Saúde

Família Matos: amor à vida

Conheça a história da família que leva uma conduta rígida na alimentação aliada a muita atividade física
Fernando, Jeniffer, Mirian e Adaiana: uma ‘leve’ família (Foto: Juliam Nazaré)

A modernidade tornou a vida humana descomplicada. Já não precisamos esperar mais meses para nos comunicarmos através de cartas com um amigo que mora no Nordeste. Com a internet, basta uma mensagem no whatsapp ou no facebook que tudo está resolvido. Dentre tantas mudanças, o mundo globalizado fez com as pessoas e as situações que a norteiam se tornassem mecanizadas. Nisso entra ‘os contra’ toda essa evolução. Em uma rotina diária, que envolve ida ao trabalho e pausa breve para o almoço, é mais prático optarmos por comidas rápidas. Porém, essas, geralmente não são ‘tão’ benéficas para o nosso corpo.

Preocupada com isso, a família Matos resolveu, há cinco anos, começar uma mudança de rotina alimentar aliada a muita atividade física. Em busca de um futuro mais ‘tranquilo’, Fernando Matos, 39, Adaiana Longoni, 36 e as filhas Jeniffer, 11, e Mirian, 9, possuem um cotidiano que vem na contramão da tendência contemporânea.

 

POR AMOR

Fernando sempre teve uma relação íntima com o esporte: ama voleibol e é um palmeirense apaixonado. Quando iniciou na academia, começou a estudar e notou que a atividade física alinhada a uma boa alimentação era ‘a ponte’ para uma vida saudável.

“Sempre estive envolvido com o esporte. Joguei por muitos anos na Seleção Laranjeirense de Vôlei, depois, iniciei musculação e percebi a diferença entre você trabalhar o corpo isolado na academia e quando você o trabalha junto da alimentação. Então, começamos a busca por alimentos saudáveis. Começamos cortando o refrigerante, pois era algo que bebíamos muito. Passamos a substituí-lo por sucos naturais, tererês e água. O reflexo disso começa pela troca de gordura por massa magra, começamos a ter disposição maior no dia a dia para a prática de atividade física. Entendemos desde o início que não se tratava de uma censura, de uma proibição e sim de uma educação”, conta Fernando.

Após cortarem os refrigerantes e sucos ‘de pacote’, a família deu mais um passo: diminuindo a quantidade de consumo diário de açúcar, como também, substituindo o tradicional açúcar cristal pelo mascavo.

“Quando iniciamos a prática de exercícios físicos de forma regular começamos a pesquisar as formas que a alimentação poderia ‘andar junto’ a isso, buscando cuidar do nosso corpo, visando não só o momentâneo, mas uma vida com o menor número de problemas de saúde possíveis no futuro. Isso mudou minha vida gradativamente: desde a disposição para atividades comuns diárias, qualidade no sono e diminuição de dores no corpo”, diz Adaiana.

Periodicamente, ‘os Matos’ avançam mais um degrau em favor da saúde corporal. Depois das bebidas industrializadas e do açúcar branco foi a vez de mexer em outro componente presente todos os dias na cozinha: o óleo. Adaiana conta que as frituras, modalidade da culinária muito presente na mesa dos brasileiros, é algo praticamente extinto da vida deles. “O óleo de cozinha nós substituímos pelo de coco e pela banha de porco. A fritura aqui em casa é algo muito próximo do zero”.

 

ROTINA

Fernando enfatiza que tudo é resultado de um empenho e compromisso com o próprio corpo há anos.

“A batalha é diária. Existem períodos de nossa dieta, quando buscamos fazer uma desintoxicação do corpo, em que definitivamente cortamos o açúcar. Nessas épocas sentimos o quanto o corpo pede por açúcar. Somos, coletivamente falando, muito dependentes dele”.

“Hoje já não sentimos falta de frituras e refrigerantes. Se eu fizer um suco sem açúcar todos bebem e apreciam. Porém, até chegarmos a esse estágio não foi da noite pro dia. Foi um longo processo, posso dizer que árduo no começo. Foi uma renúncia dia após dia, até acostumarmos com a ideia de que não precisamos ingerir tanto açúcar, tanta gordura no corpo. Foi a longo prazo, mas deu resultado para todos”, argumenta ‘Dai’.

“Sempre falo para meus amigos que devemos tomar cuidado com tudo que é radical. O radicalismo não funciona. Não existe você largar mão de práticas como estas, que estão enraizadas em nós. A alimentação de hoje é uma, mas a de amanhã precisa ser melhor. São degraus, assim precisa ser a nossa vida em todas as áreas. Precisamos buscar sempre a evolução. O segredo é não se cobrar tanto apenas hoje, mas se cobrar um pouco a cada dia”, categoriza Matos.

“As pessoas querem resultado imediato. Querem perder 10 kilos em um mês. Não é isso que acontece. Esse processo de alimentação e atividade física apresenta resultados em meses, anos. Estamos há cinco anos nesse caminho, não foi ontem”, declara Adaiana.

 

DESDE CEDO

Sobre as filhas, ‘Dai’ conta que tem muito orgulho da conduta de Jeniffer e Mirian, pois elas gostam da rotina, mesmo que seja diferente a dos colegas. “Através de nossa mudança fomos influenciando e trabalhando o psicológico delas. É difícil você de imediato cortar um doce, um salgadinho, de uma criança. Fomos explicando que era necessário elas ingerirem alimentos saudáveis e com isso, foram se espelhando em nós. A alimentação delas hoje é muito melhor que a minha alimentação quando criança. Tomam café da manhã com frutas, cereais, faço de tudo para que consumam o mínimo de derivados do leite. Atualmente elas mesmo se controlam”.

A influência e incentivo dos pais também se entende a prática esportiva. As garotas já podem ser consideradas multiatletas: praticam natação, tênis, caminhada, voleibol, balé, ginástica, dança e começarão musculação. Jeniffer é ‘a diferentona’ na escola. “Na casa dos meus amigos sempre tem salgadinhos, refrigerantes e eu estranho. Na hora do recreio, na escola, enquanto minhas amigas sempre comem hambúrguers, tomo apenas um suco, todos ficam surpresos”.

“Gosto de brincar de pega-pega, pique esconde e outras brincadeiras. Nossos pais nos incentivam muito. Se as vezes estamos assistindo TV durante a tarde eles falam pra gente ir brincar lá fora”, fala Mirian.