar” Ele falou: “Ouvistes que foi dito aos antigos: ‘Não cometerás homicídio! Quem cometer homicídio deverá responder no tribunal’.  Ora, eu vos digo: todo aquele que tratar seu irmão com raiva deverá responder no tribunal;” Aqui está a rigidez da explicação de Jesus. A raiva contra um irmão Jesus iguala com um homicídio. Jesus Cristo muito valoriza a pessoa humana. Não se pode tratar uma pessoa   com raiva.  A pessoa humana é criada na imagem de Deus. Tratando a pessoa com raiva se ofende a Deus que criou esta pessoa.

O resto das explicações de Jesus tem a mesma gravidade. “quem disser ao seu irmão ‘imbecil’ deverá responder perante o sinédrio; quem chamar seu irmão de ‘louco’ poderá ser condenado ao fogo do inferno.   A pessoa humana é intocável em sua dignidade. Ela é a imagem de Deus. Significa que chamar a imagem de Deus com as palavras despreciavas é ofender o Criador da pessoa humana. Deus quer que sempre se trate a pessoa humana com respeito mesmo que ela cometeu um crime.

Jesus Cristo com muita ênfase insiste para fazermos a reconciliação com a pessoa por nos ofendida. “Portanto, quando estiveres levando a tua oferenda ao altar e ali te lembrares que teu irmão tem algo contra ti, deixa a tua oferenda diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com teu irmão. Só então, vai apresentar a tua oferenda. Procura reconciliar-te com teu adversário, enquanto ele caminha contigo para o tribunal. Senão o adversário te entregará ao juiz, o juiz te entregará ao oficial de justiça, e tu serás jogado na prisão. Em verdade, te digo: dali não sairás, enquanto não pagares o último centavo. (Mt.5.21-26)

A reconciliação com o próximo é indispensável para que Deus nos aceite com as nossas oferendas. Sem a reconciliação Deus não aceita nenhuma oferenda mesmo que seja muito grande. Pois é imaginável, que duas pessoas não reconciliadas ficassem no mesmo Céu.

Ó Meu Bom Jesus! Me ajude com as suas graças que eu seja  humilde e com facilidade me reconcilie com o próximo e ganhe o direito de entrar no Reino do Céu. Amem.

SACRAMENTO DA PENITÊNCIA

Uma vez em uma conversa sobre a confissão na Igreja Católica, alguém questionou a prática de confessar os pecados ao padre, para receber o perdão dos pecados. Este alguém disse, que ele se confessa diretamente a Deus. E reforçou a sua opinião com a frase: “Não é melhor se confessar a Deus do que a um padre que é um homem?” Eu respondi, que esta opinião é dele, vamos ver qual é a opinião de Jesus Cristo sobre o assunto. Então vamos dar uma olhada nas Sagrada Escritura. Sabemos que o pecado é a maior desgraça que pode aparecer na nossa vida. Pois ele nos afasta de Deus e nos leva para o inferno. Temos nas Sagradas Escrituras os exemplos das consequências catastróficas que o pecado trouxe para os homens. Por causa do pecado Adão e Eva perderam o paraíso. Por causa dos pecados o diluvio afogou muita gente. Por causa dos pecados as cidades Sodoma e Gomorra foram queimadas e engolidas pelo mar Morto. Por causa dos pecados os judeus foram levados para o cativeiro Babilónico, etc.
Mas temos uma grande surpresa que nos encanta, os pecados que os homens cometeram nos trouxeram maravilhosos benefícios. Deus nos pecadores cercou com o seu divino amor e nos adotou como os seus filhos e filhas. E no seu imenso amor por nós o Unigênito Filho de Deus se fez homem e começou a se chamar Jesus Cristo. Ele para apagar os nossos pecados, por amor a nós, morreu na cruz. Isto nos alegra, pois Jesus Cristo, não veio para este mundo para nos castigar, mas para nos perdoar dos nossos pecados e nos unir a si no Céu. Este fato mudou a história da nossa vida. Vale pena seguir Jesus Cristo. Ele nos preparou as graças que nos santificam e nós garantem o Céu. Uma destas graças é o sacramento da Confissão. Ele nos purifica dos pecados e nos torna santos e santas, assim abre a porta do Céu. Vamos agora ler o Novo Testamento.
“Apresentaram-lhe (a Jesus), então, um paralítico, deitado numa maca. Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: “Coragem, filho, teus pecados estão perdoados!” Então alguns escribas pensaram: “Esse homem está blasfemando”. Mas Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: “Por que tendes esses maus pensamentos em vossos corações? Que é mais fácil, dizer: ‘Os teus pecados são perdoados’, ou: ‘Levanta-te e anda’? “Pois bem, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra poder para perdoar pecados, – disse então ao paralítico – levanta- te, pega a tua maca e vai para casa”. O paralítico levantou-se e foi para casa.” Mt.9.2-7
Jesus Cristo nos mostrou que tem o poder divino para perdoar os pecados. Mas o que nos espanta e nos deixa de boca aberta é que este poder divino Jesus Cristo passou para os homens, para os Apóstolos e para os seus sucessores padres. Pois Ele falou:
“A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou também eu vos envio”. Então, soprou sobre eles e falou: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, lhes serão retidos”. Jo.20.21-23
Eu, como padre, fico maravilhado. Eu tenho o poder de purificar a alma de um pecador, afastá-lo do castigo de Deus, abrir lhe a porta do Céu, oferecer lhe a salvação eterna. Como é grande a generosidade de Jesus Cristo.
Meu Irmão, Você não vai perder a oportunidade de facilmente se salvar? Vai ter medo de se confessar? O demônio faz tudo para Te envergonhar e assustar, pois ele conhece o poder do padre, ele já perdeu milhares pecadores por causa do sacramento da Penitência. Ele quer Te enrolar com a confissão diretamente a Deus. Não se deixe enganar. Jesus Cristo explicou, que se o padre não Te perdoar, Você fica com os pecados. Não queira corrigir a Jesus Cristo. Ele definiu: “A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, lhes serão retidos”. O melhor caminho para ser perdoado dos pecados é se confessar ao padre. Se padre me perdoou então tenho certeza que Jesus Cristo me perdoou.
Meu Bom Jesus! Obrigado por este sacramento, que com tanta facilidade me purifica dos meus pecados e me abre a porta do Céu. Amém.

Sacramento da Penitência

Uma vez em uma conversa sobre a confissão na Igreja Católica, alguém questionou a prática de confessar os pecados ao padre, para receber o perdão dos pecados. Este alguém disse, que ele se confessa diretamente a Deus. E reforçou a sua opinião com a frase: “Não é melhor se confessar a Deus do que a um padre que é um homem?” Eu respondi, que esta opinião é dele, vamos ver qual é a opinião de Jesus Cristo sobre o assunto. Então vamos dar uma olhada nas Sagrada Escritura. Sabemos que o pecado é a maior desgraça que pode aparecer na nossa vida. Pois ele nos afasta de Deus e nos leva para o inferno. Temos nas Sagradas Escrituras os exemplos das consequências catastróficas que o pecado trouxe para os homens. Por causa do pecado Adão e Eva perderam o paraíso. Por causa dos pecados o diluvio afogou muita gente. Por causa dos pecados as cidades Sodoma e Gomorra foram queimadas e engolidas pelo mar Morto. Por causa dos pecados os judeus foram levados para o cativeiro Babilónico, etc.

 Mas temos uma grande surpresa que nos encanta, os pecados que os homens cometeram nos trouxeram maravilhosos benefícios. Deus nos pecadores cercou com o seu divino amor e nos adotou como os seus filhos e filhas. E no seu imenso amor por nós o Unigênito Filho de Deus se fez homem e começou a se chamar Jesus Cristo. Ele para apagar os nossos pecados, por amor a nós, morreu na cruz. Isto nos alegra, pois Jesus Cristo, não veio para este mundo para nos castigar, mas para nos perdoar dos nossos pecados e nos unir a si no Céu. Este fato mudou a história da nossa vida. Vale pena seguir Jesus Cristo. Ele nos preparou as graças que nos santificam e nós garantem o Céu. Uma destas graças é o sacramento da Confissão.  Ele nos purifica dos pecados e nos torna santos e santas, assim abre a porta do Céu. Vamos agora ler o Novo Testamento.

“Apresentaram-lhe (a Jesus), então, um paralítico, deitado numa maca. Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: “Coragem, filho, teus pecados estão perdoados!”  Então alguns escribas pensaram: “Esse homem está blasfemando”.  Mas Jesus, conhecendo os seus pensamentos, disse-lhes: “Por que tendes esses maus pensamentos em vossos corações? Que é mais fácil, dizer: ‘Os teus pecados são perdoados’, ou: ‘Levanta-te e anda’? “Pois bem, para que saibais que o Filho do Homem tem na terra poder para perdoar pecados, – disse então ao paralítico – levanta- te, pega a tua maca e vai para casa”. O paralítico levantou-se e foi para casa.” Mt.9.2-7

Jesus Cristo nos mostrou que tem o poder divino para perdoar os pecados. Mas o que nos espanta e nos deixa de boca aberta é que este poder divino Jesus Cristo passou para os homens, para os Apóstolos e para os seus sucessores padres. Pois Ele falou:

 “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou também eu vos envio”. Então, soprou sobre eles e falou: “Recebei o Espírito Santo.  A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, lhes serão retidos”. Jo.20.21-23

Eu, como padre, fico maravilhado. Eu tenho o poder de purificar a alma de um pecador, afastá-lo do castigo de Deus, abrir lhe a porta do Céu, oferecer lhe a salvação eterna. Como é grande a generosidade de Jesus Cristo.

Meu Irmão, Você não vai perder a oportunidade de facilmente se salvar?  Vai ter medo de se confessar? O demônio faz tudo para Te envergonhar e assustar, pois ele conhece o poder do padre, ele já perdeu milhares pecadores por causa do sacramento da Penitência. Ele quer Te enrolar com a confissão diretamente a Deus. Não se deixe enganar. Jesus Cristo explicou, que se o padre não Te perdoar, Você fica com os pecados. Não queira corrigir a Jesus Cristo. Ele definiu: “A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, lhes serão retidos”. O melhor caminho para ser perdoado dos pecados é se confessar ao padre. Se padre me perdoou então tenho certeza que Jesus Cristo me perdoou.

Meu Bom Jesus! Obrigado por este sacramento, que com tanta facilidade me purifica dos meus pecados e me abre a porta do Céu. Amém.