Ratos e homens

O livro “As vinhas da Ira” de John Steinbeck figura entre as melhores leituras que fiz em 2019 e se

O livro “As vinhas da Ira” de John Steinbeck figura entre as melhores leituras que fiz em 2019 e se eu fizesse ranking anual das leituras, certamente a obra estaria no top 5. Tendo em conta sua altíssima qualidade literária, a obra “As vinhas da Ira” recebeu resenha neste espaço em Janeiro daquele ano. Naquele momento apresentamos o autor da seguinte forma: “John Steinbeck (Salinas, 1902 – Nova Iorque, 1968) é um grande autor estadunidense cuja literatura é marcada pelo compromisso com as questões sociais de seu país. O autor conquistou legiões de admiradores pela delicadeza como expressou em seus textos as graves contradições que observava nos Estados Unidos”. É importante observar que Steinbeck nascido na região presenciou grande parte das angústias vividas por suas personagens, dessa forma sua ficção tem como cenário a crise da década de 1930, após a quebra da bolsa de valores de Nova Iorque (1929). O capitalismo estadunidense que havia lucrado muito com as exportações para a Europa devastada pela Primeira Guerra Mundial (1914-1918), não estava preparado para o momento em que a Europa voltasse a produzir por conta própria. Com a produção alçada a vôos estratosféricos, a demanda interna não foi capaz de segurar o jumbo estadunidense no ar, a queda foi rápida e brutal, fortunas se desfizeram e mesmo pessoas humildes perderam o pouco que tinham. O sonho americano virava cinzas na forma de desemprego, subemprego, rendas em declínio, falências, etc. e levava o mundo à maior crise econômica da história, como num castelo de cartas, nada ficou em pé.
    É nesse momento histórico que Steinbeck ambienta a obra “Ratos e homens”. Livro que adquiri por conta do deslumbramento anterior com “As vinhas da Ira” e também ao pensar: se o autor escreveu tal obra maravilhosa, foi galardoado com um prêmio Nobel (1962), deve ter outros títulos interessantes e, nisso não me enganei. “Ratos e homens”, publicado em 1937, é considerado um clássico estadunidense e uma obra-prima do autor. Trata-se de um livro pequeno e que pode ser lido em um único dia e, no qual uma página puxa a outra, bastante por sua linguagem simples e sua trama que transporta o leitor (tal qual uma máquina do tempo) a uma época de muito sofrimento, sem com isso dizer que os tempos atuais não o sejam para a maioria dos humanos. O livro figura como um dos mais lidos do autor juntamente com “As vinhas da Ira”. No entanto, a tradução brasileira de “Ratos e homens” foi alvo de críticas por abusar do jeito caipira (da roça) de falar. 
    Na obra, George e Lennie são amigos que perambulam pelas fazendas estadunidenses a procura de trabalho. George é um sujeito baixinho, magro e muito inteligente e, Lennie é alto e forte. Lennie, apesar de grandalhão demonstra por seus atos e falas ter a idade mental de uma criança. George sabe que teria uma vida menos atribulada se vagasse sozinho em busca de trabalho, mas, sabe também que Lennie seria incapaz de sobreviver sozinho. O sonho de George é não depender de ninguém, e para isso, deseja ter seu próprio sítio e com ele sobreviver, fazendo suas plantações, criando animais e tendo uma casa confortável para passar os dias frios e chuvosos. Quando contou esse sonho a Lennie, este nunca mais parou de importuná-lo a contar repetidas vezes que quando isso acontecer ele poderá cuidar dos coelhos. George de tanto contar a Lennie seu sonho, passou a acreditar nele, apesar de todos nas fazendas onde trabalhou afirmarem que isso é ilusão, pois, mesmo sendo o sonho de todos, jamais um trabalhador pobre conseguiu realizar. Lennie é excelente no trabalho braçal, porém, sua mente imatura não é capaz de lhe dar autocontrole e nem de controlar a força descomunal que possui. Lennie vive colocando a dupla em problemas, apesar disso, George gosta de cultivar essa amizade que faz dele um pouco menos pobre, pois, afirma: no mundo há pessoas que além da pobreza material não podem desfrutar de uma verdadeira amizade. Mas, como literatura produzida por Steinbeck nunca é conto de fadas, a trama evolui para um final trágico e, o leitor sabe disso, e mesmo assim, se surpreende pela forma trágica como ocorre.
Sugestão de boa leitura:
Título: Ratos e homens.
Autor: John Steinbeck.
Editora: L&PM, 2019, 144 p.
Preço: R$19,91.