Violência

Dois homens são presos por assaltar, matar e beber sangue de mulher e afilhado

Dois homens foram presos suspeitos de assaltar e matar esposa e afilhado do ex-vereador Elias José Macedo, conhecido como Elias Bahinha, nesta terça feira (20), em Paraúna, no sul goiano.

Segundo a Polícia Civil, o preso de 19 anos contou que as vítimas foram esfaqueadas pelo comparsa de 36 anos, que ainda abusou da vítima mulher e lambeu o sangue dos dois corpos.

Conforme relato, tudo ocorreu enquanto uma menina de dois anos, filha do ex-vereador, estava dormindo no quarto ao lado.

 

Investigações

Responsável pelas investigações, o delegado Divino Ferro informou que o objetivo do preso mais velho era se vingar de Elias, esposo da vítima mulher, identificada como Tatiely Correa de Jesus, de 26 anos, e padrinho do rapaz morto, reconhecido como Danrlei Rodrigues de Sousa, de 19.

Para essa vigança, conforme o investigador, o preso de 36 anos convidou o jovem de 19 anos para ajudá-lo nesse assalto, no qual levariam R$ 35 mil e armas de fogo.

Porém, a dupla coseguiu levar cerca de R$ 1 mil, dois celulares, duas facas e uma máquina fotográfica.
 

Mortes
 
Em depoimento à Polícia Civil, o jovem contou que o comparsa deu uma facada Danrlei, que estava morando em um quarto anexo à casa dos padrinhos.

Também segundo o relato, ameaçando o rapaz, eles arrombaram a porta e entraram na casa do ex-vereador.

A mãe e a criança foram deixadas no quarto de hóspedes enquanto eles roubavam a casa. Depois, quando a mulher foi ao banheiro, ele [homem de 36 anos] a esfaqueou. Em seguida, ele terminou de esfaquear o afilhado dela, que estava caído na cama no quarto do casal, disse.

No relato, o preso de 19 anos diz ainda que o comparsa abusou da mulher pouco antes dela morrer e lambeu o sangue das duas vítimas dos ferimentos feitos com a faca.

Ele ainda tentou matar a criança, que estava dormindo, mas o [preso de 19 anos] o impediu, dando uma facada na mão dele, completou o delegado.

Também durante o depoimento, o preso mais jovem disse que eles esperaram por algum tempo o ex-vereador, que também é comerciante, voltar para casa. No entanto, desistiram e foram embora.

Segundo o delegado, o preso mais velho, que teria arquitetado o crime, se manteve calado durante todo o depoimento.

Os dois foram presos em Paraúna após denúncias anônimas. Eles devem responder por duplo latrocínio, que é o roubo seguido de morte, e estupro.

Via: G1.