Responsivo

Laranjeiras: após três anos primeiro concerto da Banda Municipal provoca fortes emoções

Evento foi o primeiro do tipo com a retomada pós pandemia da Covid-19. “A procura pelo espetáculo foi boa e o público nos retribuiu com sua admiração”, relata o maestro João Matias

A Banda Municipal de Laranjeiras do Sul realizou, no último dia 28 de outubro, o primeiro concerto pós pandemia da Covid-19. Por conta disso, a expectativa era grande, como relata o maestro João Matias. “Havia uma tensão também, por parte dos músicos e da organização. Nosso último concerto aconteceu há três anos”, conta ele.

A ausência de um evento desse porte trouxe a comunidade de volta ao Cine Teatro Iguassu, para prestigiar o concerto de música erudita: canções e uso de instrumentos como violino e piano, que fogem do conceito protocolar comumente realizado pela banda (eventos cívicos, inaugurações, comemorações e atos municipais). “O público foi muito receptivo. É motivo de alegria estar no palco demonstrando um pouco do nosso trabalho, da disciplina e participação que cobramos dos alunos”, destaca Matias.

Para ele, é recompensador perceber que a ideia de um projeto, traçado e executado, funcionou. Segundo o maestro, o desempenho é fruto de um trabalho embasado na disciplina técnica de estudo que os alunos aplicam a muito tempo. “Ensaiamos todos os dias, durante quatro horas, antes do concerto. Passei alguns dias inteiros escrevendo partituras para entregar a eles na hora do ensaio”, enfatiza.

Os pais dos alunos acompanharam os ensaios e o processo até o auge do espetáculo. “Essa proximidade foi algo diferente, mas o repertório surpreendeu a todos na apresentação”, afirma o regente da banda.

Retomada

O maestro discorre sobre o baixo número de público em eventos artísticos pós pandemia, uma dificuldade advinda do período de isolamento social. “Porém, os eventos atuais estão tendo uma grande receptividade. A procura pelo concerto foi boa e o público nos retribuiu com sua admiração”, relata.

Banda e convidados como a dupla Sabrina e Tiaraju, a soprano Andrea Schach Fey, José Hamilton da Silva e Diego Moryama levaram o público a aplaudir em pé as apresentações. “As pessoas interagiram conosco, riram, choraram e sentiram a tensão causada pela música erudita, o que é normal. É gostoso ter essa experiência em um concerto”, enfatiza Matias.

Evolução

Após 17 anos à frente da Banda Municipal, o maestro se sente contente com o entusiasmo e prestígio do grupo que representa Laranjeiras em eventos regionais e estaduais. Ele procura expor à comunidade, prefeitura e secretaria de Educação e Cultura o potencial da banda. “O prefeito Berto Silva sempre nos apoiou, desde a criação e retomada desse movimento de bandas que estava parado até então. E como profissional, procuro renovar nossas apresentações e repertório”, declara o músico.

Ao falar de disciplina e arte, o maestro exemplifica a evolução técnica e moral dos alunos da banda e o papel efetivo de construção da cidadania. “São questões que levamos para a vida, como ser humano”, finaliza.

Por Marcelo Padilha