“Eu não sou gato de Ipanema, sou bicho do Paraná”

Nascido na cidade de Califórnia, no norte pioneiro do Paraná, reza a lenda, que o cantor João Lopes foi para

Nascido na cidade de Califórnia, no norte pioneiro do Paraná, reza a lenda, que o cantor João Lopes foi para o Rio de Janeiro, nos idos dos anos 1980 tentar a sorte como artista. Sem muito sucesso em vender seus shows na cidade carioca, ele mesmo conta: “eu não aceitava o insistente pedido do meu produtor, para que mudasse a aparência. Ele ficava o tempo inteiro pedindo pra que eu cortasse o cabelo e a barba…e eu brinquei, vendo passar uns meninos na praia… todos ajeitadinhos… cabelinho curtinho. Eu falei… Olha eu venho de uma região de terras férteis, aonde a característica do homem do campo é esta aqui, com cabelo e barba…  Não sou nenhum gatinho desses de Ipanema. Eu sou na verdade um bicho do Paraná. Pronto surgia a letra e a música daquele que ficou conhecido como o hino informal do Paraná. Uma ode ao nosso modo simples, em sintonia com a natureza, enfim, direto de viver.
João Lopes nos deixou nesta semana, aos 69 anos. Foi vencido por um câncer no pulmão. Mas seu legado permanecerá conosco e merece reflexão.
Aqueles que estão na faixa dos 40, 50 anos irão lembrar. Em 1985, o então Banco Bamerindus (depois HSBC, atualmente Bradesco), a partir de uns dos profissionais de marketing mais geniais desse Estado, o Sérgio Reis, quis lançar uma campanha para valorizar a marca do banco e o povo paranaense. Foi assim que nasceu, em parceria com a RPC, a campanha ‘Gente que Faz’, cujo tema era a canção Bicho do Paraná. Ela ficou por oito anos no ar, passava no jornal das 8, em rede nacional e contou a história de mais de 400 personalidades paranaenses, algumas famosas como os atores Sônia Braga e Herson Capri, os poetas Paulo Leminski e Helena Kolody, o pintor Poty Lazzarotto, atletas como Gisele Miró, escritores como Wilson Martins, mas também de gente do mundo da música, da indústria, da moda, engenharia, educação, medicina e muitos outros.
Passados quase 30 anos, o paranaense tem ainda mais motivos para se orgulhar de sua terra. Somos a quinta economia do país. O maior e mais rico entre os três Estados do Sul. Fica aqui a segunda maior atração turística do Brasil (as Cataratas do Iguaçu) e todo lançamento de produtos inovadores são testados antes em nossa capital, pois o consumidor curitibano é tido como o mais exigente do Brasil. As contas públicas e o funcionalismo estadual estão em dia e temos projetos estratégicos que farão esta década que se inicia ser a “época de ouro do Paraná. 
É neste contexto que presto homenagens ao bicho do Paraná e todo simbolismo que sua obra representa para nós. O estilo rock rural de João Lopes, a sua gaita de boca e suas saborosas histórias… estão alegrando a comitiva que o recebeu no céu.

Paranaenses ilustres
Sônia Braga, Herson Capri, Helena Kolody e Paulo Leminski, foram algumas das estrelas da campanha ‘Gente que Faz’, do extinto Banco Bamerindus

 
 
Solidariedade
Nossos cumprimentos ao Trio Gente em Caminho, que organizou ao lado da Rádio Campo Aberto, a Live da Família na última quarta-feira (20). Com milhares de visualizações, foram arrecadadas doações em dinheiro e material de construção para ajudar famílias carentes de Laranjeiras. 


 

Nova escola 
Três professoras e uma advogada estão planejando uma grande novidade para atender Laranjeiras e região. Se tudo der certo, a cidade vai ganhar uma nova escola com possibilidade de ensino fundamental e médio. Fala-se que será bilíngue e com uma estrutura de deixar com inveja os grandes centros urbanos.