Pecados contra o Espírito Santo

Um dia Jesus Cristo fez uma declaração. Ele falou: “Em verdade, vos digo: tudo será perdoado às pessoas, tanto os

Um dia Jesus Cristo fez uma declaração. Ele falou: “Em verdade, vos digo: tudo será perdoado às pessoas, tanto os pecados como as blasfêmias que tiverem proferido. Aquele, porém, que blasfemar contra o Espírito Santo nunca será perdoado; será réu de um ‘pecado eterno’”. (Mc.3.28-30) Esta declaração de Jesus Cristo nos deixa assustados. Então existe um pecado que nunca será perdoado. Quem morrer com este pecado irá para o Inferno. Nós não queremos ir para lá. Temos que conhecer este pecado para evita-lo. Então o que ensina a Bíblia e a Igreja sobre “blasfêmia contra o Espírito Santo”? Como reconciliar a severidade de Jesus Cristo contra o pecado cometido contra o Espírito Santo com a sua infinita misericórdia divina? Uma vez Pedro dirigiu-se a Jesus perguntando: “Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?” (Mt.18.21-22) “Jesus respondeu: “Digo-te, não até sete vezes, mas até setenta vezes sete vezes.”  Jesus Cristo deu a resposta, que Ele é muito misericordioso, que o seu perdão não tem limites. Mas Jesus Cristo age severamente com aqueles que pecam contra o Espírito Santo. Assim, quando os judeus acusavam Jesus Cristo de ser “um comilão e beberrão, amigo de publicanos e de pecadores” (Mt 11, 19), estes pecados foram prontos para ser perdoados; quando porém,  atribuíram ao demônio as obras de Deus, que Jesus Cristo realizava, Ele declarou que cometeram o pecado contra o  Espírito Santo. “Mesmo se alguém falar uma palavra contra o Filho do Homem, lhe será perdoada. Mas, se falar contra o Espírito Santo, não será perdoado” (Mt 12, 32).
A resposta de Jesus é forte. Não há perdão para pecado contra o Espírito Santo.  O pecado contra o Espírito Santo é quando negamos a verdade óbvia. Por exemplo, teimamos que uma coisa é preta, quando na verdade ela é branca. Deste modo agiram os fariseus inimigos de Jesus Cristo. Assim descrevem o fato os Evangelhos:
“Os escribas vindos de Jerusalém diziam que ele estava possuído por Beelzebu e expulsava os demônios pelo poder do chefe dos demônios.  Jesus os chamou e falou-lhes em parábolas: “Como pode Satanás expulsar Satanás? Se um reino se divide internamente, ele não consegue manter-se.  Se uma família se divide internamente, ela não consegue manter-se. Assim também, se Satanás se levanta contra si mesmo e se divide, ele não consegue manter-se, mas se acaba… Em verdade, vos digo: tudo será perdoado às pessoas, tanto os pecados como as blasfêmias que tiverem proferido.  Aquele, porém, que blasfemar contra o Espírito Santo nunca será perdoado; será réu de um ‘pecado eterno’”.  Isso, porque diziam: “Ele tem um espírito impuro”. (Mc.11.15-30) Jesus Cristo com o poder divino expulsava os demônios. E os fariseus falavam que Jesus Cristo expulsa os demônios pelo poder do demônio. Mentiram que preto é branco e branco é preto.  Assim os fariseus negaram a verdade óbvia. Negaram que Jesus Cristo agiu com o poder divino e não do demônio. Cometeram o pecado contra o Espírito Santo.
O, Bom Jesus, com o seu poder divino encoraje-nos a nunca cometer o pecado contra o Espírito Santo, que preto seja preto e branco seja branco. Amém.

Fique por dentro de todas

Se inscreva e receba as melhores notícias do Correio do Povo direto no seu e-mail