A cidade do sal

Afonso wobeto, jornalista, jesuíta Nas entranhas da terra, debaixo da cidade polonesa de Wieliczka, se esconde um mundo fantástico de

Afonso wobeto, jornalista, jesuíta

Nas entranhas da terra, debaixo da cidade polonesa de Wieliczka, se esconde um mundo fantástico de sal. São sete séculos de exploração contínua. Oito milhões de metros cúbicos escavados à mão, onde atualmente se encontra uma cidade subterrânea de mais de dois mil lugares e grutas ou covas. É necessário um mapa para não se perder.

Para percorrer todos os lugares seriam necessárias semanas. O ar úmido e salubre afeta os pulmões. Não existe uma estatística que possa descrever esse extraordinário universo, mistura de sal, museu de tecnologia mineral, galeria artística e imponente espetáculo de formações geológicas. Tudo isso se encontra a alguns 15 quilômetros ao sudoeste da Croácia, na Polônia. Em 1978, Kopalnia Soli Wieliczka – nome completo da mina em polonês – foi um dos 12 primeiros lugares declarados patrimônio da humanidade pela UNESCO. A longa história da mina é uma epopeia do engenho humano e da luta incessante contra as forças da natureza. Até pouco tempo, as milhares de toneladas de sal produzidas a cada ano eram extraídas, escavando à picareta os blocos de mineral que medem dezenas de milhares de metros cúbicos.

Apesar dos perigos, desde que se construiu o primeiro poço em princípio do século XIV, por ordem do rei polonês Casimiro, o Grande, a mina de sal ficou aberta aos turistas.

Para as pessoas mais importantes, o rei em pessoa fazia-se de guia.

Algumas visitas chegaram a ser festivas e eram levadas com carruagens, puxadas a cavalos pelos labirintos e galerias da mina.

Atualmente, as coisas não são mais assim porque é preciso atender a cada ano meio milhão de turistas. Em alguns ambientes mais amplos, se fazem apresentações teatrais, concertos, conferências e até a celebração de bodas.

Entretanto, o maior espetáculo da mina é a capela de Santa Cunegundes, consagrada em 1896, que por suas dimensões se apresenta como uma catedral. No dia da festa da santa ou em outras datas aparecem centenas de pessoas para participar das celebrações.

A magnificência do lugar é admirável admirável; altares, templates, crucifixos, baixo-relevos, sacristia, capelas laterais e um coro todo trabalhado em sal.