Rico e Lázaro

Jesus Cristo contou uma parábola assustadora. Havia um homem rico, que se vestia com roupas finas e elegantes e dava

Jesus Cristo contou uma parábola assustadora. Havia um homem rico, que se vestia com roupas finas e elegantes e dava festas esplêndidas todos os dias. Um pobre, chamado Lázaro, cheio de feridas, ficava sentado no chão junto à porta do rico. Queria matar a fome com as sobras que caíam da mesa do rico, mas, em vez disso, os cães vinham lamber suas feridas. Quando o pobre morreu, os anjos o levaram para junto de Abraão. Morreu também o rico e foi enterrado. Na região dos mortos, no meio dos tormentos, o rico levantou os olhos e viu de longe Abraão, com Lázaro ao seu lado. (Lc.16.19-23)

A parábola ensina que depois da morte a nossa alma não está dormindo esperando o fim do mundo. Ela é julgada na hora por Deus e conforme a sua conduta vai para os Céus ou para o Inferno. Este julgamento nós chamamos O Juízo Particular. Ele é diferente do Juízo Final. O Juízo Final vai revelar toda a história da humanidade influenciada por pessoas importantes boas e ruins.

Então gritou (o rico): ‘Pai Abraão, tem compaixão de mim! Manda Lázaro molhar a ponta do dedo para me refrescar a língua, porque sofro muito nestas chamas’. Mas Abraão respondeu: ‘Filho, lembra-te de que durante a vida recebeste teus bens e Lázaro, por sua vez, seus males. Agora, porém, ele encontra aqui consolo e tu és atormentado. Além disso, há um grande abismo entre nós: por mais que alguém desejasse, não poderia passar daqui para junto de vós, e nem os daí poderiam atravessar até nós’. (Lc.16.24-26)

Outra importante conclusão desta parábola é a oração do rico no inferno. Ele pede a alma do falecido Abraão, um santo do Antigo Testamento, o socorro para si e para os seus irmãos. Deste modo Jesus Cristo confirma que existe um contato espiritual na outra vida entre as almas dos falecidos e as pessoas aqui na terra. As almas e as pessoas aqui na terra podem pela oração se ajudar mutuamente. Dá para entender com facilidade esta conclusão pois o amor fraterno é a essência da religião de Jesus Cristo. Se a oração do rico fosse atendida, a alma de Lázaro poderia advertir os irmãos do rico do perigo do Inferno.

O rico insistiu: ‘Pai, eu te suplico, manda então Lázaro à casa de meu pai, porque eu tenho cinco irmãos. Que ele os avise, para que não venham também eles para este lugar de tormento’. Mas Abraão respondeu: ‘Eles têm Moisés e os Profetas! Que os escutem!’ O rico insistiu: ‘Não, Pai Abraão. Mas se alguém dentre os mortos for até eles, certamente vão se converter’. Abraão, porém, lhe disse:‘ Se não escutam a Moisés, nem aos Profetas, mesmo se alguém ressuscitar dos mortos, não acreditarão’. (Lc.16.27-31)

Uma outra conclusão também importante é que o rico faz o pedido não direto a Deus, mas ao santo patriarca Abraão esperando a sua intercessão com Deus. Isso significa que a prática de rezar aos santos é aprovada por Jesus Cristo.

Ó, meu Bom Jesus! Tenha piedade de todos nós! Que nenhuma alma seja levada para o Inferno. Castigue-nos aqui na terra, se nos desviamos do caminho dos Céus. Pois preferimos sofrer aqui na terra do que ir para o Inferno e sofrer por toda a eternidade. Amém.