Novo ministro da Saúde

Na última terça-feira (23), Marcelo Queiroga foi nomeado oficialmente o novo ministro da Saúde, o 4° a comandar a pasta

Na última terça-feira (23), Marcelo Queiroga foi nomeado oficialmente o novo ministro da Saúde, o 4° a comandar a pasta desde a chegada da pandemia no Brasil.

Quem assume agora é um cardiologista experiente que atua na área de hemodinâmica e cardiologia intervencionista e atualmente, preside a Sociedade Brasileira de Cardiologia. No currículo enviado ao Senado, Queiroga informou ainda, ser diretor do Departamento de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista do Hospital Alberto Urquiza Wanderley, em João Pessoa, e cardiologista do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires, em Santa Rita (PB).

Marcelo Queiroga foi escolhido por Jair Bolsonaro para substituir o general Eduardo Pazuello, fortemente criticado pela condução da pasta – até mesmo por integrantes do Centrão, que formam a base de apoio do governo no Congresso.
O agora ministro da Saúde, fez um pronunciamento em que defendeu o Sistema Único de Saúde (SUS) e citou a importância das “evidências científicas” em futuras ações da pasta, mas sinalizou que fará uma gestão de continuidade.

Em discurso afinado com as preocupações do presidente Jair Bolsonaro, ele se mostrou preocupado com o impacto da pandemia da Covid-19 na economia e disse que é  preciso unir esforços do enfrentamento da pandemia com a preservação da atividade econômica.

A julgar pelo discurso de Queiroga, quem continua dando as cartas na estratégia federal contra a Covid-19 é o presidente da República, mas o que se espera é que as orientações não sejam aquelas do “velho” Bolsonaro. O que toda população espera é o comprometimento com a vacinação em massa, que demonstre empatia pelos doentes e mortos e que preze pelas medidas de prevenção.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail