Notícias Locais

Porto Barreiro realiza a Campanha Faça Bonito, que visa combater o abuso sexual de crianças e adolescentes

Alunos da rede municipal de educação de Porto Barreiro participando do evento. (Foto: Divulgação/Assessoria)

O dia 18 de maio, próxima sexta-feira, é marcado por um crime bárbaro ocorrido em Vitória, no Espírito Santo, que chocou o país.

Com apenas oito anos de idade, Araceli Cabrera Sanches foi sequestrada, drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba. Mesmo com o trágico aparecimento de seu corpo, desfigurado por ácido em uma movimentada rua da cidade, poucos foram capazes de denunciar o acontecido. O silêncio da sociedade capixaba acabaria por decretar a impunidade dos criminosos.

Em 1998, cerca de 80 entidades públicas e privadas reuniram-se na Bahia para o 1º Encontro do Ecpat no Brasil. O evento foi organizado pelo Centro de Defesa de Crianças e Adolescentes (CEDECA/BA), representante oficial do Ecpat, organização internacional que luta pelo fim da exploração sexual e comercial de crianças, pornografia e tráfico para fins sexuais, surgida na Tailândia. Assim foi criado o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infanto-Juvenil.

Em Porto Barreiro, a mobilização ocorreu durante a manhã de hoje (16), contando com a presença de alunos da rede Municipal e Estadual de ensino, além de educadores, conselheiros tutelares, secretários municipais, vereadores, pais, Prefeita Marinez Crotti e o Vice-prefeito Ildo Luneli, além do Promotor Substituto da Comarca de Laranjeiras do Sul, Bruno Rinaldin.

Na oportunidade, a Presidente do CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente) Vanuza Prior, destacou a seguinte frase. "Esquecer é permitir, lembrar é combater". Ela enfatizou que através das orientações e a soma de forças, podemos estar atentos e trabalhando juntos para combater o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes no município.

A Prefeita Marinez, saudou aos presentes e a mesa nominada, destacando a importância do trabalho conjunto entre as escolas, Conselho Tutelar e CMDCA. "Por se tratar de um assunto delicado, precisamos tomar cautela e estar sempre atentos nas diversas mudanças e comportamentos de nossas crianças, com isso nosso trabalho terá muito mais resultado", completou.

O Promotor Substituto da Comarca de Laranjeiras do Sul, Bruno Rinaldin, lembrou o caso da menina Araceli, destacando diversos pontos importantes para que possam evitar e punir a quem comete essa atrocidade. "Nunca se deve aceitar ajuda de estranhos ou dar informações para quem não conhece, e sempre que souber de algum caso de abuso, deve ser contado a alguém da família para que as devidas providencias sejam tomadas", completou.

Via: Assessoria.