TIPOS TÍPICOS

 Quase todas as cidades, vilas e povoados grandes, médios ou pequenos têm seus tipos típicos que devido a certas particularidades

 Quase todas as cidades, vilas e povoados grandes, médios ou pequenos têm seus tipos típicos que devido a certas particularidades tornam-se conhecidos da população. Aqui em Laranjeiras do Sul tivemos Seo Geninho (Eugênio) conhecido como Velho do Galo por sempre carregar um galo índio debaixo do braço e ficar muito irritado quando provocado pela piazada ou adultos de maus bofes. Dona Maria que perambulava pela cidade portando dezenas de anéis, pulseiras, brincos e correntões de bijuteria era a Dona Maria Joinha. Na época do governo Sarney quando no Plano Cruzado a população era convidada a fiscalizar os preços e até denunciar o esconderijo de bois que os pecuaristas preferiam não vender pelo baixo preço, alguém confeccionou um crachá com fotografia e então Dona Maria Joinha circulava identificada como Fiscala do Sarney. Nas fazendas dos Campos de Palmas de onde vim, um tipo típico muito popular era conhecido como Turíbio. Nunca soube quem eram seus pais e irmãos, se é que os tinha e nem o seu nome completo. Mulato, forte e de média estatura, só tinha os dois dentes caninos na arcada superior, dando-lhe um aspecto vampiresco. De pés descalços e calças arremangadas falava com muita dificuldade, eram na verdade grunhidos que só uns poucos entendiam. Sua vida era zanzar nas fazendas, com várias casas de peões e capatazes com suas famílias. Hospitaleiros e caridosos sempre lhe garantiam a comida e o pouso nos galpões, onde havia alguma cama tosca forrada com pelegos. Turíbio buscava lenha nos matos de onde trazia enormes feixes sobre os ombros como forma de pagar a hospedagem, depois sumia sem avisar ninguém até aparecer noutra fazenda. Numa daquelas fazendas, passava longe e não ousava nem chegar próximo à porteira. Fofoqueiros de plantão espalharam qual era o motivo dele ter ficado arisco. Uma moça já bem criada, tida como de família, mas do tipo faca na bota teria saído da casa pé ante pé algumas vezes em altas horas e ido até o galpão para dar uma dormida (eu falei dormida?) com Turíbio. A safadeza foi descoberta e resultou na expulsão do hóspede contumaz debaixo de golpes de jibóia (tipo de relho de couro cru) no lombo do homem que perdeu a hospedagem pra sempre na referida fazenda. 

 

P. S. Como os pacientes reagem à prescrição de antibióticos em alguns países:

O médico:

– Você deve tomar esses comprimidos de antibiótico a cada 8 horas durante uma semana.

Nos Estados Unidos – Thank you, doctor.

Na Espanha – Gracias, señor.

Na França – Merci, monsieur.

No Japão – Arigatô.

No Brasil – Precisa parar de beber?