UM TIO PATINHAS TUPINIQUIM

No ano de 1947 Walt Disney lançou no mercado das histórias em quadrinhos o personagem Tio Patinhas como o pato mais rico do mundo, mas ao mesmo tempo extremamente pão duro, sovina, mão de vaca e todos os demais adjetivos imagináveis da avareza. Quanto, entre nós aparece alguém desse naipe costumamos dizer que perto dele o Tio Patinhas é um mão aberta. O escriba conheceu ou conviveu com gente assim e hoje especialmente lembro um cidadão que já partiu desta para a melhor. Sócio e diretor de uma empresa de comunicação, bem situado financeiramente, com vários imóveis alugados seu pão durismo era de conhecimento de todos. A empresa fazia anúncios comerciais de um grande supermercado que era o local de suas compras semanais ou mensais, o mesmo ocorrendo com farmácias as quais recorria quando necessitava de medicamentos, de forma que não precisasse por a mão no bolso. Quando havia alguma reunião e os da empresa eram convidados, ele pesquisava antes e só comparecia se tivesse coquetel, almoço ou jantar de graça. Na empresa da qual era sócio/diretor, a senhora encarregada de serviços gerais, lá pelas nove da manhã ia até uma panificadora buscar pastéis, quibes e outros quetais que os funcionários encomendavam para forrar o estômago e aguentar até o horário do almoço. A senhora colocava as encomendas na prateleira de um armário e minutos depois chegava o sócio/diretor que comia um dois, três, ou mais lanches. Os que haviam encomendado e pago encontravam o armário vazio ou desfalcado, e isto ocorria no mesmo horário, diariamente, de segundo a sábado. Um dia a senhora disposta a pregar uma peça no pão duro combinou com os demais e deixou apenas um pastel no local de sempre e que acabou tendo o mesmo destino. Minutos depois quando o homem lia uns papéis e palitava os dentes se ouviu a voz da mulher fingindo pânico: Meu Deus, eu devia ter avisado todos vocês que coloquei bastante veneno para barata dentro do pastel do armário… quero acabar com esses bichos nojentos. O homem nada disse, empalideceu e abandonou o local a passos largos. Voltou no dia seguinte, gozando de boa saúde e com o apetite de sempre.

CONSELHO DE PAI À FILHA CAÇULA – Querida, você é linda, simpática e sei que não lhe faltam pretendentes. O papai aconselha namorar um moço que fale de você assim como o Galvão Bueno da Globo fala do Neymar.