Antigo e Novo Testamento

A Bíblia do Antigo Testamento, chamada também a Antiga Aliança, ou a Antiga Lei tinha a finalidade de preparar a humanidade para receber a graça da Salvação, a graça da Redenção. Pois os primeiros homens Adão e Eva, desobedeceram a Lei divina, pecaram e perderam o Céu. Deus em sua misericórdia preparou a Redenção da humanidade inteira. Para representar a humanidade na Redenção, Deus escolheu Abraão, o patriarca do Antigo Testamento. Pois Abraão agradou a Deus pela sua Fé e por isso foi escolhido para que ele e a sua família, chamada depois de o povo judeu ou de Israel, guardasse a promessa da Redenção e se preparasse para receber o Redentor, que na língua daquele povo se traduz o Messias. Este Messias, o Redentor, é Jesus Cristo. Com a vinda de Jesus Cristo começou o Novo Testamento. Assim aconteceu uma grande mudança. Pela sua morte na cruz Jesus Cristo diante do Pai nos justificou. De pecadores nós nos tornamos justos.  Com efeito, como, pela desobediência de um só homem (Adão), a humanidade toda tornou- se pecadora, assim também, pela obediência de um só (Jesus Cristo), todos se tornarão justos! (Rm.5.19)

Agora vivemos sob Lei do Novo Testamento. Do Antigo Testamento aceitamos aquilo que foi confirmado no Novo Testamento. Sabendo, porém, que não se é justificado por observar a Lei de Moisés, mas por crer em Jesus Cristo, nós também abraçamos a fé em Jesus Cristo. Assim fomos justificados pela fé em Cristo, e não pela prática da Lei, porque pela prática da Lei ninguém será justificado.  (Gl.2.16)

Jesus Cristo corrigiu alguns mandamentos do Antigo Testamento. Como um exemplo o mandamento do amor ao próximo. Jesus falou: Ouvistes que foi dito: ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’ (Lv.19.18) Ora, eu vos digo: Amai os vossos inimigos e orai por aqueles que vos perseguem!  Assim vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus; pois ele faz nascer o seu sol sobre maus e bons e faz cair a chuva sobre justos e injustos.  Se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os publicanos não fazem a mesma coisa?  E se saudais somente os vossos irmãos, que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Sede, portanto, perfeitos como o vosso Pai Celeste é perfeito. (Mt.5.43-48)

O Novo Testamento é o Livro mais importante para a nossa salvação. Se a pessoa fosse justificada, isto é, perdoada dos seus pecados pela prática da Lei do Antigo Testamento, então não seria necessária a vinda de Jesus Cristo. Mas ela foi necessária. Pois sem Jesus Cristo não haveria a Salvação: Em nenhum outro há salvação, pois não existe debaixo do céu outro nome dado à humanidade pelo qual devamos ser salvos. (AtAp.4.12)

Nós católicos seguimos os ensinamentos do Novo Testamento.

Queridos católicos e católicas se alguém te diz que na Bíblia tem alguma lei, então procure saber, se esta lei é do Novo Testamento. Pois seguindo o Novo Testamento alcançaremos a Vida Eterna no Céu. O Novo Testamento nos assegura, que Jesus Cristo, o nosso Salvador,  nos resgatou dos pecados e  deixou os recursos, isto é, as graças para a salvação das nossas almas. A fonte das graças da salvação são sobretudo os santos sacramentos e as obras da caridade. Normalmente o cristão católico mais cedo possível é batizado, é crismado, frequentemente se confessa, participa todo o domingo na santa missa comungando, contrai o matrimônio na igreja e na hora da morte recebe a unção dos enfermos.

Ó, Meu Jesus, me ajude a ler o Novo Testamento e entender que quem segue este Livro ganhará o Céu. Amém.