A MELHOR FORMA DE VIVER É VIVENDO

Lili abriu os olhos, e assim, triste como havia adormecido, despertou. Olhou para o quarto ainda meio escuro resistindo aos

Lili abriu os olhos, e assim, triste como havia adormecido, despertou. Olhou para o quarto ainda meio escuro resistindo aos raios solares que insistiam em ultrapassar as pesadas cortinas, virou-se para o outro lado se aconchegou novamente aos cobertores e disse para si mesma vou continuar dormindo, porém alguns pensamentos começaram a permear sua mente, ao se acomodar na deliciosa cama, pensou de como seria terrível dormir sobre um papelão, ao envolver-se em seu cobertor limpo e quentinho, pensou o quanto deveria ser angustiante cobrir-se com jornal, querendo resistir a esses pensamentos, abriu os olhos e olhou para o teto, e o pensamento que lhe sobreveio foi, o quanto assustador deveria ser, dormir sobre a proteção de uma marquise. Tentou lutar contra esses pensamentos simplesmente dizendo para si mesma que, mesmo as pessoas que passavam por esses infortúnios, ainda deveriam de alguma forma, serem mais felizes que ela e que, portanto, não tinha motivo nenhum para sair daquele quarto naquele dia.

O que se percebe nesse pequeno trecho dessa estória é que Lili, não permitiu que a gratidão prevalecesse sobre sua tristeza. Muitas pessoas estão fazendo o mesmo consigo.

Não conseguem ver alegria nas pequenas coisas, não encontram prazer nas coisas do cotidiano, não valorizam o que tem e muitas vezes só conseguem focar naquilo que não tem, não veem mais graça em nada, e tudo parece sem cor e sem sentido. Isso pode ser um sinal de que, esta pessoa está deprimida.

A depressão é como grades imaginárias, que retém a pessoa dentro de uma situação, na qual ela não vê saída, outras muitas vezes, nem as entende como sendo um problema, simplesmente dizem não tem nada de errado em querer ficar assim, outras ainda, têm noção exata do que está acontecendo, até sabe que não é normal, mas não tem forças, para mudar a situação, não sabe o que fazer, nem com quem falar, não sabe explicar o que está sentindo.

Se você está como Lili, não enxergando nenhum motivo para agradecer, se alegrar ou valorizar a vida, a sua melhor saída é falar, procure alguém em que confie, não busque palavras que façam sentido, não tente manter uma conversa madura ou racional, simplesmente diga: Eu preciso de ajuda, não sei o que está de errado comigo, só sei que não estou bem.

Se você foi procurado por uma pessoa que faz uma declaração como essa, ou você percebe que ela não está bem, se aproxime, mostre que se preocupa com ela, se disponha a ouvi-la, e lembre-se não a julgue, essa pessoa precisa de um amigo e não de um juiz.

Podemos sim fazer algo! E não pense que são grandes atitudes que podem mudar o curso de uma vida, mas pequenos gestos que demonstrem compaixão podem trazer a pessoa, o vigor necessário para enfrentar a situação.

Não basta dizer NÃO ao Suicídio, é preciso dizer SIM a Vida que floresce todos os dias, apesar de trazer consigo espinhos.