A Lei cumprida

Os homens criaram as leis para ter a vida organizada civil na comunidade. Deus criou as leis religiosas para regular

Os homens criaram as leis para ter a vida organizada civil na comunidade. Deus criou as leis religiosas para regular a vida religiosa individual e comunitária. É princípio geral, que a lei tem que ser cumprida, custe o que custar.  Sem o cumprimento das leis se cria a desordem e a injustiça. Assim não só a Lei divina, mas também a Lei civil tem de ser cumprida. Como exemplo desta rigidez de cumprimento das leis                                 serve Maria Santíssima. Ela pode ser a padroeira das autoridades civis. O Evangelho escreve: “Naqueles dias, saiu um decreto do imperador Augusto mandando fazer o recenseamento de toda a terra – o primeiro recenseamento, feito quando Quirino era governador da Síria.  Todos iam registrar-se, cada um na sua cidade.  Também José, que era da família e da descendência de Davi, subiu da cidade de Nazaré, na Galiléia, à cidade de Davi, chamada Belém, na Judéia, para registrar-se com Maria, sua esposa, que estava grávida. Quando estavam ali, chegou o tempo do parto.  Ela deu à luz o seu filho primogênito, envolveu-o em faixas e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria.” (Lc.2.1-7) 
Maria que estava perto de dar luz, podia pedir as autoridades civis de Nazaré, onde naquela época ela morava, para transferir o seu registro para outra data. Isto era possível, pois como a história nos conta a administração romana funcionava perfeitamente. Até hoje nas faculdades de direito se estuda as leis romanas, pois elas são bem feitas.  Mas Maria e José mesmo, que   parto era eminente, preferiram cumprir a lei mesmo com muito sofrimento. Os Evangelhos não mencionam da parte de José e de Maria, nenhuma reclamação, nem nenhum atraso ao cumprimento da lei. Isto mostra que Maria junto com José eram obedientes não só as leis divinas, mas também as leis civis. Assim estão agindo só as pessoas humildes. Maria podia aproveitar a sua exaltação divina e podia pedir ao Pai Celeste a solução milagrosa do seu registro. Ela não fez isso, pois ela se considerava serva do Senhor e não dona do mundo. Ela falou ao anjo, que lhe trouxe a notícia, que a tornava uma pessoa muito importante, a primeira depois de Deus: “Maria disse: “Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a tua palavra”. E o anjo retirou-se de junto dela.” (Lc.1.38)
É obvio, que para manter ordem na sociedade e sobretudo a justiça, as pessoas tem que  respeitar as leis, todo mundo igualmente. Se numa sociedade ter falta de respeito as leis, ela se torna bagunçada, cheia de injustiças e até lágrimas.
Maria Santíssima! Ajude nos a respeitar as leis, como as Senhora respeitou, para que nossas sociedades vivam no amor fraterno, na justiça, na paz e na harmonia. Amém.
 

Acompanhe nossas redes sociais e fique por dentro das novidades  Facebook |  Twitter |  YouTube |  Instagram. Também temos nosso grupo de notícias no  Whatsapp, todo dia atualizado com novas matérias.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail