Anarquia dos Resistentes

No editorial de hoje vamos falar sobre a “Lei” que impera no Acampamento Herdeiros da Terra, aqui bem perto, no

No editorial de hoje vamos falar sobre a “Lei” que impera no Acampamento Herdeiros da Terra, aqui bem perto, no interior de Rio Bonito do Iguaçu. Lá a polícia não tem vez! Simplesmente não pode entrar. É a lei própria ou à revelia dela, ou ainda, o que é mais grave, desrespeito à Lei.

Mas como isso é possível? E a Constituição Federal?

Na verdade, o que se vê é uma afronta à Sociedade Organizada o que vem acontecendo naquele Acampamento.

Nos últimos 15 dias tivemos duas ocorrências onde bandidos encapuzados roubaram um mercado e atearam fogo no estabelecimento, que teve perda total. Outra ação, com o mesmo “modus operandi” foi registrada no último sábado, quando uma residência também foi alvo de incêndio provocado por homens encapuzados.

Sabe o que aconteceu? Nada. Absolutamente nada.

Nenhum Boletim de Ocorrência registrado. Nenhuma incursão policial no local. E o que é pior: Lá a gente não pode entrar. Eles proibiram o acesso da polícia no local”, disse um policial que pediu para não ser identificado.

Mas qual o poder legal que essa “turma” tem para impedir o acesso de policiais ao local e de fazer, eles mesmos, as investigações. Isso no mínimo é estranho, para não dizer uma afronta às autoridades constituídas.

E a Lei no regime democrático não deve ser igualitária?

Essa prerrogativa do Acampamento Herdeiros da Terra tem a ciência do Judiciário? E a sociedade constituída vai permitir esse ultraje?

É temeroso, pois caso esse estado de exceção persista, pode-se criar, com a conivência das autoridades, uma região que irá abrigar foras da lei. Isso é perigoso! Um precedente que pode atrair bandidos para um local em que policiais são impedidos de entrar.

E o homem honesto, o trabalhador sem-terra, que está ali com a esperança de ganhar o seu pedaço de terra, como fica?

A propósito, Anarquismo é uma ideologia política que se opõe a todo tipo de hierarquia e dominação, seja ela política, econômica, social ou cultural, como o Estado.

O anarquismo social ou de massas enfatiza a noção de que apenas movimentos de massa podem ser capazes de provocar a transformação social desejada pelos anarquistas, e que tais movimentos, constituídos normalmente por meio de lutas por reformas e questões imediatas, devem contar com a presença dos anarquistas, que devem trabalhar no sentido de radicalizá-los e transformá-los em agentes revolucionários.

Talvez isso explique tamanha insensatez.