A a importância da música como critica social

“Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”

A música tem o poder de despertar sentimentos e transmitir as mais diversas mensagens. Ela também pode ser um registro histórico, falar sobre os problemas de uma época e ajudar a construir a identidade de um lugar, essa é a função social da música.

Algumas músicas trazem críticas tão profundas que ficam sempre atuais. Outras conseguem manter o ritmo e a animação, deixando a mensagem subentendida nas entrelinhas. Nesse sentido, a música se torna uma ferramenta política, que questiona, enfrenta, e dá voz a quem mais precisa.

E a crítica social costuma estar conectada aos problemas sociais que ocorrem em determinado lugar e que levam as pessoas a buscar soluções para resolver a situação. Em geral, os alvos da crítica social são a pobreza e a miséria, as desigualdades sociais e econômicas, as questões culturais e políticas. Saber questionar e, especialmente, se questionar, é importante para abrir espaço para o conhecimento e para o surgimento de novas ideias. E aqui cabe bem o trecho da música, Metamorfose Ambulante, de Raul Seixas: “eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”.

O pensamento crítico ajuda a organizar essas ideias, a manter o foco em objetivos e a construir uma disciplina pelo resto da vida. Isso acontece porque o primeiro passo ao avaliar uma situação de maneira crítica é a observação, paciência e resiliência.

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades

 |   |   |   | 

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail