Esporte

Cicloturismo é mais que apenas uma paixão

O 1º Cicloturismo de Laranjeiras do Sul evidenciou a paixão de atletas de diversas localidades do estado (Foto: Reprodução)

O que leva um cidadão levantar as 4h30 da manhã de um domingo, pegar a estrada rodar 100, 200 quilômetros até o local de um evento, pedalar 20, 30 ou mais quilômetros, completar a provar exaurido, mas com um sorriso de orelha a orelha?

 O nome disso é paixão, ser cicloturista é mais uma opção por  uma qualidade de vida melhor, de conviver com pessoas e outras famílias. Enfim, pedalar por caminhos antes nunca vistos que guardam uma surpresa a cada curva.

Ou então o que dizer daquela subida com uma placa avisando que é a ultima (só que não).  O que os move é adrenalina de superar uma subida mais íngreme, a travessia de um rio, ou uma possa de água verde de tanto tempo que está parada, isso não tem preço. Muitas vezes o lamaçal é tão imundo que ele carrega a baike nas costas, (parece que tem mede de contaminá-la).

Percorrendo as trilhas ontem, fazendo parte da equipe de apoio da ACALS, podia-se perceber em cada olhar e, isso não importava a idade, se de um kids carregado pelo seu pai numa cadeirinha, ou do avô todo orgulho de estar completando mais um percurso.  Estava nítido em seus semblantes a paixão pelo cicloturismo.  O que pudemos constatar no evento da Acals lá na Toca do Leão, no domingo (13). Foi essa cumplicidade, ciclistas de Chopinzinho, Reserva do Iguaçu, Guarapuava, Ponta Grossa, Cascavel e Laranjeira do Sul, reunindo mais de 150 ciclo-atletas, do Kids aos másters, que já superaram os 60 anos.