Esporte

A derrocada da Portuguesa

A cada campeonato um novo vexame, um novo recorde negativo e mais uma página da história rica e gloriosa da Associação Portuguesa de Desportos é manchada. Essa tem sido a rotina que os torcedores rubro-verdes tem acompanhado desde o final de 2013, quando a equipe paulistana foi rebaixada para a Série B do Campeonato Brasileiro no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), por motivo da escalação irregular do jogador Héverton, na última rodada da elite nacional.

Desde então, a ‘Fabulosa’ tem colecionado insucessos. Em 2014, foi rebaixada pela primeira vez na história para a Série C do Brasileirão. Na temporada de 2015 foi a vez de cair no Paulistão e não parou por aí, no ano seguinte mais uma humilhação para a comunidade lusitana: descenso para a Série D! A última divisão do futebol brasileiro. Para completar, no ano passado, a equipe da capital paulista ficou sem divisão nacional!

Sim caros leitores, a Portuguesa, bi campeã paulista, vice campeã da elite nacional em 1996, não irá, pela primeira vez em sua história de 97 anos, disputar nenhuma divisão nacional em 2018. Algo inimaginável aconteceu e com toda a certeza é uma das maiores derrocadas da história nesses quase dois séculos de existência do futebol.

 
CRISE FORA DE CAMPO

Como se já não bastasse, a Lusa também enfrenta sérios problemas financeiros. Em 2017, um dos palcos mais tradicionais do futebol verde e amarelo, o Estádio do Canindé, foi a leilão para abatimento de dívidas diversas. Como não houveram lances, o clube se safou de um prejuízo patrimonial incalculável. O valor em questões trabalhistas chegam a R$ 55 milhões (fora outras modalidades).

 


MAIS DO MESMO


A temporada atual tem seguido o ritmo do que já era apresentado anteriormente. Quando pensamos que a Rubro-Verde já chegou ao fundo do poço, ela vem e nos prova ao contrário: sim, é possível afundar ainda mais!

O calendário de competições neste ano é limitadíssimo: Série A2 do Campeonato Paulista (equivalente a segunda divisão estadual) e Copa Paulista. Esta última, trata-se de um torneio organizado pela Federação Paulista de Futebol e disputado a partir do segundo semestre, entre equipes que estão nas três primeiras divisões do estadual de São Paulo e não disputam nenhum das três primeiras divisões do Campeonato Brasileiro. O campeão adquire o direito de disputar a Série D no ano seguinte. Essa será a única forma da Portuguesa voltar disputar um nacional.

 


SÉRIE A2 2018

 
Não, não se pode utilizar a expressão a Portuguesa está se recuperando. O Campeonato Paulista da Série A2 está em sua reta final, já foram realizadas dez rodadas, restando cinco, e a Lusa está na zona de rebaixamento, caminhando a passos largos para a terceira divisão do estadual. A impressão que se passa, é que outro caminho não terá, se não um licenciamento junto a Federação. Caso contrário, os prejuízos econômicos podem afetar o patrimônio de outras áreas do clube, que possui outras modalidades em atividades profissionais.

Em 10 partidas pela segundona do paulistão, foram quatro derrotas, cinco empates e apenas uma vitória, na segunda rodada, 1x0 sobre o Água Santa. No último sábado (03), o tropeço foi perante o Taubaté, empate em 1x1.

Dos cinco jogos restantes, quatro são contra times que brigam pelo acesso (Rio Claro, Penapolense, Guarani e Sertãozinho), cenário que deixa a situação mais critica e preocupante pro lado do Canindé. O único confronto direto, será logo contra o Juventus, eterno rival. As duas equipes lutam contra o rebaixamento e farão uma partida com ar de desespero.

Nesta quarta (07), a Portuguesa vai ao Schimidtão, em Rio Claro, enfrefentar a equipe da casa, às 19 horas.
Confira a classificação atualizada da Série A2:

Crédito: Futebol Interior

 

Texto: Juliam Nazaré