ESTUDANDO PARA AS PROVAS

Há vinte anos ou mais não tínhamos revistas locais como a i9, o Portal Cantu que mensalmente nos brinda com

Há vinte anos ou mais não tínhamos revistas locais como a i9, o Portal Cantu que mensalmente nos brinda com a Garota Cantu e até mesmo a página deste jornal que também mostra gente bonita que merece ser admirada. Digo isto porque o fato real que narro aconteceu há uns trinta anos aqui na minha cidade, e veio à mente quando ouvi mulheres comentando que fulana está preocupada porque a filha com certa frequência passa as noites em casas de amigas dizendo que está atualizando matérias escolares. Pois bem, conheci a protagonista deste fato quando ainda adolescente, realmente possuidora de beleza incomum e muita simpatia. Certamente, fosse hoje, estamparia as páginas e o portal acima citados. Era sempre convidada para os desfiles de beleza e eventos como Garota Colegial, Rainha dos Estudantes, Rainha da Primavera e afins, colecionando coroas, faixas e outras condecorações, coisa normal para uma moça bonita e estudante pontual e aplicada. Mesmo tendo dezenas de admiradores, que se saiba, não tinha namorado fixo. Houve um tempo em que a bela começou a passar as noites na casa de amigas estudando para as provas, afirmando aos zelosos pais que em duas ou mais colegas o aprendizado era mais eficiente. Certa manhã, a moça chegou em casa depois de mais um pouso na casa duma amiga e estava no banho quando bateram no portão. A mãe foi atender e a camareira de um hotel dali distante umas três quadras, por ingenuidade ou maldade, veio entregar alguns livros e cadernos que a moça havia esquecido no estabelecimento. E ainda afirmou: Ela deixou no quarto onde às vezes passa as noites com um viajante que é cliente do hotel. Tempos depois a moça foi morar noutra cidade onde casou e hoje deve ser uma bela vovó.

SEMPRE O JOÃOZINHO – A professora havia pedido aos alunos que escrevessem versinhos rimados. A Mariazinha apresentou aquele que assim começa: Batatinha quando nasce, esparrama pelo chão… Luluzinha escreveu: Alecrim da beira d’água não se corta com machado, se corta com tesourinha pra mandar pro namorado. Joãozinho escreveu: Subiu um rato pela perna da comadre/. A família do compadre veio ver o que aconteceu/. Então tiraram toda a roupa da comadre/. Sacudiram e não acharam aonde o bicho se escondeu/.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail