A Santa Missa

  Fazei isso em memória de mim (1Cor.11.24). Esta ordem  Jesus Cristo deu aos Apóstolos,  seus íntimos amigos, na Última

 

Fazei isso em memória de mim (1Cor.11.24). Esta ordem  Jesus Cristo deu aos Apóstolos,  seus íntimos amigos, na Última Ceia, quando instituiu o sacramento da Eucaristia, o sacramento do seu Corpo e Sangue. Declarou  que sob a espécie do pão e do vinho, que Ele usou na Última Ceia esão o Corpo e o Sangue dele. Ele disse, que ardentemente desejou revelar este mistério de amor dele pela humanidade.  Por isso Ele usou uma forte expressão para destacar a importância da Eucaristia: Quando chegou a hora, Jesus pôs-se à mesa com os apóstolos disse: Ardentemente desejei comer convosco esta ceia pascal, antes de padecer (Lc.22.14-15)

Como Jesus Cristo explica a importância espiritual da Eucaristia?

Jesus disse: Em verdade, em verdade, vos digo: se não comerdes a carne do Filho do Homem e não beberdes o seu sangue, não tereis a vida em vós. Quem se alimenta com a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna, e eu o ressuscitarei no último dia. (Jo.6.53-54)

As consequências de alimentar-nos com a Eucaristia são de valor infinito. A Eucaristia, este Corpo e Sangue de Jesus Cristo, nos garantem a futura ressureição e a vida infinita, sem fim, nos Céus. Este milagre da Eucaristia acontece de modo invisível, por isso se precisa da graça da Fé, na Santa Missa. O que nos deixa de boca aberta é a grandeza do valor divino da SANTA MISSA. A Santa Missa reconstrói a morte de Jesus Cristo na cruz. Na Santa Missa Jesus Cristo morre de verdade, sem sofrimento, mas acontece a verdadeira morte dele. Pois o padre separadamente levanta o pão que é o Corpo de Jesus e o cálice com vinho que é o Sangue de Jesus. O que acontece com a pessoa quando separamos o sangue do corpo dela? …A morte. Isto acontece com Jesus Cristo na Santa Missa. Jesus Cristo morre em toda Santa Missa. Morre sem sofrimento, mas é a verdadeira morte dele. Esta verdade é destacada no Novo Testamento: Na noite em que ia ser entregue, o Senhor Jesus tomou o pão e, depois de dar graças, partiu-o e disse: Isto é o meu corpo entregue por vós. Fazei isto em memória de mim.  Do mesmo modo, depois da ceia, tomou também o cálice e disse: Este cálice é a nova aliança no meu sangue. Todas as vezes que dele beberdes, fazei-o em minha memória.  De fato, todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes deste cálice, estareis proclamando a morte do Senhor, até que ele venha. (1Cor.11.23-26)

Jesus Cristo nos pede que celebrando a Santa Missa nós meditemos a crueldade do sofrimento dele na cruz. Pois participando na Santa Missa nós espiritualmente ficamos no Calvário ao lado da sua mãe Maria, de João Apóstolo, de Maria Madalena, de Maria mulher de Cléofas, de Maria mãe de Tiago e de José,  da mãe dos filhos de Zebedeu, de Salomé  e de outras pessoas, que simpatizavam com Jesus Cristo. Nós hoje, para mostrar que simpatizamos com Jesus, nós ajoelhamos na hora do milagre da consagração do pão e do vinho que de modo invisível, mas real, se transforma no Corpo e no Sangue de Jesus. Assim a Santa Missa é a maior fonte das graças da salvação. Uma Santa Missa é suficiente para salvar todo o mundo de todos os tempos. Ela é o verdadeiro oferecimento da vida de Jesus Cristo pela salvação dos homens e das mulheres.

Meu Bom Jesus! Amo Te, pois morreste na cruz pela minha salvação. Me ajude a levar uma                                                 vida santa, para que, quando eu morrer, Te agradeça pessoalmente, face a face, de joelhos, beijando as cinco chagas do teu martírio pela minha salvação. Amém.