Tecnologia para otimizar o agronegócio no Brasil

Mesmo em meio à pandemia, o agronegócio brasileiro continua a crescer como um dos principais produtores e exportadores do planeta

O agronegócio está entre as principais indústrias no Brasil. O setor é o principal contribuinte do PIB nacional, equivalente a um aporte de mais de 21%, além de gerar cerca de 18 milhões de empregos formais em 2019, de acordo com dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA).

Mesmo em meio à pandemia, o agronegócio brasileiro continua a crescer como um dos principais produtores e exportadores do planeta, responsável por garantir a segurança alimentar de mais de 1 bilhão de pessoas, o que corresponde a cerca de um sexto da população mundial.

Por outro lado, são inúmeros os desafios que acompanham cada passo da jornada do produtor rural.


Tecnologia para otimizar o Agronegócio
Dentro do âmbito produtivo, houve um grande avanço, graças às tecnologias da informação e comunicação (TICs), hiperconectividade, internet das coisas (iOT) e robótica, unidas com a biologia e a inteligência artificial.

Equipamentos como drones e sensores permitem a automatização de manutenção da lavoura e do gado, observação de qualidade de desenvolvimento, controle de pragas, georreferenciamento, reconhecimento facial dos animais e monitoramento eficaz.

Aliados com a agricultura de precisão, sensores instalados no solo são capazes de atestar sobre a umidade da terra e sua situação para o plantio sem a necessidade de um trabalhador in loco.
O comércio eletrônico é outro ponto que tornou-se fundamental para o agronegócio durante a fase de pandemia, permitindo a relação online com o comprador.

Mas o investimento nestas tecnologias e equipamentos pode ser outro desafio ao produtor rural, que não pode ficar descapitalizado enquanto está no ciclo produtivo e necessita recorrer a aberturas de linhas de crédito e operações barter.

Com o objetivo de facilitar o acesso a financiamento e otimizar o crédito rural, a Medida Provisória n° 897/19 (MP do Agro) passou a ser a Lei do Agro, Lei nº 13.986/20, que assegura que: 'as operações de crédito realizadas por produtores rurais, incluídas as resultantes de consolidação de dívidas, poderão ser garantidas por Fundos Garantidores Solidários', que também se aplica ao 'financiamento para implantação e operação de infraestruturas de conectividade rural.
Diante deste cenário, a tecnologia é a solução capaz de trazer mais celeridade aos processos da esteira burocrática e otimizar operações como LCA, LCI, Barter, CRA, CRI, arrendamento e originação.
Para colaborar com o setor, surge a Docket, uma startup capaz de simplificar as operações fundamentais para o agronegócio através de um Shopping de Documentos, apto a resgatar mais de 200 tipos de documentos em todo o território nacional e pesquisas de bens imóveis por CPF ou CNPJ.
 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail