Esporte

Bronze termina para a Cantu

CAC luta, faz bela partida, mas perde novamente para o Coronel e é eliminado da competição
Partida disputada no ginásio Barro Preto, no sudoeste, teve a presença de um público de quase dois mil torcedores (Foto: Vanderlei Lima/Rádio Voz do Sudoeste)

O Clube Atlético Cantagalo foi fantástico! Jogando em Coronel Vivida, no sábado (10), em partida válida pela volta das quartas de final da Série Bronze, o Galo foi valente destemido. O confronto valia a vaga na semifinal. Para chegar lá, a equipe da Cantu precisava reverter a derrota sofrida no jogo de ida, por 3x1 em pleno Barbosão.

De certo mesmo, é que os mais de 1,5 mil vividenses que foram ao ginásio Barro Preto não aguardavam um jogo complicado para o Coronel. Tal expectativa foi se misturando e se tornando em decepção desde quando o árbitro trilhou seu apito. Inteligente, o técnico do Cantagalo, Veto, apostou em uma marcação firme, por pressão e ministrada por atletas jovens. Dos medalhões, apenas Alex inicia a partida.

A postura adotada surte efeito e o CAC consegue desarmar a equipe da casa em seu campo de defesa por diversas vezes, mas pecava na finalização ou até mesmo na não execução desta. O principal nome da partida até então foi o goleiro Júnior, do CAC, que realizou defesas magistrais nos sempre perigosos ataques do Coronel. Perigosos e muitas vezes letais. Restando oito minutos para o término do primeiro tempo, Gaspar abre o placar para Coronel.

A explosão dos milhares de vividenses que vibravam nas arquibancadas é contida pela arbitragem, que anula o gol: Gaspar empurrou a bola para o gol com o auxílio das mãos. Revolta da maioria, alívio para a minoria galista.

 

 

Enredo do jogo

O primeiro tempo termina empatado em 0x0 e os 15 torcedores que enfrentaram mais de 100 quilômetros de estrada não tão esperançosos, começam a voltar a acreditar em um sonho que parecia distante desde o jogo de ida, no Barbosão: o de chegar a Série Prata de 2019.

A etapa final começa e a partida fica claramente aberta. Mauro Cordova, técnico dos anfitriões, que havia adotado uma nítida postura tática de cautela e de administrar o resultado construído em Cantagalo, decide ‘vir pra cima’. As duas equipes se ‘soltam’ e a partida ganha com bons lances.

Com as duas equipes mais abertas, as chances começam a surgir. Em uma delas, Gaspar recebe no campo de ataque central, para, observa a marcação, puxa o corpo e a bola para direita e manda uma bomba no ângulo esquerdo de Júnior, que nada pode fazer: 1x0 Coronel e festa no Barro Preto.

Mas a reação do Cantagalo não demora muito a surgir. Em cobrança de falta ensaiada, Pipa rola a bola para Bruninho, que entra com liberdade na ponta esquerda da área e manda para o fundo das redes: é o empate do Cantagalo, 1x1.

Restando dois minutos para o fim da partida, a zaga do CAC dá bobeira e Tigela coloca o Coronel Vivida na frente, decreta números finais a partida: 2x1.

 

Fim de linha e de sonho

Com a derrota o Cantagalo está eliminado do Paranaense de Futsal Série Bronze. A eliminação de Cantagalo também é da Cantuquiriguaçu, que tinha no Galo o seu único representante até então vivo na competição (Quedas, Catanduvas e AEL foram eliminados em fases anteriores).

“Fizemos mais do que o esperado. Entramos na competição para passar da primeira fase. Fomos além e passamos duas fases. Pegamos Coronel, um dos clubes que têm maior investimento em toda competição, perdemos em Cantagalo ‘no detalhe’, viemos aqui e fizemos uma excelente partida e todos estão de parabéns. Precisamos continuar o trabalho pois estamos no caminho certo”, disse o técnico Veto, em entrevista exclusiva ao Correio do Povo.

O treinador também fez críticas ao regulamento, elaborado pela Federação Paranaense de Futebol de Salão (FPFS). “Acredito que o regulamento, que colocou o 1º e o 3º geral frente a frente no mata-mata, prejudicou o Cantagalo. Deveríamos ter pego o 6º colocado e não o 1º.

Poderíamos ter ido mais longe no campeonato”. O CAC termina o estadual com a 5ª melhor campanha entre 23 clubes. Para se ter ideia do bom desempenho da equipe e da disparidade com o último adversário, o Galo trabalhava mensalmente com uma folha salarial de R$ 3 mil, já Coronel Vivida têm à disposição mais de R$ 40 mil.

Agora, a diretoria busca juntar os cacos da eliminação e deve começar a discutir, já nos próximos dias, se disputa ou não o estadual em 2019. Em contrapartida, o Coronel Vivida além da vaga na semifinal, também assegurou, matematicamente, o acesso à Série Prata na temporada seguinte. O clube sudoestino é o único garantido até então.

O regulamento prevê que ascenderão à segundona o campeão, o vice e o terceiro colocado. A equipe de Mauro Cordova, mesmo que eliminada na semifinal, não pode ser alcançada por ninguém, visto que não haverá decisão de terceiro lugar.

 

Chopim na semifinal

Nos outros jogos das quartas de final, o destaque ficou por conta do Chopinzinho, que jogando em casa, segurou um empate com o Francisco Beltrão e avançou no certame. Confira os resultados:

 

Paranaense de Futsal Série Bronze – Quartas de final – volta

Sábado - 10/11

Coronel Vivida 2x1 Cantagalo – (3x1 ida) – Coronel Vivida classificado
Tapejara 3x4 Iate Londrina – (1x7 ida) – Iate Londrina classificado
Chopinzinho 3x3 Francisco Beltrão – (3x2 ida) – Chopinzinho classificado
Medianeira 2x3 Faxinal – (2x4 ida) – Faxinal classificado

 

Semifinal – ida - 17/11

Iate Londrina x Coronel Vivida – 20h30
Faxinal x Chopinzinho – 20h30

 

Semifinal – volta – 24/11

Coronel Vivida x Iate Londrina – 20h30
Chopinzinho x Faxinal - 20h30