Perto de Deus - Padre Wieslaw
Chicote de Jesus

Uma vez os Judeus trouxeram para Jesus uma mulher que foi apanhada em adultério e eles queriam apedrejá-la conforme as leis do Antigo Testamento. “Mas Jesus, inclinando-se, começou a escrever no chão, com o dedo.  Como insistissem em perguntar, Jesus ergueu-se e disse: “Quem dentre vós não tiver pecado, atire a primeira pedra!”. Inclinando-se de novo, continuou a escrever no chão. 

Ouvindo isso, foram saindo um por um, a começar pelos mais velhos. Jesus ficou sozinho com a mulher que estava no meio, em pé. Ele levantou-se e disse: “Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?” Ela respondeu: “Ninguém, Senhor!” Jesus, então, lhe disse: “Eu também não te condeno. Vai, e de agora em diante não peques mais”. (Jo.8.3-11)

Jesus Cristo não concordou em apedrejá-la, pois Ele era misericordioso: “porque sou manso e humilde de coração.” (Mt.11.29) E nos incentiva, para que sejamos misericordiosos: “Sede misericordiosos como vosso Pai é misericordioso.” (Mt.6.36) Mas única vez usou um chicote. E em que circunstâncias? “Estava próxima a Páscoa dos judeus; Jesus, então, subiu a Jerusalém. No templo, encontrou os que vendiam bois, ovelhas e pombas, e os cambistas nas suas bancas. 

Então fez um chicote com cordas e a todos expulsou do templo, juntamente com os bois e as ovelhas; jogou no chão o dinheiro dos cambistas e derrubou suas bancas, e aos vendedores de pombas disse: “Tirai daqui essas coisas. Não façais da casa de meu Pai um mercado!” (Jo.2.13-16) É impressionante como Jesus Cristo defende a santidade do templo. Ele nunca bateu em ninguém, apesar de que apresentaram a Ele uma pessoa digna de um castigo físico. Também Jesus Cristo deu uma resposta para àqueles que tem a seguinte opinião: “Todo lugar é bom para rezar. O Senhor Deus é presente em todo lugar, não é preciso uma igreja para rezar.”

A chicoteada que Jesus Cristo deu aos judeus no templo, mostra que não é assim. O lugar privilegiado onde é mais fácil ser ouvido, onde se recebe mais graças divinas, onde Deus tem interesse por nós, onde o demônio não nos acompanha, onde participamos no banquete divino, é a igreja construída de material, ou de madeira, ou de palha.

O nosso povo católico sente a necessidade da igreja-casa. Por isso está construindo as igrejas embelezando as igrejas, investindo um bom dinheiro nas igrejas. Vale a pena fazer isso, pois zelando as nossas Igrejas agradamos a Jesus Cristo. Assim as belas igrejas nos lembram o Céu e nos atraem para visita-las, facilitam para frequentá-las e em consequência receber mais e mais graças.

  Oh, Bom Jesus! Obrigado pela defesa das nossas igrejas. A beleza delas lembra nos o Céu e isso nos ajuda  seguir os seus ensinamentos para conhecer a verdadeira beleza de Deus e do Céu. “Mas, como está escrito, “o que Deus preparou para os que o amam é algo que os olhos jamais viram, nem os ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu”. (1Cor.2.9) Amém.