A origem do gaúcho e de onde vem esta cultura tão rica e tradicional

No dia 20 de setembro é comemorado o Dia do Gaúcho. Data importante para a região da Cantu, tendo em

No dia 20 de setembro é comemorado o Dia do Gaúcho. Data importante para a região da Cantu, tendo em vista a forte e presente cultura gaúcha.

Na década de 1940, grupos de tradicionalistas resolveram manter as tradições do povo gaúcho, criando a Ronda Gaúcha, conhecida também como Ronda Crioula, que ocorria entre os dias 7 e 20 de setembro para festejar a Independência do Brasil e a Revolução Farroupilha. Em 1947, estudantes gaúchos se organizaram também para preservar as tradições e, no ano seguinte, fundaram o Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG). Por meio da lei n. 4.850, de 11/12/1964, promulgada pela Assembleia Estadual do Rio Grande do Sul, oficializou-se a Ronda Gaúcha, que passou a ser chamada de Semana Farroupilha, comemorada de 14 a 20 de setembro. Por isso, em 1996, o dia 20 de setembro foi oficializado como o Dia do Gaúcho, passando a ser um feriado apenas no Rio Grande do Sul.

Influências

Conforme o professor de Sociologia Rafael Disconzi, que mora em Candói mas é natural do Rio Grande do Sul, o gaúcho tem origem espanhola e influência indígena. “O gaúcho se difere do restante do Brasil que teve uma colonização majoritariamente portuguesa, lusitana. O próprio nome ‘gaúcho’ vem da região dos Pampas que engloba Argentina, Uruguai e Rio Grande do Sul, que tem bioma da campanha”.

Conforme o professor, a única influência portuguesa que se tem é em Pelotas e Porto Alegre, com imigrantes açorianos. “Temos muitos termos gauchescos que são em espanhol”.

Para Rafael, criou-se uma identidade própria e diferente da matriz portuguesa do restante do Brasil. “Talvez por isso tenha essa questão do gaúcho ser bairrista, houve uma supervalorização da cultura de elementos locais, porque existiu um certo isolacionismo do restante do Brasil”.

Origem do gaúcho

O professor e historiador Eduardo Bueno, aborda qual seria a origem deste personagem tão tradicional que é o gaúcho.

Conforme ele, o gaúcho surgiu em uma terra de ninguém e tudo começou com as nações indígenas que viviam no coração dos Pampa, que eram os Charrua e os Minuano.

Em 1948, o Sr Manoelito de Ornellas escreveu um livro chamado Gaúchos e Beduínos, do qual  surgiu uma tese de que os gaúchos eram meio árabes, tanto é que a bombacha é de fato uma calça que teve origem na Turquia. Para o professor Eduardo, o livro estava equivocado, pois o gaúcho se fundiu em um cadeirão de raças e de histórias, com a base é indígena. “Inclusive, diversos objetos símbolos desta cultura vem dos índios. O cheripá que é calça parte da vestimenta, o chimarrão, o churrasco fogo de chão, eram característicos dos Charruas e Minuanos e foram incorporados aos primeiros colonizadores”.

A conquista dos Pampas, daquela “terra de ninguém” foi uma conquista épica que se iniciou em 1494 no Tratado de Tordesilhas, quando portugueses e espanhóis se reuniram na pequena cidade de Tordesilhas e traçaram a linha que dividia o mundo em dois.

Os gaúchos eram homens livres, que andavam a cavalo nas vastas terras dos Pampas, eram também meio bandoleiros, foras da lei e ladrões de gado.

Origem do nome

Em 1946, Aurélio Porto deu uma explicação para a origem da palavra gaúcho, que segundo o escritor teria vindo de ‘gachu’ do tupi que significa ‘cantar triste’, juntada com ‘chê’, que quer dizer ‘homem’.

Ma para o professor Eduardo Bueno, o nome gaúcho vem da palavras ‘quechua’, que virou ‘uguachu’, que deu origem a ‘Guacho’, que finalmente chegou a ‘gaucho’. “A palavra é originalmente espanholada que quer dizer filho de ventre indígena com forasteiro, mameluco, mestiço”.

Peão e Revolução

Com a criação da cidade Rio Grande, muitos fidalgos portugueses passaram a ganhar vastas extensões de terras e transformaram o gaúcho em ‘peão’, que significa aquele que anda a pé. Ou seja, eles tomaram os cavalos dos gaúchos, cercaram o Pampa e os gaúchos viraram trabalhadores das estâncias de charque. Foi então que os esses mestiços entraram na era do couro, ‘guausca’ que significa ‘tira de couro’.

“O gaúcho a pé é um gaúcho morto, e daí surgem os grandes poemas, versos e canções sobre o gaúcho”.

O historiador explica que essa cultura estava fadada à extinção, até que em 1835 surge a Revolução Farroupilha e os donos de estâncias arregimentam seus peões, lhes dão cavalos e os jogam nas lutas contra o império brasileiro. “A fronteira de Uruguai, Argentina e Brasil, ali era o lar do gaúcho, a base do contrabando, a base dos campos neutrais, saqueando gado, assaltado cidades. O gaúcho sempre teve um lado selvagem e sanguinário, mas também sempre teve um lado épico e de lealdade, dignidade decência e liberdade’.