INVERSÃO DE VALORES?!

Um dia desses eu estava falando com meu cachorro, veja bem ‘eu estava falando, não conversando’, pois tenho bem claro

Um dia desses eu estava falando com meu cachorro, veja bem ‘eu estava falando, não conversando’, pois tenho bem claro que conversar quer dizer ‘troca de palavras’, e não tenho a perspectiva de que ele me compreenda, ou a menor pretensão de que ele me responda. Pois bem, mas eu falava com ele, porque gosto de falar com quem demonstra uma escuta ativa e pensando bem, cachorros poderiam ensinar a muitos seres humanos, sobre escutar ativamente, ou seja, olhar nos olhos, dar atenção e mostrar algum sinal de interação, como eles fazem quando mexem as orelhas ou o rabo, mas voltando ao assunto, eu falava com ele sobre a demora do meu filho em sair para alimentá-lo, porque estava entretido com o computador, aí disse a ele que certamente ele (o cachorro), não sabia o que era um computador e para explicar-lhe disse que se tratava de algo que ‘rouba’ as pessoas das pessoas. Não acredito, como já disse, que ele tenha me entendido, mas lhe perguntei, ‘no seu mundo canino o que lhe rouba de outros cachorros? E em seguida respondi: Sei que muitas vezes é o ser humano. Pois alguns humanos, os separam e os tratam como humanos e esquecem que vocês são cachorros e precisam interagir com outros cachorros.

Então conclui minha reflexão com ele da seguinte forma: o computador rouba pessoas de pessoas; Pessoas roubam cachorros de seu direito de serem cachorros, que loucura é essa? Por que simplesmente as coisas parecem loucamente fora do lugar? Por que a tecnologia e o mundo virtual, não são vistos simplesmente como meios? Mas, ao invés disso, têm ocupado todos os aspectos de princípio, meio e fim? Por que de repente os equipamentos eletrônicos valem mais que pessoas? São mais bem quistos que gente? E daí vem a quase substituição de animais (pets) por companhia humana. Prefere-se um cachorro a um filho. Trata-se melhor um cachorro do que uma criança, veste-se cachorro, enquanto crianças passam frio, educam-se cães em escolas, enquanto crianças estão fora dela, alimenta-se com qualidade e preocupação os cães, enquanto o país ainda exibe níveis absurdos de desnutrição. Que valores são esses? O que está acontecendo com a humanidade?

É a chamada ‘Inversão de valores’? Será só isso? Ou trata-se de uma descrença total da humanidade, na humanidade? Se começarmos a refletir nisso com a seriedade que ela exige, vamos gritar como na antiga canção ‘parem o mundo que eu quero descer’, contudo não podemos ‘descer’, pois isso significaria desistir de ver mudanças, de ver as coisas voltarem para seus devidos lugares. Temos é que fazer a nossa parte, valorizar aquilo de que de fato tem valor, e amar mais pessoas que coisas, ou até mesmo amar mais pessoas que animais. Não significa que os bichinhos não precisam de atenção e cuidados, não me interpretem mal, gosto dos pets, só não posso me deixar levar por um amor desenfreado que supere a minha valorização e o meu amor pelo ser humano.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail