Responsivo

Glaucoma: uma ameaça silenciosa à visão

Uma das principais causas de cegueira no mundo, saiba mais sobre prevenção, diagnóstico e tratamento com o oftalmologista Dr. Marcos Chaves Barbosa

O glaucoma, caracterizado pelo dano ao nervo óptico e à camada de fibras nervosas da retina, é uma das principais causas de cegueira em todo o mundo. Esta doença ocular é insidiosa, muitas vezes assintomática em seus estágios iniciais, o que a torna ainda mais perigosa. Para aprofundar nosso entendimento sobre esse tema, o Jornal Correio do Povo do Paraná conversou com o oftalmologista da Clínica de Olhos de Laranjeiras do Sul, Dr. Marcos Chaves Barbosa, que detalhou sobre a seriedade da doença. “Toda visão perdida pela doença não poderá ser recuperada”, aponta.

O que é?
De acordo com o oftalmologista, glaucoma denomina um grupo de doenças que tem em comum o dano ao nervo óptico e à camada de fibras nervosas da retina. O nervo óptico é importante na transmissão dos sinais visuais ao cérebro. “Este nervo envia os sinais visuais captados pela retina, ao cérebro, onde são processados e se convertem em imagens”.Conforme ele, essa é uma doença assintomática em cerca de 80% dos casos iniciais, podendo levar à cegueira se não tratada a tempo. “É uma doença crônica que não tem cura, mas, na sua maioria, pode ser controlada com tratamento adequado e contínuo”, ressalta o especialista.

Diagnóstico
Dr. Marcos destaca a importância de consultas periódicas para a detecção precoce do glaucoma e enfatizando que todas as pessoas devem realizar consulta com médico oftalmologista ao menos uma vez ao ano. “Diversos exames são realizados durante essas consultas, incluindo aqueles específicos para a prevenção e diagnóstico, como a tonometria e o exame de fundo de olho”, esclarece.

Barbosa também ressalta que qualquer pessoa pode ter glaucoma. “A doença pode acometer da criança ao adulto, principalmente após os 40 anos. O risco aumenta com a idade”.

Segundo o especialista, em alguns casos é necessário fazer exames complementares para ter o diagnóstico da doença. “Durante a consulta, se for identificada alterações de suspeita de glaucoma, pode ser solicitado alguns exames complementares, como campimetria computadorizada, curva tensional diária, paquimetria, estereofoto de papila Tomografia de Coerência Óptica, gonioscopia, retinografia e tonometria. Tudo para diagnosticar e tratar o mais rápido possível”.

Tratamento
Sobre o tratamento, o oftalmologista destaca a importância do acompanhamento regular com o médico e a adesão ao tratamento prescrito. “O tratamento pode ser feito através de colírios, laser ou cirurgias. É importante que o paciente faça consultas periódicas com seu oftalmologista e exames de controle”, ressalta.

O oftalmologista finaliza reforçando a importância da conscientização sobre os riscos da doença e a importância de estar atento. “É importante salientar sobre o controle rigoroso do glaucoma, pois toda visão perdida pela doença não poderá ser recuperada. Consulte seu médico oftalmologista ao menos uma vez por ano.  A clínica de olhos está há mais de 20 anos em Laranjeiras do Sul e dispõe de vários exames para detectar o glaucoma e muitas outras doenças. Cuide-se”, conclui.