Ainda dá tempo

A população precisa mesmo ser estudada. Quando o governo corta algo, vão às ruas protestar e manifestar, mas quando o

A população precisa mesmo ser estudada. Quando o governo corta algo, vão às ruas protestar e manifestar, mas quando o governo dá algo ‘de graça’ não aproveitam.

O leitor certamente notará que estamos nos repetindo no assunto debatido neste espaço. No entanto, precisamos alertar a população sobre a importância da vacinação. O movimento antivacina que começou em 2017 na Europa e América do Norte tem trazido muitas consequências a saúde mundial.

Um exemplo são os casos de sarampo que o Brasil registrou nesse ano, principalmente na região norte do país. A doença já havia sido erradicada em 2001.

A campanha atual do Ministério da Saúde é da vacinação da gripe, que encerra no próximo dia 31 de maio. Conforme o Ministério, cerca de 22 milhões de pessoas em todo o país ainda precisam ser imunizadas. O número é muito alto.

No Paraná, até ontem, 69,19% do público-alvo havia sido imunizado. A meta é atingir pelo menos 90%. E o alerta está ligado, pois, segundo o boletim da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, aumentou o número de casos confirmados e de mortes provocados pela gripe: são 109 casos, com 31 mortes. Na semana anterior o boletim apresentava 74 casos graves confirmados de Influenza com 22 óbitos em todo o Estado.

A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem evoluir para casos graves da doença, internações e óbitos. E nesta época do ano, é a doença mais comum entre idosos e crianças principalmente.

Por isso, por que não levar as crianças até o posto de saúde? É de graça. Pai, mãe, responsável pelas crianças, levem-nos para serem imunizados. A vacina apenas vai protege-los de ficarem doentes. Será que não vale a pena a pena perder 10 minutos do dia para fazer isso? A vida da criança não custa isso? Pensem nisso.