INTOLERÂNCIA & DESAMOR

A intolerância sempre existiu, desde dos primórdios da humanidade reconhecemos a presença da intolerância, seja ela religiosa, racial, social ou

A intolerância sempre existiu, desde dos primórdios da humanidade reconhecemos a presença da intolerância, seja ela religiosa, racial, social ou sexual. Então nos perguntamos o que mudou? Por que hoje é tão visível e tão discutida na tentativa de se trazer a consciência?

A resposta é simples, aumentou-se os canais pelos quais os intolerantes podem expressar sua intolerância. E a internet é o canal pelo qual nos deparamos todos os dias com a intolerância já tão idosa, mas agora tão notável.

Segundo o dicionário o seu significado é – repugnância ou falta de compreensão – na medicina: é a incapacidade de suportar uma substância o que leva ao desenvolvimento de uma reação alérgica.

Contudo a intolerância em suas várias facetas com as quais convivemos atualmente vem com um q a mais, vem embutida de um dos piores sentimentos existentes, o ódio.

Todos nós de alguma forma, somos intolerantes acerca de alguma coisa, ou seja, nos falta a compreensão sobre determinados aspectos que nos leva a não aceitar, até aí tudo bem, mas precisa nutrir isso de ódio? E então transformar a intolerância em barbárie, não só física, mas de sentimentos e desrespeito ao próximo?

As mídias hoje são usadas para expressão de opiniões, o que vem repleta também das mais diversas intolerâncias, e então vão ganhando mais e mais adeptos e se amplificando numa grande onda de total desamor e desrespeito.

A minha sugestão de reflexão hoje é para que repensemos as nossas intolerâncias, se for simplesmente a falta de conhecimento sobre uma determinada causa, busquemos nos informar mais, mas se ainda com todo conhecimento houver dificuldade de aceitar, tudo bem também, sua opinião deve ser respeitada, mas para tanto é preciso que seja uma opinião respeitosa ao outro, não espere respeito quando não se tem respeito primeiramente, não espere aceitação quando sua opinião demonstra aversão.

Vamos reavivar, revalidar a velha máxima de que a sua liberdade termina, quando começa a do outro. Parece que isso foi esquecido no uso da internet, onde ataques desrespeitosos crescem vertiginosamente, e com isso temos sido espectadores de atrocidades e total desamor que tem acometidos homens e mulheres de todas as faixas etárias, cenas e expressões de sentimentos jamais encontrados em nenhuma outra espécie.

A Bíblia no livro de Efésios, capítulo 4, verso 2 diz: Sejam sempre humildes, bem-educados, e pacientes, suportando uns aos outros com amor.

Parece simples! Se não tivesse faltando hoje na humanidade, o principal – O amor.