BOTA MODELO FOLE DE GAITA

Tendo vivido e trabalhado nos conhecidos Campos de Palmas não há como esquecer que vários municípios daquela região foram administrados

Tendo vivido e trabalhado nos conhecidos Campos de Palmas não há como esquecer que vários municípios daquela região foram administrados em tempos idos sempre pelas mesmas famílias, normalmente formadas por proprietários de grandes fazendas. O poder passava de pais para filhos, genros e netos e é óbvio que a situação econômica dos candidatos era o principal fator para o resultado das urnas.

Conheci um cidadão que possuía uma grande chácara no perímetro urbano de uma das cidadezinhas, com galpões e potreiros com pastagem e água corrente. Os peões e familiares que vinham do interior em busca de médicos ou outros assuntos pessoais faziam daquela chácara seu paradeiro, muitas vezes por dias a fio, pois ali não faltava lugar para soltar os cavalos e os galpões onde dormiam em toscas camas ou sobre os pelegos, além de caldeirões sobre o fogo de forma que a bóia também estava garantida.

Não se põe em dúvida suas qualidades administrativas. Merecidamente fora eleito prefeito uma série de vezes. Lembro duma eleição na qual concorreram cinco candidatos, um deles abastado madeireiro. Ele, ou os de sua equipe visitavam famílias do interior, onde à época a maioria cozinhava sobre uma chapa em cima de tijolos ou sobre a trempe no fogo de chão. Fizeram doações de centenas de fogões de lenha, conhecidos naquele tempo como fogão econômico por consumir pouca lenha.

Ficou na história que a tirada genial foi doar apenas um pé de bota a todos os homens da casa, desde o vovô até os guris. O candidato comprara várias centenas de pares fabricados no Rio Grande do Sul e os estocara em casa. Como todos ficaram apenas com o pé direito do calçado, anotavam num caderno os nomes e a numeração, com a promessa de doar o pé esquerdo, assim que as urnas fossem abertas, evidentemente com a vitória do candidato o que se confirmou após a apuração.

As mulheres e meninas, por sua vez, receberam um pé de calçado feminino. Dias depois, nos bolichos onde os homens se reuniam para tomar uns goles e colocar os assuntos em dia dava para sentir o cheiro de couro novo das reluzentes botas do modelo fole de gaita.

 

SE ATRAPALHANDO COM O VERNÁCULO:

Conta o jornalista Cláudio Humberto que certo candidato nordestino discursava num comício enumerando e aumentando os defeitos do principal adversário, quando teria dito: Esse homem é muito violento, ainda ontem deu um tapa NEU! Um assessor tentando corrigi-lo o cutucou e lhe cochichou ao ouvido: Deu um tapa em mim. E o candidato apontando o assessor: Taí, deu um tapa nele também!