Editorial
O carro chefe não anda bem

Sempre se ouviu dizer que o agronegócio é o que move os municípios da Cantuquiriguaçu. E de acordo com os números divulgados ontem, pela Secretaria da Agricultura e Abastecimento, através do Departamento de Economia Rural (Deral), o Valor Bruto de Produção (VBP) cresceu 9,98% em 2018, na regional de Laranjeiras do Sul.

A pecuária de corte foi o que mais teve avanços no último ano. O aumento foi de 13,7%. Enquanto isso, a suinocultura teve uma queda de 12,67%.

E o que esse dado representa? É simplesmente a estimativa da geração de renda do meio rural.

Porém, apesar desse crescimento todo no valor da produção, quando o assunto é empregos os números não são tão bons.

Conforme balanço mensal divulgado pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), nos sete primeiros meses deste ano a agropecuária foi responsável pelo desemprego de 244 moradores da Cantu. Somente em Pinhão foram 165 vagas fechadas.

Apesar de ser o carro chefe da nossa região (pelo menos é o que dizem), o setor acabou também sendo responsável por grande parte do desemprego.

Ou seja, é preciso reavaliar as políticas adotadas com relação a esse ramo que é tão primordial, mas também causadora de muitas demissões.