AVÓS PARA TODA VIDA

Quando era criança pensava que meus avós já tivessem nascido velhos. Acredito que mais crianças também já pensaram da mesma

Quando era criança pensava que meus avós já tivessem nascido velhos. Acredito que mais crianças também já pensaram da mesma forma, pois era difícil imaginar os nossos vovozinhos, jovens, adolescentes, ou crianças, porque quando nascemos eles já eram velhinhos para nós.

Crescemos habituados a enxergar seu rosto marcado, sua pele enrugada, seus cabelos brancos e todo seu jeito afetuoso de ser e nos tratar. Eu pelo menos, não conseguia imaginar uma avó que brigou, que castigou, que era dura, que não tinha tempo de contar estórias, que trabalhava duro fora e dentro do lar, como meus pais contavam que tinham sido suas mães, não conseguia assimilar aqueles avós, aos pais das histórias dos meus pais.

Hoje mudou muito, os avós são pessoas cada vez mais jovens, e não só na idade, mas no espírito, na vivência, no cotidiano mega atualizado. Vejo avós que são profissionais renomados, avós que são atletas, que dirigem carros modernos, que usam smartfone, que frequentam academias, que saem para as baladas, que vão aos passeios com os netos usando jeans e salto alto, ou vovôs de bermudas e tênis colorido.

Os avós hoje não têm mais a mesma disponibilidade de tempo que os avós de outrora, que sentavam para contar estórias e ouvir as suas, hoje netos e avós discutem suas opiniões sobre as series da Netflix, sobre a eficácia de um ou outro aplicativo, e melhores formas de se fazer uma selfie.

Os avós de hoje, raramente elaboram atividades e programações em casa para a chegada dos netos, eles se encontram nos shoppings, nos parques para atividades físicas ou mesmo em casa, mas já não mais para ficarem juntos na cozinha ou no paiol, e sim assistindo series e esperando a pizza.

Para a atual geração é uma curtição pôde fazer essas coisas juntos com seus avós, pois eles não têm que com isso deixar de fazer as coisas do seu cotidiano, como usar a internet.

Já para as gerações passadas era fantástico ir a casa dos avós, para saírem da rotina, fazerem coisas que em casa não podiam fazer, coisas do tipo: dormir depois do horário de costume, fazer cabana na sala, ajudar a cozinhar, tomar banho no rio ou mesmo de mangueira, brincar de teatro, inventar coisas , comer somente aquilo que gosta e repetir a sobremesa.

Avós, de ‘hoje’ ou de ‘ontem’, velhos ou jovens, são sem sombra de dúvidas, amor sem medida, são pessoas que marcam a vida de todos, e mesmo quando já não estão mais presentes fisicamente, continuam vivos dentro de cada um de nós, alimentando as nossas doces lembranças.