Você está pronto para retirar as máscaras?

Caros leitores: é fato de que teremos ainda algum tempo de transição, mais já é certo de que esta semana

Caros leitores: é fato de que teremos ainda algum tempo de transição, mais já é certo de que esta semana por meio de decreto o Governo do Estado do Paraná tornou flexível o uso das máscaras em locais abertos. Muitas pessoas comemoraram essa decisão como uma libertação dos dias difíceis enfrentados durante pandemia.

As máscaras de tecido que utilizamos nesses últimos dois anos tinha a função de proteção, mesmo que de maneira frágil oferecia uma barreira para retardar a contaminação pelo vírus. Algumas pessoas reclamavam, a consideravam incomoda, mais permaneciam com o uso pela obrigatoriedade da lei e pela função protetiva. Comprovado foi neste período   que as máscaras ao mesmo tempo que nos salvam, também nos prejudicam.

 No campo das emoções e da personalidade aprendemos a usar as máscaras desde cedo, seja quando percebemos situações desagradáveis e ai não podemos nos comportar como gostaríamos ou ainda se quisermos a aceitação do grupo familiar e de amigos que estamos inseridos. Assim aprendemos a controlar a frustração, aprendemos que devemos ser pacientes e “bonzinhos” se quisermos ser aceitos no grupo. Aprendemos em alguns ambientes sermos engraçados, indiferentes ou verdadeiros heróis salvadores

Essas máscaras marcam os diferentes papéis que precisamos desempenhar nas nossas vidas, por exemplo podemos precisar da máscara de “força” diante de dias difíceis para depois nos permitirmos deixá-la para trás e lidarmos com o problema.

Todas essas máscaras permitem temporariamente nos proteger do nosso verdadeiro desejo do nosso verdadeiro “eu”, o problema surge quando as máscaras se tornam parte de nós, difíceis de desvincular E ai nós pegamos perguntando: Será que eu sou assim? Será que realmente gosto disso?

Se estamos fazendo essa pergunta, a máscara já está conosco a muito tempo e o que antes era proteção se tornou a maneira de esquecer dos nossos desejos e valores em favor de uma aceitação. Escondendo nossas vulnerabilidades nos tornamos fortes e corajosos aos olhos do próximo.

Pode ser difícil abandonar as máscaras, principalmente depois de longo tempo usando, sentimos que está faltando algo, temos a falsa impressão de que as outras pessoas “sentirão falta de algo” em nós. Cuidado isso é o espelhamento do próprio pensamento e nada tem a ver com o outro.

Observe que você realmente é, suas qualidades e defeitos, sua luz e escuridão e se aceite acima de tudo isso. Depois disso acontecido foi dado o primeiro passo para voltar e se olhar no espelho enxergando o verdadeiro reflexo. Se sentir perdido no processo te espero na terapia.

Até a próxima:

@neziapsicologa

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail