A força da mulher rural

Quando se trata de pequenos e médios produtores rurais há um ponto em comum na maioria dos casos. A união

Quando se trata de pequenos e médios produtores rurais há um ponto em comum na maioria dos casos. A união da família na lida com os trabalhos na propriedade. Com organização e dedicação, famílias atuam e desenvolvem agricultura e pecuária, buscando melhorias e inovações para um melhor desempenho e diversificação.

A participação da mulher no campo é primordial, pois em muitos casos é ela quem dá o suporte necessário para que os homens tenham a possibilidade de atuar em mais de uma frente. Mas em outros, a mulher é quem comanda a propriedade, trazendo um espírito empreendedor e um olhar detalhista que faz a diferença.

Atualmente, elas  ocupam cargos de liderança em propriedades rurais, entidades de classe e empresas dos vários elos da cadeia da produção de alimentos. Esse cenário é comprovado com pesquisas e estudos realizados, como a 7ª Pesquisa Hábitos do Produtor Rural, iniciativa da Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA) e consultoria Informa FNP, que mostra que uma em cada três propriedades rurais do Brasil possui mulheres em sua equipe de gestão, com poder decisório. Além disso, a pesquisa apurou que 81% dos entrevistados consideraram a mulher de importância vital e muito relevante no campo. Numa atividade cada vez mais complexa e competitiva, na qual as modernas tecnologias ganham cada vez mais espaço nas propriedades rurais, informações consistentes e conhecimento técnico fazem-se extremamente necessários para obter a tão desejada alta produtividade e rentabilidade.

Essa deferência à mulher  esteve inserida em evento realizado ontem em Virmond, o Encontro das Amigas do Leite da Cantu,  que reuniu cerca de 250 mulheres que atuam na atividade leiteira.

Estiveram presentes na oportunidade produtoras de vários municípios da região que acompanharam atentas as palestras sobre manejo, ordenha e qualidade do leite.

Isso demonstra que elas querem mais. Querem se qualificar, querem mais produção, mais tecnologia e mais oportunidades. Essa atitude reflete compulsivamente em mais qualidade de vida,  também para suas famílias e a consequência disso é o desenvolvimento de vários setores da economia o que representa um avanço significativo para toda a região. A propósito, ontem também foi o Dia da Mulher Rural e o evento realizado em Virmond, selou a data com muitas homenagens.