Primeiro amor

Ivan Serguêievitch Turguêniev (1818-1883) foi um prosador, poeta, dramaturgo, tradutor e ensaísta russo. Juntamente com Tolstói, Gogol, Tchekhov e Dostoiévski

Ivan Serguêievitch Turguêniev (1818-1883) foi um prosador, poeta, dramaturgo, tradutor e ensaísta russo. Juntamente com Tolstói, Gogol, Tchekhov e Dostoiévski formam o primeiro time da literatura clássica russa. Turguêniev nasceu rico, a grande propriedade rural de sua mãe contava com cinco mil servos, os quais ele desobrigou de suas funções antes que o próprio Czar Alexandre II o fizesse em toda a Rússia. Apesar de ter nascido em uma família abastada, Turguêniev ganhou projeção com livros de forte cunho social e político. Seu primeiro livro com grande projeção foi Memórias de um caçador (1852) e nele denunciava o regime da servidão na Rússia o que demonstrava o espírito do literato que travou contato com importantes intelectuais russos, dentre eles, o teórico e militante anarquista Bakúnin. Essa obra e a atenção que chamou para si ao denunciar injustiças sociais por meio de panfletos resultou em sua prisão, porém, conta-se que o referido livro influenciou o Czar a extinguir tal sistema no país.

            Turguêniev formou-se bacharel em filosofia pela Universidade de São Petersburgo. Sem problemas financeiros a lhe atormentar a existência passava parte do ano na França, e, parte na Rússia. Jamais se casou, porém, teve um relacionamento que durou toda a vida com a cantora hispano-americana Pauline Viardot-Garcia. O detalhe é que ela era casada. Relacionou-se com algumas de suas servas e teve de forma ilegítima sua única filha, a qual foi dado o nome de Paulinette. Na Europa, Turguêniev estimulou a tradução e a publicação de autores russos, mesmo aqueles que lhe criticavam por julgá-lo mais europeu do que russo ou por ser dúbio quanto ao seu posicionamento ideológico. Isto se devia ao fato de que o escritor russo era contrário aos extremismos ideológicos. Em 1883, um câncer agressivo o deixou acamado, e, em poucos meses o matou. Acredita-se que a obra A morte de Ivan Ilich de Liev Tolstói tenha sido fortemente influenciada pelo trágico destino de seu compatriota e amigo Turguêniev.

            A obra Primeiro amor é na verdade uma novela, pois, tem cerca de cem páginas. Nela o autor explora muito pouco as questões sociais pelas quais ficou conhecido em outras de suas publicações. Turguêniev não teve grandes pretensões que não explicitar a complexidade da descoberta do amor na juventude e os sentimentos dele resultantes, e, que se fazem inesquecíveis, pois, assim é o primeiro amor de qualquer pessoa, mesmo que ao invés de alegria e conquista, este resultou em frustração e vergonha. A história começa com um jantar, sendo que a maioria dos convidados já tinha ido embora, e, para entreter os restantes, o anfitrião os desafia a contar a história de seu primeiro amor. Todos o fazem, quando chega a vez de Vladimir Petróvitch, este afirma que sua história é incomum e solicita tempo para que a escreva num caderno e conte numa próxima reunião do grupo. A contragosto eles aceitam. Vladimir conta que quando tinha dezesseis anos seus pais foram passar uma temporada na datcha (casa de campo, fazenda, chácara) e a sua vizinha era uma princesa viúva e falida que sonhava ganhar um processo judicial para tirar os pés do barro. Essa senhora tinha uma filha de vinte e um anos de idade. O rapaz ao ver a moça encantou-se com sua beleza.

A moça sabia o poder que possuía sobre os homens, seduzia-os, fazia com que fizessem seus caprichos, mas, jamais escolhia um por namorado, enfim, agia como uma verdadeira coquete. Afirmava que não pretendia se apaixonar por ninguém. Ao perceber o efeito que causava sobre Vladimir, começou a se divertir com ele, às vezes o tratava como se fosse uma criança, noutras o seduzia. Sua mãe não gostava das princesas, considerava-as vulgares e queria que o rapaz se mantivesse longe delas. Seu pai agia com superioridade em relação às vizinhas. A mãe de Vladimir, muito rica, bem educada, porém, tinha um gênio difícil. O pai, de origem humilde, tinha uma boa formação intelectual e era dez anos mais jovem que sua mãe. O pai tinha um comportamento estranho, ora ausente, ora sufocava o filho com sua atenção. O rapaz era muito cobrado a se dedicar aos estudos visando seu ingresso na universidade. E estudar não era o foco de Vladimir, pois, sua atenção toda estava na moradora da casa vizinha. Sua preocupação estava em conquistá-la e em afastar seus rivais, os rapazes que também eram iludidos pela moça. Mostrar-se homem, apesar da pouca idade e tentar caminhar com segurança no terreno movediço da primeira paixão. Paro aqui para não dar spoiler, mas, digo que esta obra tanto é leve na forma como é escrita, como pesada na trama desenvolvida. Parece despretensiosa, porém, traz à luz experiências vividas felizes ou não de pessoas que do alto de sua maturidade lamentam, riem ou se regozijam da forma como agiram quando tiveram o coração repentinamente assaltado por um sentimento até então desconhecido.

Sugestão de boa leitura:

Título: Primeiro amor.

Autor: Ivan Turguêniev.

Editora: Penguin Companhia, 2015, 108 p.

Preço: R$ 32,90.