Notícias Locais

Prefeitura promove passeata em combate ao Abuso e Exploração Sexual

Números apontam que apenas uma em cada dez vítimas conseguem relatar a violência sofrida.
O abuso sexual envolve contato sexual entre uma criança ou adolescente e um adulto ou pessoa significativamente mais velha e poderosa. (Foto: Divulgação/Internet)

18 de maio é o Dia Nacional de Luta contra o Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A data foi escolhida porque em 18 de maio de 1973 em Vitória, no Espírito Santo, um crime bárbaro chocou o país e ficou conhecido como o “Crime Araceli”. Esse era o nome e uma menina de apenas 8 anos de idade que foi raptada, drogada, estuprada, morta e carbonizada por jovens de classe média alta daquela cidade.

Com o objetivo de sensibilizar e mobilizar a comunidade sobre a importância do tema, a secretaria de Assistência Social e Segurança da Família, por meio do Centro de Referência Especializado de Assistência Social de Laranjeiras do Sul, realizará uma passeata amanhã (17) com saída às 13h30 na Praça do Cinquentenário, onde os participantes descerão pela XV de Novembro até a Praça José Nogueira do Amaral, e contará com apresentações.

Com 45 anos decorridos do caso Araceli, ainda nos dias de hoje o número de crianças e adolescentes que são vítimas de violência sexual ainda é muito grande. “Estima-se que uma em cada quatro meninas e um em cada 6 meninos já sofreram abuso ou exploração sexual. E para piorar, números apontam que apenas uma em cada dez vítimas conseguem relatar a violência sofrida”, afirmou Flávia Regina Fernandes Silva, psicóloga do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) em Laranjeiras do Sul.

 

NÚMEROS

Em Laranjeiras do Sul, o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), que oferta o trabalho social a famílias e indivíduos em situação de risco pessoal e social, por violação de direitos e violências, atendeu no ano de 2017 trinta e três denúncias confirmadas de violência sexual e no ano de 2018, até o mês de abril já foram atendidos 16 casos confirmados.

 

ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL

O abuso sexual envolve contato sexual entre uma criança ou adolescente e um adulto ou pessoa significativamente mais velha e poderosa. As crianças, pelo seu estágio de desenvolvimento, não são capazes de entender o contato sexual ou resistir a ele, e podem ser psicológica ou socialmente dependentes do ofensor. O abuso acontece quando o adulto utiliza o corpo de uma criança ou adolescente para sua satisfação sexual , normalmente acontece no ambiente familiar, podendo acontecer fora do ambiente doméstico também. Já a exploração sexual é quando se paga para ter sexo com a pessoa de idade inferior a 18 anos. As duas situações são crimes de violência sexual.

 

PROTEGENDO NOSSAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Laranjeiras do Sul conta com diversos profissionais preparados para dar respostas de proteção às crianças e adolescentes e tem trabalhado constantemente no atendimento às vítimas de violência sexual. É uma rede de proteção composta pelo Conselho Tutelar, Unidades básicas de saúde, CRAS, CREAS e delegacia que são diretamente acionados quando da suspeita ou confirmação do crime.

Em função dos altos números de crimes registrados contra crianças e adolescentes e as consequentes marcas profundas ao desenvolvimento de nossos meninos e meninas é muito importante que todos, família, Estado e sociedade, estejam unidos no combate e na prevenção às violências contra o publico infantojuvenil.

 

PREVENINDO A VIOLÊNCIA SEXUAL

Embora um assunto difícil de ser abordado – o que não deveria ser – a prevenção à violência sexual deve estar sempre em discussão seja nas casas, escolas e demais ambientes que promovam o desenvolvimento das crianças.

A educação sexual é uma ferramenta importante na prevenção da violência sexual de crianças e adolescentes. As crianças desde pequeninas devem saber o nome de todas as partes do seu corpo, inclusive as suas partes íntimas, e ter a compreensão de que o que é íntimo pertence só a ela, que precisa de cuidado e só pode tocar quem ela deixar. É fundamental que a criança saiba que o corpo de menino é diferente do corpo de menina, e que suas partes íntimas devem ser protegidas. E também deixar claro que é necessário que elas identifiquem, nos diferentes locais os quais ela frequentam (casa, escola, postos de saúde, etc) quem são as pessoas adultas e de confiança a quem elas podem recorrer caso algo de ruim aconteça.

Crianças e adolescentes estão em fase de desenvolvimento o que exige a família e a sociedade a criar e garantir ambientes seguros e saudáveis para o seu crescimento. Além disso, todos devem atuar para que os direitos deles enquanto cidadãos sejam respeitados e cumpridos.

 

ESTATÍSTICAS

Não ouvir quando uma criança denuncia um ato abusivo pode ser mais traumático do que o ato em si. Os pais precisam acolher o relato da criança como verdadeiro para que se possa averiguar com os profissionais adequados a veracidade ou não do fato. Estatísticas mostram que em 94% dos relatos de violência sexual denunciados pelas crianças são verdadeiros. Mas, mesmo casos de suspeita de abuso devem ser notificados ao Conselho Tutelar, disque 100 ou disque 181.

O município fará no próximo dia 17 de maio, as 13:30 horas iniciando na praça do cinquentenário, uma caminhada do dia Nacional de Combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes. Ela terá a função de mobilizar e convocar toda a sociedade a participar dessa luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes. É preciso garantir a toda criança e adolescente o direito ao desenvolvimento de sua sexualidade de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual. A data reafirma a importância de se denunciar e responsabilizar os autores de violência sexual.