O EFEITO BORBOLETA DO FUTEBOL BRASILEIRO

Quem já ouviu falar do efeito borboleta? Pois bem, segundo a Wikipédia, […] Este efeito foi analisado pela primeira vez

Quem já ouviu falar do efeito borboleta? Pois bem, segundo a Wikipédia, […] Este efeito foi analisado pela primeira vez em 1963 por Edward Lorenz. Segundo a cultura popular, na teoria apresentada, o bater de asas de uma simples borboleta poderia influenciar o curso natural das coisas e, assim, talvez provocar um tufão do outro lado do mundo. Numa explicação bem simplificada, toda ação gera uma reação.

Pensando no efeito borboleta, em clima de copa do mundo faremos a seguinte reflexão.

O Brasil é conhecido como o país do futebol, o que leva a um certo favoritismo em copas do mundo, ainda que uma maioria de nós brasileiros, não tenhamos mais a mesma convicção disso, nota-se que depois da fatídica copa de 2014 no Brasil, a empolgação está arrefecida, pois ainda nos ecoa na mente o desastroso resultado de 7×1. Contudo, para o restante do mundo continua sendo a seleção favorita da copa, e nos perguntamos; por quê?

A resposta é simples, o efeito borboleta! O Brasil ainda é visto por uma outrora ação realizada em 1958 seguida de 1962 duas vezes conseguinte – campeão do mundo e depois, a tão saudosa, seleção de 1970, onde eu acredito que tenha sido o ponto culminante do efeito borboleta, vivenciado até os dias de hoje. Ainda se vislumbra a áurea do tricampeonato, apesar de já ser pentacampeão – (1994 tetracampeão e 2002 pentacampeão).

Em suas duas outras participações – 2006 e 2010 – não ficou nem entre os 5 melhores, por conseguinte temos a que todos desejariam esquecer, a copa de 2014. Já caminhamos para dezesseis anos sem título, baseado nesses fatos, já era para ter perdido esta colocação de favorito, porém não perde, devido ao efeito da ação realizada, há mais de 40 anos atrás.

O efeito borboleta nesse caso do futebol brasileiro, gerou uma boa ação, contudo ele pode também gerar ações ruins que repercutam por longo tempo, em qualquer área da vida. Portanto, a reflexão de hoje é para que repensemos nossas ações.

Por estarmos certos de que todas as ações gerarão reações, seja ela boa ou ruim, tanto no seio familiar, no trabalho ou na sociedade, seria prudente que repensássemos as ações pela perspectiva do fim, ou seja, focado no resultado que essa provocará nas pessoas que estão a volta, em como isso as afetará. Podemos pensar nisso, como o legado, a sua marca, aquilo que futuras gerações reconhecerão que foi você.

Portanto, vale a pena pensarmos de que forma queremos ser lembrados, sabendo que bons resultados, pode encobrir inúmeras falhas, isto é, os nossos erros são melhores compreendidos, quando nossas ações produzem bons e duradouros resultados.

Tenhamos como exemplo a nossa seleção brasileira de futebol.