Política

Manifestante realiza greve de fome em frente ao Fórum

Leomar Cruz perdeu 11 alqueires que ainda não foram compensados pelo governo e manifesta por conta disso
Mauro Cezar de Almeida, Leomar Cruz, Fátima Braga Cristo de Mato e Eli Ribeiro, em frente ao Fórum de Justiça (Foto: Reprodução)

“Sofremos um prejuízo no passado que ainda não foi ressarcido ou indenizado, nem pelo Governo do Estado, nem pelo Governo Federal”. A frase foi dita por Leomar Cruz, organizador de um protesto pacífico que está sendo realizado na frente do Fórum de Justiça de Laranjeiras do Sul, o movimento consiste de uma greve de fome, que segundo Leomar, é em prol dos seus direitos.
Leomar, e outros três representantes de suas respectivas famílias, se reuniram na frente do prédio do Fórum, e afirma que todos eles perderam parte de suas terras, e não receberam ressarcimento do governo.
Leomar é contra a PEC 187, que consiste em - conforme matéria publicada pela Agência Brasil - estabelecer que as comunidades indígenas podem, de forma direta, exercer atividades agropecuárias e florestais em suas terras, com autonomia para a administração dos bens e a comercialização dos produtos. O texto da matéria propõe a inclusão de um parágrafo ao artigo 231 da Constituição Federal.
E Leomar defende a PEC 215, que segundo a matéria da CartaCapital, é uma proposta elaborada na Câmara que propõe alterar a Constituição para transferir ao Congresso a decisão final sobre a demarcação de terras indígenas, territórios quilombolas e unidades de conservação no Brasil. Atualmente, somente o Poder Executivo, munido de seus órgãos técnicos, pode decidir sobre essas demarcações.


As perdas


“Estou aqui representando minha família, que perdeu 11 alqueires de terra, e agora o governo fica fugindo dos processos”, afirma Leomar. Todas as famílias sendo representadas nessa manifestação, perderam parte de suas terras, as perdas não foram informadas na entrevista.
Com o consentimento do Fórum, Leomar irá acampar em frente ao prédio público, em greve de fome, até que segundo ele, seus direitos sejam postos em prática, e as famílias ressarcidas de suas perdas.
“Lembrando que sou contra a PEC 187, de autoria da família Lupion, contra a agricultura, e favorecendo o arrendamento em terras indígenas, que é ilegal por lei”, afirma.
Ele continua dizendo, que a Funai (Fundação Nacional do Índio), tinha ciência disso, e que cometeram um crime de estelionato. “A Funai é contra ela mesma, desrespeitando o indígena, e toda a sociedade”, completa.
Leomar finaliza dizendo que sua manifestação não é contra o indígena, e que ele respeita os direitos dos índios, mas o que eles buscam, são seus direitos constitucionais, sociais e civis.