Política

Câmara de Quedas registra número expressivo de aprovação de leis e requerimentos

Presidente da casa de Leis, Eleandro da Silva, destaca atuação dos legisladores em defesa da população quedense
“O apoio da maioria dos colegas da casa, como também do departamento jurídico e servidores foi fundamental para o bom andamento dos trabalhos e os resultados alcançados”, diz Eleandro da Silva (Foto: Portugal)

A Câmara de Vereadores de Quedas do Iguaçu registrou um número expressivo de aprovações de leis e requerimentos em 2017 e 1º semestre deste ano. De acordo com o atual presidente, Eleandro da Silva, foram aprovados 140 requerimentos em 2017 e 70 neste semestre.

“Os requerimentos são indicações dos vereadores atendendo reivindicações das comunidades e entidades públicas. Lamentamos o fato do executivo não estar dando uma atenção nestas solicitações, já que são importantes para a população”, argumenta o presidente.

Ao todo foram sancionados 21 projetos de leis, sendo 10 pelo executivo e 11 projetos pelo presidente da Casa de Leis, um marco de gestão.

 

TRÂNSITO

O Departamento de Trânsito do município está implantando rotatórias em diversos cruzamentos do centro da cidade. Eleandro da Silva destacou a iniciativa que visa dar mais fluxo aos veículos. “As mudanças são importantes na tentativa de organizar o trânsito no centro da cidade. Se faz necessário melhorar a sinalização em alguns pontos, como também a implantação de estacionamento diagonal, possibilitando assim o aumento de vagas”, observou ele.

 

COMÉRCIO LOCAL

A reportagem questionou Eleandro pelo fato que no período de campanha eleitoral se fala muito na valorização do comércio local, mas no cotidiano pouco se faz em apoio a este setor.

“Não nos cabe culpar os gestores públicos. Isso é um assunto complexo que precisa ser amplamente discutido com a sociedade organizada, Associação Comercial, o Executivo e Legislativo. Da mesma forma que precisamos proteger o comércio dos ambulantes, também precisamos criar regras de apoio as feiras livres, que gera renda aos pequenos agricultores”, salientou Leandro.

Ele destaca que as agroindústrias, hortifrutigranjeiros e o artesanato precisam ser valorizados, porque vem de encontro a valorização da Agricultura Familiar e a Reforma Agrária.

“É importante que o executivo tenha iniciativa na criação de um projeto de lei que regulamente o setor. O que for do nosso alcance queremos contribuir para que todos sejam beneficiados sem prejudicar as empresas estabelecidas que pagam seus tributos, geram empregos e contribuem para o desenvolvimento do município”, frisou.

 

“Nossas ações sempre foram de dar mais publicidade e transparência à Casa de Leis, sem ser omisso na hora de opinar nas questões relevantes em prol da população quedense”


TURBULÊNCIA

No seu 2º mandato consecutivo de vereador, Eleandro da Silva está tendo o desafio de conduzir a presidência da Câmara de Vereadores de Quedas do Iguaçu e já são 18 meses de trabalho. Ele destaca alguns momentos de turbulência, como quando a Casa teve de opinar e votar projetos polêmicos, entre eles a extinção de cargos concursados e greve de professores.

“Este período foi de comprometimento com as causas em favor da população, jamais ficamos omissos. Alguns projetos exigiram um posicionamento nosso. Entre eles, o projeto que visava demitir profissionais concursados, na qual nos posicionamos contra. Da mesma forma na questão da greve dos professores, pela reposição salarial, por ser uma causa justa”, explicou o presidente.

Segundo ele, as críticas vindas do executivo aconteceram de uma forma mais pesada, mas permeceu tranquilo por ter seguido com a vontade e o apoio da população. Também houve confrontos de ideias na questão do orçamento do município, na recuperação de estradas do interior pioneiro e assentamento, como também no setor de Saúde do município.

 

SESSÕES NAS MÍDIAS DIGITAIS

Outra inovação da atual gestão da mesa diretora foi a contratação de uma empresa para transmissão ao vivo das sessões do legislativo, em tempo real, nas plataformas digitais (internet).

“Foi uma decisão em conjunto aos demais vereadores, visando dar maior publicidade e transparência as ações do legislativo. O fato de infelizmente não termos um número expressivo de público nas sessões fez com que buscássemos uma alternativa para que as pessoas possam acompanhar os trabalhos legislativos, das suas casas, pela internet e o celular”, reiterou.