Esporte

Depois do temporal, AEL se reinventa na Bronze

O time de futsal laranjeirense venceu mais uma e deixou a vaga nas oitavas bem encaminhada
Jogando no Laranjão, no último sábado, Tricolor da Cantu venceu o clássico contra Catanduvas: 2x0 (Foto: Juliam Nazaré)

A AEL renasceu das cinzas no Campeonato Paranaense de Futsal Série Bronze! Após iniciar a competição com um empate e três derrotas, o time do técnico Nelson Ramos já recebia olhares descontentes de torcida e imprensa. Mas, o Tricolor reagiu! A volta por cima veio na 5ª rodada, com a primeira e improvável vitória fora de casa contra o então líder, Nova Santa Rosa: 4x2. Após isso, foram mais cinco jogos: três vitórias, um empate e apenas uma derrota. Resultados que fizeram a AEL passar de um mero figurante à postulante ao acesso.

 

CLÁSSICO

A última vitória veio no sábado (7), no clássico diante do Catanduvas. Jogando em um Laranjão de público tímido, os comandados de Nelson Ramos dominaram todo o primeiro tempo, criando grandes oportunidades de gol, porém, a equipe pecava no último passe e na finalização, o que impediu que o placar fosse modificado: 0x0 na etapa inicial.

No lado visitante, era nítida a proposta de jogo: retranca. Isto é, jogar por uma bola. Se no duelo do 1º turno (vencido pelos catanduvense por 3x2) tivemos uma partida aberta, o deste fim de semana só teve o lado Tricolor como protagonista.

O segundo tempo repetiu o ritmo do primeiro. Porém, mesmo com a pressão, os laranjeirenses não conseguiam balançar a rede. E se a troca de passes não fluía, era a vez de ousar. Foi assim que Tchaca, em chute certeiro de fora da área, abriu o placar: 1x0. O gol trouxe tranquilidade para os donos da casa e desespero para Catanduvas, que se afundava cada vez mais na lanterna do Grupo A.

Os visitantes até tentavam esboçar uma reação, mas...faltava técnica, faltava tática e sobrava ansiedade.

Se aproveitando da fragilidade rival, a trupe de Fernandinho chegou ao segundo tento. Em lance confuso, a bola foi dividida dentro da área e sobrou para Bruninho, que quase sem ângulo, tocou para o fundo do gol: 2x0. O placar poderia ter sido mais elástico ainda, mas, ficou de bom tamanho para os laranjeirenses.

 

PÓS-JOGO

Após o encerramento do clássico, o técnico Nelson Ramos falou ao microfone do Correio do Povo do Paraná sobre a reação da equipe no estadual e a importância desta vitória: a primeira em casa. “Os resultados são frutos do trabalho que estamos desempenhando há um bom tempo. O que atrapalhava no início era a falta de entrosamento entre os atletas, com o tempo foram se acostumando. Hoje, algo que colaborou muito, foi não termos nenhum desfalque. Essa crescente é de todos, isso é muito bom. Estávamos fazendo bons jogos fora, mas no Laranjão não conseguíamos os três pontos. Chegar a primeira vitória, logo em um clássico, é fantástico, pois nossos jogadores estavam muito ansiosos. Isso tira um peso das costas e nos motiva mais ainda pra sequência do campeonato”, comenta o treinador.

“Estávamos incomodados com o fato de vencer os líderes fora e em casa não conseguirmos. Essa vitória pra nós foi muito importante, por todo o contexto do jogo: era um clássico, era um jogo de seis pontos e ainda por cima tínhamos essa responsabilidade de ganhar em casa. Foi muito sofrido, como tem sido pra AEL no campeonato inteiro, mas hoje podemos comemorar mais essa batalha vencida. Sabemos que nosso primeiro passo é passar ‘pras’ oitavas e isso foi bem encaminhado hoje. Com o crescimento da equipe já estamos almejando voos mais altos. Porém, ainda temos muito chão pela frente. Precisamos continuar trabalhando, porque temos mais quatro partidas pra encerrar essa primeira fase”, diz o goleiro laranjeirense, Rodrigo Scheis.

 

CONSEQUÊNCIAS

O resultado faz com que a AEL vá a 14 pontos e se acomode na 4ª colocação do Grupo A, abrindo agora, 4 pontos de vantagem para a primeira equipe fora do G5: o Marechal Cândido Rondon.

No Catanduvas, é sabido que a situação do time ficou mais delicada ainda na Bronze: a equipe segue na lanterna da chave com apenas 9 pontos e necessita de um milagre para avançar no certame.

Após o jogo, o técnico Nado também falou ao Correio e fez críticas ao time. “Nosso time veio desfalcado. Alguns atletas estavam lesionados e uns tem jogado outras competições. Por exemplo, três jogadores antes de vir pra Laranjeiras jogaram futebol de campo. Esse tipo de conduta interfere no nosso trabalho. Contra a AEL faltou perna, estávamos cansados. Sabemos que pra classificar ficou difícil, mas queremos fazer bons jogos, é nosso primeiro ano na Bronze e precisamos atrair nosso torcedor, fazer com que ele acredite no nosso time. Nossa equipe é formada apenas por atletas de Catanduvas, ninguém recebe nada pra jogar. Mas planejamos esse ano para tomarmos como experiência, já em 2019 pretendemos vir preparados pra brigar por algo melhor”, enfatiza Nado.

 

CAC, QUEDAS, ETC

Os outros dois representantes da Cantu no estadual se deram bem. O Quedas foi até Entre Rios do Oeste, venceu os donos da casa por 4x1, afastou a crise e afundou o rival. Já o Cantagalo, jogando no Barbosão, conseguiu a 3ª vitória seguida: 4x1 sobre Renascença.