Autismo: desafios estão sendo superados

Lidar com o transtorno do espectro autista (TEA) pode não ser fácil para quem recebe o diagnóstico ou para parentes

Lidar com o transtorno do espectro autista (TEA) pode não ser fácil para quem recebe o diagnóstico ou para parentes próximos. Pela falta de compreensão sobre o assunto, é comum que muitos encarem esse tema com um olhar preconceituoso e carregado de estereótipos. É contra a imagem de que os filhos não podem ter uma vida de realizações que grande parte das mães de autistas lutam constantemente.

O autismo é caracterizado como uma síndrome comportamental que compromete a interação social, a comunicação e o comportamento. Além de todos os cuidados, preocupações e atividades a serem cumpridas, ainda tem o dia a dia com a criança, que apresenta inúmeras necessidades, exigências e desejos que precisam ser acolhidos.

Essas mães defendem que a determinação dos autistas tem força para abrilhantar qualquer indivíduo e que a confirmação médica dessa condição reforça apenas uma verdade: a de que existem formas diferentes de enxergar o mundo.

É comum que ao vivenciar o impacto do diagnóstico, as mães passem a ter dificuldades em visualizar um futuro para o filho e para si mesma. Mas com tempo e com a orientação e acompanhamento certo e especializado o fardo diminui.

É de extrema importância que hajam políticas públicas para auxiliar no desenvolvimento da criança com autismo e propiciar o acompanhamento por profissionais capacitados.

Já houve muitos avanços na rede pública, mas ainda falta muito o que ser conquistado e isso só será possível com o envolvimento e engajamento do poder público.