Gigantes do agro caem em operação da PF

A China suspendeu ontem (20) a entrada de carne brasileira no país até que o Brasil preste esclarecimentos sobre a

A China suspendeu ontem (20) a entrada de carne brasileira no país até que o Brasil preste esclarecimentos sobre a Operação Carne Fraca. Foi o primeiro país que oficializou a interrupção na compra do produto brasileiro. Segundo a denúncia da PF, o esquema criminoso envolve empresários do agronegócio e fiscais agropecuários que facilitavam a emissão de certificados sanitários para alimentos inadequados para o consumo.

Em nota, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento informou que a pasta dará todos os esclarecimentos aos chineses o mais rápido possível.

A ‘Carne Fraca’ foi deflagrada no dia em que a operação Lava jato completou três anos desde sua primeira fase.

De acordo com dados do Ministério Público Federal no Paraná atualizados em fevereiro, foram 57 acusações criminais contra 260 pessoas, sendo que em 25 já houve sentença por crimes como lavagem de dinheiro, corrupção, organização criminosa e tráfico transnacional de drogas. Até agora, a Lava Jato conseguiu recuperar R$ 10 bilhões aos cofres públicos, entre valores que já foram devolvidos ou estão em processo de recuperação.

A operação Carne Fraca, por sua vez, predeu 36 pessoas e a Justiça Federal determinou o bloqueio de até R$ 1 bilhão das contas bancárias das 46 pessoas investigadas, e o Banco Central informou o bloqueio de pouco mais R$ 2 milhões. As autoridades não detalharam quais irregularidades foram cometidas por cada empresa.

Porém, com mais essa operação, mais coisas que estavam por baixo dos panos e que, mesmo onde a população acreditava que não poderia haver fraude, ou esquemas de algum tipo, a polícia encontrou. Apesar das desconfianças com relação a qualidade da carne e as muitas ‘piadas’ nas redes sociais, a população não deixará de comer carne. Pelo menos não do dia para noite.