PALHAÇADA E ABERRAÇÃO

É realmente uma perfeita palhaçada, falar em igualdade quando existem no Brasil aberrações como o “foro privilegiado” ou “imunidade parlamentar”.

É realmente uma perfeita palhaçada, falar em igualdade quando existem no Brasil aberrações como o “foro privilegiado” ou “imunidade parlamentar”. Os “constitucionalistas” falam em independência de poderes, garantias para a liberdade política, segurança para a democracia e muito mais. Não é um nem outra. É só safadeza enfiada na Constituição por “espertos”, para proteger a si próprios do Código Penal. Essa mentira não protege só os políticos. Alcança também a juízes, procuradores e ministros dos tribunais de Justiça, ao contrário de todos os demais brasileiros, eles podem cometer crimes de todo tipo, da corrupção ao homicídio, sem ser julgados perante a Lei. O pior, mas vamos dizer, que o melhor que lhes pode acontecer é serem aposentados com salário integral. Não é uma maravilha? Novíssimo ainda, e já aposentado integralmente! Mas, todos dizem que não é bem assim, teoricamente, pelo que está escrito, eles têm de prestar contas de seus atos, alguns, inclusive, estão sujeitos a impeachment, imaginem só. O que dá para dizer a respeito é que teoricamente o homem pode ir à lua. Só que não vai. Dá para se acrescentar que não existe democracia quando o governo é escolhido por eleitores que tem um dos piores níveis de educação pública, com seus problemas, no planeta. Em grande parte é um povo incapaz de entender o que lê, ou nem lê antes de concordar nas simples operações de matemática, ou as noções básicas do mundo que vive. Estamos falando principalmente do povo do interior. O que pode sair de bom disso aí? O cidadão precisa passar num exame para guiar uma motocicleta ou trabalhar num caixa de supermercado. Para tirar o título de eleitor, com o qual elege o presidente da República, não precisa de nada. Pode, aliás ser analfabeto. Eis então, aí, o Brasil como ele é. Em vez de garantirem as reais liberdades políticas do brasileiro fazendo com que ele aprenda a ler, escrever e contar, nossos criadores de direitos e deveres resolvem a diferença entre instruídos e ignorantes dando o voto ao analfabeto. E ainda mais: tornam o voto obrigatório e garantem, assim, que no dia das eleições compareçam todos os habitantes de seus “currais”, cujos votos compram com doação de dentaduras e com anúncios de felicidade futura na televisão pagos, com seu dinheiro, isto é, porque ninguém escapa de impostos, basta viver, e no Brasil. No mundo não existe nenhuma democracia que seja assim.

 

ENCOSTAR O UMBIGO

Quando o governador do Paraná em seu último mandato e hoje Senador Roberto Requião de Mello e Silva, isentou todas as micro e pequenas empresas de tributos estaduais. “Nós trocamos impostos por empregos”, avisou. “Durante o meu governo, nenhum fiscal no Paraná vai encostar e esfregar o umbigo, no balcão de uma pequena empresa”, fulminou. Esse recado pelo que se sabe, foi rigorosamente cumprido. Requião é conhecido por seus recados diretos, não manda por intermédio de alguém. Também é conhecido e, afirmam os que o conhecem, que ele “perde um amigo, mas não perde uma piada”. Saudades de Requião? Os pequenos empresários que o digam. Já seu sucessor Carlos Alberto Richa (Beto Richa), ignorou a isenção de Requião. Eu conto como presenciei isso em setembro de 2017: num belo dia apareceu no pátio da nossa serraria (que estava alugada), um comboio de órgãos estaduais; Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Receita Estadual e Polícia Ambiental. O IAP não encontrou nada irregular por parte da serraria. A licença de operação recém-renovada até 2022. Retornando no dia seguinte, o mesmo comboio, aí o bicho pegou com a Receita Estadual. Os fiscais lascaram uma multa de R$ 2000 porque o locatário havia deixado de emitir NFde entrada. Orientaram primeiro emitir as Notas Fiscais para depois penalizar. Para quem não conseguia pagar a Copel, empregados, aluguel e afins, o fim estava decretado. Como a empresa está no nome de seu filho, a multa e outros pepinos sobraram para ele. Uma coisa que nunca consegui entender: aqui no Paraná existem, e são sustentados com nosso dinheiro, vários órgãos que regem sobre o meio ambiente, são eles: Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Polícia Ambiental, Polícia Florestal e a Força Verde. E tem mais um Órgão Federal com a sigla IBAMA. Dá para entender?